Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Isaías 39 a 42 (dia 183)

Isaías 39

Os mensageiros da Babilônia

(2º Reis 20:12-19)

1 Por esse mesmo tempo, o rei da Babilônia, Merodaque-Baladã, filho de Baladã, soube que o rei Ezequias havia estado doente, mas agora já estava bom. Então lhe mandou uma carta e um presente. 2 Ezequias recebeu bem os mensageiros e lhes mostrou toda a sua riqueza, isto é, a sua prata e o seu ouro, as suas especiarias, os seus perfumes e todas as suas armas. Não houve nada nos seus depósitos ou em qualquer outro lugar que Ezequias não mostrasse.

3 Então o profeta Isaías foi falar com ele e perguntou:
— De onde vieram esses homens, e o que foi que lhe disseram?
Ezequias respondeu:
— Eles vieram de um país que fica muito longe daqui. Vieram da Babilônia.

4 — O que foi que eles viram no palácio? — perguntou Isaías.
O rei respondeu:
— Viram tudo. Não houve nada nos depósitos que eu não lhes mostrasse.

5 Então Isaías disse ao rei:
— O Senhor Todo-Poderoso diz que 6 vai chegar o tempo em que tudo aquilo que há no seu palácio, isto é, tudo o que os seus antepassados juntaram até hoje, será levado para a Babilônia. Não ficará nada.

7 Alguns dos seus próprios filhos serão levados como prisioneiros e feitos eunucos para trabalhar no palácio do rei da Babilônia.

8 O rei Ezequias entendeu que isso queria dizer que durante a vida dele haveria paz e segurança. Por isso, disse:
— A mensagem do Senhor que você me deu é boa.



Isaías 40

Mensagem de consolo

1 O Senhor, nosso Deus, diz:

“Consolem, consolem o meu povo.

2 Falem carinhosamente aos moradores de Jerusalém
e digam-lhes que já terminou a sua escravidão
e que os seus pecados foram perdoados.
Eles receberam de mim duas vezes mais castigos
do que os pecados que cometeram.”

3 Alguém está gritando:
“Preparem no deserto um caminho para o Senhor,
abram ali uma estrada reta para o nosso Deus passar!

4 Todos os vales serão aterrados,
e todos os morros e montes serão aplanados;
os terrenos cheios de altos e baixos ficarão planos,
e as regiões montanhosas virarão planícies.

5 Então o Senhor mostrará a sua glória,
e toda a humanidade a verá.
O próprio Senhor Deus prometeu que vai fazer isso.”

6 Alguém diz: “Anuncie a mensagem!”
“O que devo anunciar?” — eu pergunto.
“Anuncie que todos os seres humanos são como a erva do campo
e toda a força deles é como uma flor do mato.

7 A erva seca, e as flores caem
quando o sopro do Senhor passa por elas.
De fato, o povo é como a erva.

8 A erva seca, a flor cai,
mas a palavra do nosso Deus dura para sempre.”

9 Você, mensageiro de boas notícias para Jerusalém,
suba um alto monte;
você, mensageiro de boas notícias para Sião,
entregue a sua mensagem em voz alta.
Fale sem medo com as cidades de Judá
e anuncie bem alto:
“O seu Deus está chegando!”

10 O Senhor Deus vem vindo cheio de força;
com o seu braço poderoso, ele conseguiu a vitória.
E ele traz consigo o povo que ele salvou.

11 Como um pastor cuida do seu rebanho,
assim o Senhor cuidará do seu povo;
ele juntará os carneirinhos, e os carregará no colo,
e guiará com carinho as ovelhas que estão amamentando.



A grandeza do Deus de Israel

12 Quem mediu a água do mar com as conchas das mãos
ou mediu o céu com os dedos?
Quem, usando uma vasilha, calculou
quanta terra existe no mundo inteiro
ou pesou as montanhas e os morros numa balança?

13 Quem pode conhecer a mente do Senhor?
Quem é capaz de lhe dar conselhos?

14 Quem lhe deu lições ou ensinamentos?
Quem lhe ensinou a julgar com justiça
ou quis fazê-lo aprender mais coisas
ou procurou lhe mostrar como ser sábio?

15 Para o Senhor, todas as nações do mundo
são como uma gota de água num balde,
como um grão de poeira na balança;
ele carrega as ilhas distantes como se fossem um grão de areia.

16 Em toda a região do Líbano, não há animais suficientes
para um sacrifício como Deus merece,
nem árvores que cheguem para os queimar.

17 Para ele, as nações não são nada;
na presença dele, elas não têm nenhum valor.

18 Com quem Deus pode ser comparado?
Com o que ele se parece?

19 Ele não é como uma imagem feita por um artista,
que um ourives reveste de ouro
e cobre de enfeites de prata.

20 Quem não pode comprar ouro ou prata
escolhe madeira de lei
e procura um artista competente
que faça uma imagem que fique firme no seu lugar.

21 Será que vocês não sabem?
Será que nunca ouviram falar disso?
Não lhes contaram há muito tempo
como o mundo foi criado?

22 O Criador de todas as coisas
é aquele que se senta no seu trono no céu;
ele está tão longe da terra,
que os seres humanos lhe parecem tão pequenos como formigas.
Foi ele quem estendeu os céus como um véu,
quem os armou como uma barraca para neles morar.

23 É ele quem rebaixa reis poderosos
e tira altas autoridades do poder.

24 Eles são como plantas que brotaram há pouco
e quase não têm raízes.
Quando Deus sopra neles, eles murcham,
e a ventania os leva para longe, como se fossem palha.

25 Com quem vocês vão comparar o Santo Deus?
Quem é igual a ele?

26 Olhem para o céu e vejam as estrelas.
Quem foi que as criou?
Foi aquele que as faz sair em ordem como um exército;
ele sabe quantas são
e chama cada uma pelo seu nome.
A sua força e o seu poder são tão grandes,
que nenhuma delas deixa de responder.



Novas forças para os fracos

27 Povo de Israel, por que você se queixa, dizendo:
“O Senhor não se importa conosco,
o nosso Deus não se interessa pela nossa situação”?

28 Será que vocês não sabem?
Será que nunca ouviram falar disso?
O Senhor é o Deus Eterno,
ele criou o mundo inteiro.
Ele não se cansa, não fica fatigado;
ninguém pode medir a sua sabedoria.

29 Aos cansados ele dá novas forças
e enche de energia os fracos.

30 Até os jovens se cansam,
e os moços tropeçam e caem;

31 mas os que confiam no Senhor
recebem sempre novas forças.
Voam nas alturas como águias,
correm e não perdem as forças,
andam e não se cansam.



Isaías 41

Deus promete salvar o povo de Israel

1 O Senhor Deus diz:

“Povos das nações distantes, calem-se e escutem!
Renovem as suas forças
e venham prontos para defender a sua causa.
Vamos nos reunir para resolver com quem está a razão.

2 “Quem foi que trouxe do Oriente
esse rei que sempre sai vitorioso?
Quem fez com que ele derrotasse as nações
e com que reis fossem vencidos por ele?
Com a sua espada e as suas flechas,
ele os faz virar pó
e faz com que fujam como se fossem a palha que é levada pelo vento.

3 Ele os persegue e avança seguro;
ele anda tão depressa, que os seus pés quase não tocam no chão.

4 Quem planejou isso e fez com que tudo acontecesse?
Quem resolveu o que se passaria no mundo desde o princípio?
Fui eu, o Senhor,
que estava lá quando tudo começou
e que lá estarei quando tudo terminar.”

5 As nações distantes viram o que aconteceu,
e todos os povos tremeram de medo.
Então se juntaram e vieram.

6 Os que fazem imagens se ajudam uns aos outros,
cada um procura animar o seu companheiro.

7 O escultor anima o ourives;
aquele que bate o ferro com o martelo
elogia o que solda o ídolo. E diz:
“Que trabalho bem feito!”
E com pregos fixam a imagem no lugar para que não caia.

8 O Senhor diz ao povo de Israel:
“Você é o meu servo,
o povo que eu escolhi;
vocês são descendentes de Abraão, meu amigo.

9 Eu os trouxe dos fins da terra,
dos lugares mais distantes do mundo,
e lhes disse: ‘Vocês são os meus servos.’
Eu os escolhi e nunca os rejeitei.

10 Não fiquem com medo, pois estou com vocês;
não se apavorem, pois eu sou o seu Deus.
Eu lhes dou forças e os ajudo;
eu os protejo com a minha forte mão.

11 “Todos os seus inimigos
serão derrotados e humilhados;
todos os que lutam contra vocês
serão destruídos e morrerão.

12 Se vocês procurarem os seus inimigos,
não os acharão,
pois todos eles terão desaparecido.

13 Eu sou o Senhor, o Deus de vocês;
eu os seguro pela mão e lhes digo:
‘Não fiquem com medo, pois eu os ajudo.’ ”

14 O Senhor diz ao seu povo:
“Você é pequeno e fraquinho,
mas não tenha medo,
pois eu, o Santo Deus de Israel,
sou o seu Salvador
e o protegerei.

15 Farei com que você seja como uma máquina de debulhar trigo,
que tem pontas de ferro novas e afiadas:
você passará sobre os montes, eles virarão pó,
e as montanhas ficarão como palha.

16 Você os jogará para cima,
o vento os levará,
e a ventania os espalhará.
Então você ficará alegre porque eu, o Senhor, sou o seu Deus,
e você louvará a mim, o Santo Deus de Israel.

17 “Quando o meu povo, pobre e necessitado,
procurar água e não encontrar;
quando a boca deles estiver seca de sede,
eu, o Senhor, os atenderei,
eu, o Deus de Israel, não os abandonarei.

18 Farei com que brotem fontes nos vales
e com que rios corram pelas montanhas onde não há plantas.
Farei com que os desertos virem lagos
e com que nas terras secas haja muitos poços.

19 Plantarei árvores no deserto:
cedros, acácias, murtas e oliveiras;
nas terras secas, farei crescer pinheiros,
junto com os zimbros e ciprestes.

20 Todos verão o que aconteceu e ficarão sabendo
que fui eu, o Senhor, quem fez isso.
Todos pensarão bem e entenderão
que tudo isso foi feito pelo Santo Deus de Israel.”



O Senhor desafia os deuses pagãos

21 O Senhor, o Rei de Israel, diz:

“Deuses das nações, venham apresentar a sua causa
e fazer a sua defesa.

22 Venham e nos digam o que vai acontecer;
expliquem também as profecias que vocês fizeram no passado,
para que nós fiquemos sabendo se elas se cumpriram.
Ou então digam o que vai acontecer no futuro,
e assim nós poderemos ver se vai dar certo.

23 Anunciem as coisas que vão acontecer daqui em diante
a fim de provar que vocês são deuses de fato.
Façam o que quiserem, seja bom ou seja mau,
para que fiquemos com medo e cheios de pavor.

24 Mas vocês não são nada!
Vocês não podem fazer nada!
Eu detesto aqueles que os adoram!

25 “Fui eu que chamei um homem que mora no Oriente;
ele confia em mim
e vem do Norte para atacar os seus inimigos.
Ele pisa em cima de reis como se fossem lama;
ele os trata como um oleiro que amassa o barro com os pés.

26 Será que algum de vocês anunciou que isso ia acontecer,
para que nós ficássemos sabendo?
Algum deus falou disso no passado
para que nós disséssemos: ‘Ele tinha razão’?
Nenhuma imagem anunciou nada a respeito disso,
nenhuma nos avisou;
não ouvimos vocês dizerem nem uma só palavra.

27 Pois eu anunciei isso a Sião desde o começo,
eu mandei um mensageiro espalhar essas boas notícias em Jerusalém.

28 Eu procuro os deuses, mas nenhum deles aparece;
nenhum deles pode dar explicações
ou responder às perguntas que faço.

29 Eles não são nada!
Eles não podem fazer nada!
Essas imagens são coisas sem vida e sem valor.”



Isaías 42

O servo do Senhor

1 O Senhor Deus diz:

“Aqui está o meu servo, a quem eu fortaleço,
o meu escolhido, que dá muita alegria ao meu coração.
Pus nele o meu Espírito,
e ele anunciará a minha vontade a todos os povos.

2 Não gritará, não clamará,
não fará discursos nas ruas.

3 Não esmagará um galho que está quebrado,
nem apagará a luz que já está fraca.
Com toda a dedicação, ele anunciará a minha vontade.

4 Não se cansará, nem desanimará,
mas continuará firme até que todos aceitem a minha vontade.
As nações distantes estão esperando para receber os seus ensinamentos.”

5 O Senhor Deus criou os céus e os estendeu;
formou a terra e tudo o que nela existe
e deu vida e fôlego a todos os seus moradores.
E agora o Senhor diz ao seu servo:

6 “Eu, o Senhor, o chamei e o peguei pela mão,
para que haja salvação por meio de você.
Eu o criei e o enviei
como garantia da aliança que vou fazer com o meu povo,
como a luz da salvação que darei aos outros povos;

7 para abrir os olhos dos cegos,
pôr em liberdade os prisioneiros
e soltar os que estão em prisões escuras.

8 Eu sou o Senhor: este é o meu nome,
e não permito que as imagens
recebam o louvor que somente eu mereço.”

9 Deus diz ao seu povo:
“As coisas que prometi no passado já se cumpriram,
e agora vou lhes anunciar coisas novas,
para que vocês as saibam antes mesmo que elas aconteçam.”

Isaías 35 a 38 (dia 182)

Isaías 35

A futura felicidade de Jerusalém

1 O deserto se alegrará,
e crescerão flores nas terras secas;

2 cheio de flores, o deserto cantará de alegria.
Deus o tornará tão belo como os montes Líbanos,
tão fértil como o monte Carmelo e o vale de Sarom.
Todos verão a glória do Senhor,
verão a grandeza do nosso Deus.

3 Fortaleçam as mãos cansadas,
deem firmeza aos joelhos fracos.

4 Digam aos desanimados:
“Não tenham medo; animem-se,
pois o nosso Deus está aqui.
Ele vem para nos salvar,
ele vem para castigar os nossos inimigos.”

5 Então os cegos verão,
e os surdos ouvirão;

6 os aleijados pularão e dançarão,
e os mudos cantarão de alegria.
Pois fontes brotarão no deserto,
e rios correrão pelas terras secas.

7 A areia quente do deserto virará um lago,
e haverá muitas fontes nas terras secas.
Os lugares onde agora vivem os animais do deserto
virarão brejos onde crescerão taboas e juncos.

8 Haverá ali uma estrada
que será chamada de “Caminho da Santidade”.
Nela, não caminharão os impuros,
pois ela pertence somente ao povo de Deus.
Até os tolos andarão nela
e não se perderão.

9 Nesse caminho, não haverá leões,
animais selvagens não passarão por ele;
ali andarão somente os salvos.

10 Aqueles a quem o Senhor salvar voltarão para casa,
voltarão cantando para Jerusalém
e ali viverão felizes para sempre.
A alegria e a felicidade os acompanharão,
e não haverá mais tristeza nem choro.



Isaías 36

Os assírios ameaçam Jerusalém

(2º Reis 18:13-37; 2º Crônicas 32:1-19)

1 No ano catorze do reinado de Ezequias, de Judá, Senaqueribe, o rei da Assíria, atacou todas as cidades de Judá que eram protegidas por muralhas e as conquistou. 2 Depois, ele mandou que o comandante do seu exército fosse de Laquis a Jerusalém com uma enorme força militar para exigir que o rei Ezequias se entregasse. O comandante ocupou a estrada onde os tintureiros trabalham, perto do canal que traz água do açude de cima. 3 Três autoridades de Judá saíram para se encontrar com ele: o encarregado do palácio, Eliaquim, filho de Hilquias; o escrivão, Sebna; e o conselheiro do rei, Joá, filho de Asafe.

4 O oficial assírio lhes disse:
— Levem para Ezequias esta mensagem do grande rei, o rei da Assíria: “Em que você está baseando a sua confiança? 5 Será que você pensa que as palavras podem tomar o lugar da experiência militar e da força? Quem você pensa que vai ajudá-lo na sua revolta contra o rei da Assíria? 6 Você está confiando na ajuda do Egito, mas isso é o mesmo que usar um caniço como bengala, isto é, ele vai quebrar e furar a sua mão. Assim é Faraó, rei do Egito, para aqueles que confiam nele. 7 Ou, por acaso, você vai me dizer que confia no Senhor, seu Deus? E não foram os santuários e os altares do Senhor que Ezequias destruiu quando mandou que o povo de Judá e de Jerusalém adorasse num só altar? 8 Eu vou fazer um trato com você em nome do rei. Eu lhe darei dois mil cavalos se você puder arranjar homens suficientes para montá-los. 9 Você não poderia vencer nem mesmo o oficial assírio menos graduado e, no entanto, espera que os egípcios lhe mandem carros de guerra e cavalaria!

10 Você pensa que eu ataquei e destruí o seu país sem a ajuda de Deus, o Senhor? Foi o próprio Deus quem me mandou atacá-lo e destruí-lo!”

11 Então Eliaquim, Sebna e Joá disseram ao oficial:
— Senhor, fale em aramaico, por favor, pois nós entendemos. Não fale em hebraico porque todas as pessoas que estão nas muralhas estão escutando.

12 Ele respondeu:
— Vocês pensam que o rei me mandou dizer todas essas coisas somente para vocês e para o seu rei? Não! Eu estou falando também com as pessoas que estão sentadas nas muralhas e que terão de comer as suas próprias fezes e beber a sua própria urina; e vocês também vão fazer isso.

13 Então o oficial ficou de pé e gritou em hebraico:
— Escutem o que o grande rei, o rei da Assíria, está dizendo a vocês! 14 Ele mandou avisar que não deixem que Ezequias os engane, pois ele não poderá salvá-los. 15 E não deixem que ele os convença a confiar no Senhor. Não pensem que Deus os salvará e não deixará que o nosso exército assírio conquiste a cidade de vocês. 16 Não deem atenção a Ezequias. O rei manda que vocês saiam da cidade e se entreguem. Vocês terão licença para comer uvas das suas próprias parreiras e figos das suas figueiras e para beber água dos seus próprios poços, 17 até que o rei os leve para morar num país parecido com o de vocês, onde há plantações de uvas para dar vinho e onde há trigo para fazer pão. 18 Não deixem que Ezequias os engane, fazendo vocês pensarem que Deus vai salvá-los. Será que os deuses das outras nações as salvaram do rei da Assíria? 19 Onde estão agora os deuses de Hamate e de Arpade? Onde estão os deuses de Sefarvaim? Será que eles salvaram Samaria do meu poder?

20 Quando foi que os deuses de todos esses países os salvaram do nosso rei? O que é, então, que faz vocês pensarem que o Senhor pode salvar Jerusalém do poder dele?
21 Mas o povo ficou calado, como o rei Ezequias havia mandado; eles não disseram nem uma só palavra. 22 Então Eliaquim, Sebna e Joá rasgaram as suas roupas em sinal de tristeza e foram contar ao rei aquilo que o oficial assírio tinha dito.



Isaías 37

O rei pede o conselho de Isaías

(2º Reis 19:1-7)

1 Assim que o rei Ezequias ouviu o que eles contaram, rasgou as suas roupas em sinal de tristeza, vestiu uma roupa feita de pano grosseiro e foi para o Templo do Senhor. 2 Ele mandou que Eliaquim, o encarregado do palácio, Sebna, o escrivão, e os sacerdotes mais idosos fossem falar com o profeta Isaías, filho de Amoz. Eles também estavam vestindo roupa feita de pano grosseiro. 3 A mensagem que o rei mandou entregar a Isaías foi esta: “Hoje, é um dia de sofrimento; nós estamos sendo castigados e estamos envergonhados. Somos como uma mulher que está para dar à luz, mas não tem forças para isso.

4 O rei da Assíria nos mandou o chefe do seu exército para insultar o Deus vivo. Que o Senhor, nosso Deus, ouça esses insultos e castigue quem os disse! Portanto, ore a Deus pelas pessoas do nosso povo que ainda estão vivas.”
5 Isaías recebeu a mensagem do rei Ezequias 6 e mandou esta resposta: “O Senhor Deus diz que o senhor não deve deixar que os assírios o assustem, dizendo que Deus não pode salvá-lo.

7 Deus vai fazer o rei da Assíria ouvir uma notícia que o fará voltar para a terra dele e Deus vai fazer com que ele seja morto ali.”



Os assírios ameaçam outra vez

(2º Reis 19:8-19)

8 O oficial assírio soube que o rei da Assíria havia saído de Laquis e que estava lutando contra a cidade de Libna. Portanto, foi até lá para falar com ele. 9 O rei ouviu dizer que o exército dos egípcios, comandado pelo rei Tiraca, da Etiópia, vinha vindo para atacá-lo. Então mandou uma carta para o rei Ezequias, de Judá. 10 A carta dizia assim: “O seu deus, em quem você confia, lhe disse que Jerusalém não vai cair nas minhas mãos; mas não deixe que ele o engane. 11 Você já ouviu falar daquilo que um rei assírio faz com qualquer país que ele resolve destruir? Por acaso, você pensa que poderá escapar? 12 Os meus antepassados destruíram as cidades de Gozã, Harã e Rezefe e mataram o povo de Éden, que morava em Telassar, e nenhum dos seus deuses os pôde salvar.

13 Onde estão os reis das cidades de Hamate, de Arpade, de Sefarvaim, de Hena e de Iva?”
14 O rei Ezequias recebeu a carta das mãos dos mensageiros e a leu. Depois, foi até o Templo, pôs a carta ali, na presença de Deus, o Senhor,

15 e orou assim:
16 — Ó Senhor Todo-Poderoso, Deus de Israel, que estás sentado no teu trono que fica acima dos querubins! Só tu és Deus e governas todos os reinos do mundo. Tu criaste o céu e a terra. 17 Ó Senhor, olha para o que está acontecendo com a gente. Escuta todas as coisas que Senaqueribe está dizendo a fim de insultar a ti, o Deus vivo. 18 Todos nós sabemos, ó Deus, que os reis da Assíria destruíram muitas nações, arrasaram as suas terras 19 e queimaram os seus deuses, que não eram deuses de verdade e sim imagens de madeira e de pedra, feitas por mãos humanas.

20 Agora, ó Senhor, nosso Deus, salva-nos dos assírios, a fim de que todas as nações do mundo fiquem sabendo que só tu, ó Senhor, és Deus.



A mensagem de Isaías para o rei

(2º Reis 19:20-34)

21 Então Isaías mandou uma mensagem para o rei Ezequias. Nela, ele dizia que em resposta à oração do rei, 22 o Senhor, o Deus de Israel, tinha dito o seguinte: “A cidade de Jerusalém ri e caçoa de você, Senaqueribe. 23 A quem você pensa que ofendeu e insultou? De quem zombou? Você fez tudo isso contra mim, o Santo Deus de Israel. 24 Você me mandou os seus oficiais para se gabarem de que com os seus muitos carros de guerra você conquistou as mais altas montanhas do Líbano. Você se gabou de ter cortado os mais altos cedros e os melhores ciprestes e de ter chegado até os lugares mais distantes das florestas.

25 Você se gabou de ter cavado poços em terras estrangeiras e de ter bebido água deles. Gabou-se também de que os pés dos seus soldados fizeram secar o rio Nilo.
26 “Por acaso, você não sabe que fui eu que planejei tudo isso há muito tempo e agora fiz tudo acontecer? Eu dei a você o poder de fazer cidades cercadas de muralhas virarem montões de entulho.

27 Por isso, os seus moradores ficaram fracos e andaram cheios de medo e de vergonha. Eles ficaram como o capim do campo e a erva verde e como a erva que cresce nos telhados e que seca quando o vento quente do leste sopra nele.
28 “Mas eu conheço você muito bem; sei o que você faz e aonde vai. Sei que você me odeia.

29 Eu soube do seu ódio e do seu orgulho, e agora vou pôr uma argola no seu nariz e um freio na sua boca, e farei você voltar pelo mesmo caminho por onde veio.”

30 Então Isaías disse ao rei Ezequias:
— Este é o sinal daquilo que vai acontecer: neste ano e no ano que vem, vocês terão para comer somente o que nascer por si mesmo, sem ser plantado. Mas no ano seguinte vocês poderão semear e colher cereais e também plantar parreiras e comer as uvas. 31 As pessoas de Judá que não tiverem morrido vão florescer como plantas que firmam as suas raízes na terra e dão frutas.

32 Pois ficará gente em Jerusalém e no monte Sião porque o Senhor Todo-Poderoso resolveu fazer com que isso aconteça.

33 Isaías continuou:
— Portanto, o Senhor diz o seguinte a respeito do rei da Assíria: “Ele não entrará nesta cidade e não atirará uma só flecha contra ela. Nenhum soldado com escudo chegará perto da cidade, e não serão construídas rampas de ataque ao redor dela. 34 O rei da Assíria vai voltar pelo mesmo caminho por onde veio, sem ter entrado nesta cidade.

35 Eu defenderei e protegerei esta cidade por causa da minha honra e por causa da promessa que fiz ao meu servo Davi. Eu, o Senhor, falei.”
36 Então o Anjo do Senhor foi até o acampamento dos assírios e matou cento e oitenta e cinco mil soldados. De manhã, os que sobraram viram os corpos dos mortos. 37 Aí Senaqueribe, o rei da Assíria, se retirou, voltou para Nínive e ficou lá. 38 Certo dia, quando ele estava adorando no templo do seu deus Nisroque, os seus filhos Adrameleque e Sarezer o mataram à espada e fugiram para a terra de Ararate. Outro filho seu, chamado Esar-Hadom, ficou no lugar dele como rei.



Isaías 38

O rei Ezequias é curado

(2º Reis 20:1-11; 2º Crônicas 32:24-26)

1 Por esse tempo, o rei Ezequias ficou doente e quase morreu. O profeta Isaías, filho de Amoz, foi visitá-lo e disse:
— O Senhor Deus diz assim: “Ponha as suas coisas em ordem porque você não vai sarar. Apronte-se para morrer.

2 Então Ezequias virou o rosto para a parede e orou assim:

3 — Ó Senhor, lembra que eu tenho te servido com fidelidade e com todo o coração e sempre fiz aquilo que querias que eu fizesse.
E chorou amargamente.
4 Aí Deus mandou que Isaías

5 voltasse a falar com Ezequias e lhe dissesse:
— Eu, o Senhor, o Deus do seu antepassado Davi, escutei a sua oração e vi as suas lágrimas. Vou deixar que você viva mais quinze anos. 6 Livrarei você e esta cidade de Jerusalém do rei da Assíria e defenderei esta cidade. 7 O Senhor Deus lhe dará um sinal para provar que vai cumprir a sua promessa.

8 Na escadaria feita pelo rei Acaz, o Senhor fará com que a sombra volte dez degraus.
E a sombra voltou dez degraus.

9 Depois que o rei Ezequias sarou, ele escreveu o seguinte hino de louvor:

10 “Eu pensava que iria morrer na flor da idade,
que daqui em diante moraria no mundo dos mortos.

11 Pensava que nesta vida
eu nunca mais veria o Senhor,
que nunca mais veria outro ser humano.

12 A minha vida foi cortada e terminada
como uma barraca de pastores que é desmontada e levada para longe
ou como um pedaço de pano que o tecelão corta de uma peça de tecido.
Dia e noite eu pensava que Deus já ia acabar comigo.

13 A noite inteira, eu gritava de dor,
como se um leão estivesse quebrando os meus ossos.
Dia e noite eu pensava que Deus já ia acabar comigo.

14 Eu soltava fracos gemidos de dor como uma andorinha
e gemia como uma pomba.
Os meus olhos se cansaram de olhar para o céu.
Ó Senhor, estou sofrendo! Salva-me!

15 Mas como é que posso reclamar,
se foi o próprio Deus quem fez isso comigo?
Estou tão aflito, que já não consigo dormir.

16 “Ó Senhor, é por causa das coisas que tu fazes
que todos nós vivemos;
e eu também estou vivo por causa delas.
Dá-me saúde a fim de que eu viva!

17 Eu sei que foi para o meu próprio bem
que sofri tanta aflição.
Mas tu me salvaste da morte,
pois perdoaste todos os meus pecados.

18 No mundo dos mortos, ninguém te agradece,
ninguém louva o teu nome;
os que estão ali não confiam na tua fidelidade.

19 São os vivos que te louvam,
como eu te louvo agora.
E os pais dizem aos filhos
que todos podem confiar em ti.

20 Tu me salvaste, ó Senhor.
Por isso, tocaremos as nossas harpas e cantaremos louvores a ti;
a vida inteira nós te louvaremos no teu Templo.”

21 Pois Isaías tinha dito:
— Ponham uma pasta de figos em cima da úlcera do rei, e ele ficará bom.

22 E o rei Ezequias tinha perguntado:
— Qual será o sinal de que eu poderei ir até o Templo?

Isaías 31 a 34 (dia 181)

Isaías 31

O Egito não pode ajudar

1 Ai dos que vão para o Egito procurando ajuda!
Eles confiam num povo que tem muitos cavalos e carros de guerra,
num país que tem cavaleiros valentes,
mas não confiam no Santo Deus de Israel,
não pedem ajuda ao Senhor.

2 Porém o Senhor é sábio e sabe fazer com que a desgraça venha;
ele sempre cumpre o que promete.
Por isso, ele ficará contra os que praticam o mal,
contra todos os que ajudam as pessoas perversas.

3 Os egípcios não são deuses!
Eles são apenas seres humanos,
e os seus cavalos são apenas animais mortais;
não são espíritos imortais.
E, quando o Senhor levantar a mão para castigá-los,
todos cairão mortos de uma só vez,
tanto o Egito, a nação forte, como Judá, a nação fraca.



Deus protegerá Jerusalém

4 O Senhor Deus falou comigo e disse:

“Um leão que pega e mata uma ovelha
não se assusta, nem foge quando os pastores vêm gritando,
mesmo que sejam muitos e gritem bem alto.
Assim também eu, o Senhor Todo-Poderoso, não me assustarei
quando descer para lutar no monte Sião.

5 Como uma ave fica voando por cima do seu ninho para protegê-lo,
assim eu, o Senhor Todo-Poderoso, protegerei Jerusalém;
eu salvarei a cidade e livrarei o meu povo.”
6 Povo de Israel, vocês se afastaram para longe de Deus; mas agora arrependam-se e voltem para ele.

7 Naquele dia, todos vocês jogarão fora as suas imagens revestidas de prata e de ouro, que só servem para fazer vocês pecarem.

8 O Senhor diz:

“Uma espada derrotará os assírios,
uma espada os matará;
mas não será a espada de um ser humano.
Eles fugirão da batalha,
e os seus jovens serão feitos escravos.

9 O rei fugirá apavorado,
e os oficiais, cheios de medo, abandonarão as suas bandeiras.”
Assim fala o Senhor,
que em Jerusalém tem o seu altar,
onde sacrifícios são queimados.



Isaías 32

Um reinado de justiça

1 Virá o dia em que um rei reinará com justiça
e as autoridades governarão com honestidade.

2 Todas elas protegerão o povo
como um abrigo protege contra a tempestade e o vento;
elas serão como rios numa terra seca,
como a sombra de uma grande rocha no deserto.

3 Então todos poderão ver claramente de novo
e de novo ouvirão tudo facilmente;

4 serão ajuizados, entenderão as coisas
e poderão falar com clareza e inteligência.

5 Ninguém dirá que um sem-vergonha é uma pessoa de valor,
nem que o malandro merece respeito.

6 Pois o sem-vergonha diz mentiras
e está sempre planejando fazer maldades.
O que ele diz a respeito do Senhor é falso;
ele faz estas coisas que Deus detesta:
nega comida aos que têm fome
e água aos que estão com sede.

7 O malandro faz trapaças;
inventa mentiras para prejudicar a causa dos pobres,
mesmo quando eles têm razão.

8 Mas quem é direito faz planos honestos
e é correto em tudo o que faz.



Mensagem para as mulheres de Jerusalém

9 Mulheres desocupadas, escutem o que eu vou dizer;
prestem atenção, mulheres que não se preocupam com nada!

10 Daqui a pouco mais de um ano, vocês ficarão aflitas,
pois não haverá colheita de uvas.

11 Vocês têm tido uma vida sem preocupações,
mas agora tremam e fiquem aflitas.
Tirem as suas roupas
e vistam roupas feitas de pano grosseiro.

12 Batam no peito em sinal de tristeza;
chorem porque as terras boas e as parreiras carregadas de uvas
foram destruídas.

13 Espinheiros e mato crescerão na terra do meu povo.
Chorem por causa da cidade que era tão alegre,
por causa das casas que estavam cheias de pessoas felizes!

14 O palácio será abandonado, a cidade ficará vazia,
e as fortalezas virarão montes de ruínas para sempre.
Ali os jumentos selvagens andarão à vontade,
e os rebanhos pastarão.



Um tempo de paz e de justiça

15 Mas Deus derramará sobre nós o seu Espírito;
então o deserto virará um campo fértil,
e as terras cultivadas darão melhores colheitas.

16 No país, haverá justiça por toda parte;
todos farão o que é direito.

17 A justiça trará paz e tranquilidade,
trará segurança que durará para sempre.

18 O meu povo viverá em lugares seguros;
todos estarão em paz e segurança nas suas casas.

19 (Uma chuva de pedra destruirá a floresta,
e a cidade será arrasada.)

20 Todos vocês serão felizes;
terão muita água para as suas plantações
e pastos seguros para os seus jumentos e o seu gado.



Isaías 33

Sofrimento e salvação

1 Ai de você, inimigo destruidor que nunca foi destruído!
Ai de você, traidor que nunca foi traído!
Quando você acabar de destruir, será destruído;
quando acabar de trair, será traído.

2 Ó Senhor Deus, tem compaixão de nós,
pois esperamos que nos ajudes.
Sê o nosso protetor todos os dias,
sê o nosso Salvador em tempos de dificuldades.

3 Os povos fogem quando ouvem o estrondo da tua voz.
Quando ages, as nações se espalham,

4 e os inimigos delas, como uma nuvem de gafanhotos,
levam embora tudo o que elas têm.

5 O Senhor é majestoso, pois mora nas alturas;
ele encherá Sião de justiça e de honestidade

6 e fará com que o seu povo viva em segurança,
dando-lhe salvação completa, sabedoria e conhecimento.
O temor do Senhor é o tesouro mais precioso que o seu povo tem.

7 Os soldados valentes estão se lamentando nas ruas,
e os embaixadores que procuravam fazer a paz choram amargamente.

8 As estradas estão vazias,
ninguém viaja por elas.
Os acordos são quebrados,
os tratados são desfeitos;
ninguém é respeitado.

9 As terras do país vão se gastando e se desfazendo;
as florestas dos montes Líbanos estão secas,
o vale de Sarom virou um deserto,
e na região de Basã e no monte Carmelo
as árvores perderam as suas folhas.



Mensagem para os inimigos

10 O Senhor diz aos povos:
“Agora, eu vou agir;
vou mostrar o meu poder e a minha grandeza.

11 O que vocês inventam vale menos do que a palha;
o que vocês planejam é tão sem valor como o lixo.
O meu sopro, como um fogo, os destruirá.

12 Vocês vão virar cinzas;
queimarão como espinhos jogados no fogo.

13 Vocês todos, os que estão longe e os que estão perto,
escutem o que eu fiz
e reconheçam o meu poder!”

14 Em Sião, os pecadores tremem de medo;
cheios de pavor, eles perguntam:
“Quem poderá viver perto desse fogo devorador,
perto dessas chamas que não param de queimar?”

15 Somente poderá fazer isso quem age corretamente
e sempre diz a verdade;
que não fica rico à custa dos fracos,
nem aceita dinheiro para torcer a justiça;
que não se junta com os que planejam crimes de morte,
nem concorda com os planos dos maus.

16 Quem age assim viverá seguro,
e em fortalezas feitas de pedras ele encontrará refúgio;
ele sempre terá comida,
e nunca lhe faltará água para beber.



Esperança para o povo de Deus

17 Mais uma vez vocês verão um rei com toda a sua glória,
governando um país imenso.

18 Vocês pensarão no medo que sentiram no passado e perguntarão:
“Onde estão aqueles que nos forçavam a pagar tributos,
aqueles que cobravam os impostos?
Onde estão os que controlavam as nossas fortalezas?”

19 Vocês nunca mais verão aquele povo orgulhoso,
aquela gente que fala uma língua estranha,
uma língua difícil que ninguém entende.

20 Vejam Sião, a cidade onde fazemos as nossas festas!
Jerusalém será uma cidade segura,
será como uma barraca que não pode ser mudada de lugar;
nenhuma das suas estacas será arrancada,
e nenhuma das suas cordas será arrebentada.

21 Ali estará conosco o Senhor, o nosso glorioso Deus.
Jerusalém será um lugar de grandes rios e ribeirões,
mas neles não navegarão os barcos dos inimigos
nem os seus grandes navios a vela.

22-23 As cordas desses navios estão frouxas:
o mastro não fica firme,
e as velas não podem ser estendidas.
Assim pegaremos todas as riquezas do inimigo;
serão tantas, que até os aleijados conseguirão pegar a sua parte.
Pois o Senhor é o nosso Juiz,
é ele quem nos governa;
o Senhor é o nosso Rei,
é ele quem vai nos salvar.

24 Nenhum morador de Jerusalém ficará doente,
e os pecados de todos serão perdoados.



Isaías 34

Deus castigará as nações

1 Venham, nações, e escutem,
reúnam-se, povos, e prestem atenção!
Que a terra inteira escute,
e que ouçam todos os que nela vivem!

2 O Senhor está irado com todas as nações,
está furioso com todos os seus exércitos;
ele já os condenou à morte e à destruição.

3 Os mortos ficarão onde caíram,
e o mau cheiro se espalhará por toda parte;
rios de sangue descerão das montanhas.

4 O sol, a lua e as estrelas serão destruídos,
o céu se enrolará como a página de um livro.
Todas as estrelas cairão do céu,
como caem as folhas da parreira ou da figueira.

5 A espada do Senhor está pronta no céu.
O Senhor condenou o povo de Edom à destruição
e com a sua espada matará os edomitas.

6 A espada ficará coberta de sangue e de gordura,
como acontece com o sangue e a gordura das ovelhas e dos cabritos
que são oferecidos em sacrifício.
O Senhor matará os edomitas
e os oferecerá como sacrifício na cidade de Bosra.

7 Com eles, também serão mortos os bois selvagens,
os bezerros e os touros novos;
a terra ficará encharcada de sangue,
e o chão ficará coberto de gordura.

8 Pois esse será o dia da vingança de Deus, o Senhor,
o dia em que ele acertará as contas com os inimigos de Sião.

9 Os rios de Edom vão virar piche,
a terra vai virar enxofre;
o país inteiro queimará como piche.

10 O fogo nunca se apagará,
e a fumaça não parará de subir.
O país ficará arrasado para sempre,
e nunca mais ninguém passará por ele.

11 Corujas e corvos serão os donos do país
e construirão os seus ninhos por toda parte.
O Senhor fará com que o país
seja de novo um lugar vazio, sem nenhum ser vivente,
como era no começo da criação do mundo.

12 Edom não terá um rei para governá-lo,
e ali já não existirão mais autoridades.

13 Espinheiros crescerão nas mansões,
o mato tomará conta das fortalezas;
Edom será um lugar onde viverão raposas e avestruzes.

14 Os gatos do mato e outros animais selvagens morarão ali;
demônios chamarão uns aos outros,
e ali a bruxa do deserto encontrará um lugar para descansar.

15 Ali as corujas farão os seus ninhos,
porão ovos, e os chocarão,
e abrigarão os filhotes debaixo das suas asas;
ali também os urubus se juntarão,
cada um com os seus companheiros.

16 Procurem no livro do Senhor e leiam:
nenhuma dessas criaturas ficará faltando,
todas estarão lá com os seus companheiros.
Pois o Senhor ordenou que assim fosse,
e o seu Espírito as ajuntará.

17 O Senhor dividirá a terra de Edom entre elas
e dará a cada uma a sua parte.
Ali elas viverão por séculos e séculos,
e aquela terra será delas para sempre.

Isaías 27 a 30 (dia 180)

Isaías 27

1 Naquele dia, o Senhor pegará a espada,
a sua espada enorme, forte e pesada,
e ferirá o monstro Leviatã,
a serpente que se torce e se enrola;
o Senhor matará o monstro que vive no mar.

2 Naquele dia, o Senhor dirá:
“Cantem louvores à minha bela plantação de uvas!

3 Eu cuido dela e sempre a rego;
eu a vigio de dia e de noite
para que ninguém a estrague.

4 Não estou mais irado com ela;
se os espinheiros e o mato a ameaçarem,
eu os atacarei e destruirei com fogo.

5 Se os inimigos do meu povo querem a minha proteção,
então que façam as pazes comigo,
sim, que façam as pazes comigo.”

6 Chegará o dia em que o povo de Israel,
como uma árvore viçosa,
criará raízes, brotará, e florescerá,
e dará frutas que encherão o mundo inteiro.

7 O Senhor não castigou os israelitas tão duramente
como castigou os inimigos deles;
os israelitas que Deus matou foram poucos,
mas os assassinos deles que ele matou foram muitos.

8 Ele castigou o seu povo,
enviando-os como prisioneiros para outro país.
Ele os expulsou com o seu sopro forte,
tão forte como o vento leste.

9 Mas os pecados do povo serão perdoados,
e a sua culpa será tirada.
Isso acontecerá quando o povo destruir os altares pagãos
e fizer as suas pedras virarem pó,
como se fossem pedras de cal,
e quando destruir todos os postes da deusa Aserá e os altares de incenso.

10 A cidade protegida por muralhas está vazia;
ninguém mais mora ali,
e ela parece um deserto.
Virou pasto para o gado,
onde os animais pastam e descansam.

11 Os galhos das árvores estão secos e quebrados;
as mulheres os apanham para fazer fogo.
Esse povo não entende nada,
e por isso Deus, o seu Criador,
não terá dó nem piedade deles.

12 Naquele dia, o Senhor Deus vai tirar o seu povo do meio de todos os outros povos, desde o rio Eufrates até a fronteira do Egito. Como o trigo é malhado e os grãos são separados da palha, assim os israelitas serão todos separados e ajuntados um por um.
13 Naquele dia, uma grande trombeta será tocada, e os israelitas que estavam perdidos na Assíria e os que tinham sido levados como prisioneiros para o Egito voltarão para a sua terra e adorarão a Deus, o Senhor, no monte sagrado de Jerusalém.



Isaías 28

Mensagem para Israel, o Reino do Norte

1 Ai de Samaria,
orgulho e coroa dos bêbados de Israel!
Ai dessa bela cidade que fica acima de terras boas!
Os seus moradores estão embriagados,
e a beleza da cidade desaparece como uma flor que murcha.

2 O Senhor vai enviar um homem forte e valente;
ele virá como uma chuva de pedra,
como uma tempestade destruidora,
como violentas trombas-d’água.
Ele arrasará tudo!

3 Samaria, orgulho e coroa dos bêbados de Israel,
será pisada.

4 A bela cidade que fica acima de terras boas,
cuja beleza desaparece como uma flor que murcha,
será como o primeiro figo maduro do verão:
logo que amadurece, alguém o apanha e come.

5 Naquele dia, o Senhor Todo-Poderoso será como uma bela coroa de flores
para a gente do seu povo que ficar com vida.

6 Aos juízes ele dará o desejo de fazer justiça;
e aos que defendem a cidade contra o inimigo
ele dará coragem.



Mensagem para Judá, o Reino do Sul

7 Mas há outros que também andam tontos por terem bebido muito vinho,
que não podem ficar de pé por causa das bebidas:
são os sacerdotes e os profetas, que vivem embriagados e tontos.
Os profetas, quando recebem visões de Deus, estão bêbados,
e os sacerdotes também, quando julgam os casos no tribunal.

8 As suas mesas estão cobertas de vômito,
não há um só lugar que esteja limpo.

9 Eles falam mal de mim e perguntam:
“A quem é que esse profeta está querendo ensinar?
Será que ele pensa que vai explicar a mensagem para nós?
Será que somos bebês desmamados há pouco tempo?

10 Ele está pensando que nós somos crianças
e quer nos ensinar o beabá.”

11 Se vocês não quiserem ouvir o que eu digo,
então o Senhor falará com vocês
por meio de estrangeiros, que falam uma língua estranha.

12 Há tempo, eu disse a vocês:
“Deus lhes dará descanso;
ele lhes dará segurança.
Aqui vocês estarão seguros.”
Mas vocês não quiseram ouvir.

13 Por isso, o Senhor vai ensinar-lhes o beabá,
como se vocês fossem crianças.
Então vocês tentarão andar, mas cairão de costas;
serão feridos, cairão em armadilhas e serão presos.



Cuidado com a falsa segurança!

14 Autoridades de Jerusalém,
homens orgulhosos que governam esse povo,
escutem a mensagem de Deus, o Senhor!

15 Vocês dizem:
“Fizemos um acordo com a morte,
já combinamos tudo com o mundo dos mortos.
Portanto, quando vier a terrível desgraça,
nós não sofreremos nada.”
Mas vocês estão confiando em mentiras
e pensam que a desonestidade os protegerá.

16 Por isso, o Senhor Deus diz:
“Estou colocando em Sião uma pedra,
uma pedra preciosa que eu escolhi,
para ser a pedra principal do alicerce.
Nela está escrito isto:
‘Quem tem fé não tem medo.’

17 Como prumo, usarei a justiça,
e a honestidade será a minha medida.”
Os abrigos em que vocês confiam não são seguros;
eles serão destruídos por chuvas de pedra,
serão arrasados por trombas-d’água.

18 O acordo que vocês fizeram com a morte será anulado,
o que vocês combinaram com o mundo dos mortos será desfeito.
E, quando chegar a terrível desgraça,
ela os arrastará como se fosse uma enchente.

19 Todas as vezes que chegar, ela os arrastará;
chegará todos os dias, de manhã e de noite.
Cada mensagem de Deus trará um novo pavor.

20 Vocês serão como o homem de que fala aquele provérbio:
“A cama é tão curta, que ele não pode se deitar,
o cobertor é tão estreito, que não dá para ele se cobrir.”

21 Pois o Senhor vai se levantar,
como se levantou no monte Perazim;
ele vai ficar irado,
como ficou no vale de Gibeão.
Ele vai realizar o seu plano misterioso;
vai fazer o seu trabalho estranho.

22 Portanto, parem de zombar;
se não, as correntes que os prendem serão apertadas ainda mais.
Pois ouvi o Senhor, o Deus Todo-Poderoso,
ordenar a destruição do país inteiro.



A sabedoria de Deus

23 Escutem o que vou dizer! Deem atenção à minha mensagem! 24 Um homem que está preparando o terreno para semear trigo não gasta todo o seu tempo arando a terra, cavando e remexendo nela. 25 Depois de ter aplanado a terra, ele semeia o endro e o cominho e planta o trigo, a cevada e outros cereais nos lugares certos. 26 Ele faz tudo direito porque Deus o ensinou. 27 E no tempo da colheita ele não usa um instrumento pesado para debulhar os grãos de endro e de cominho; pelo contrário, ele usa varas pequenas e leves. 28 Quando malha o trigo, ele não continua malhando até quebrar os grãos. Ele sabe passar a carreta por cima das espigas sem esmagar os grãos. 29 Esse conhecimento também vem do Senhor Todo-Poderoso. Os seus planos são maravilhosos, e ele é sábio em tudo o que faz.



Isaías 29

Mensagem contra Jerusalém

1 Ai de Jerusalém, o altar de Deus,
a cidade onde o rei Davi armou o seu acampamento!
Deixem passar alguns anos
com as suas festas religiosas,

2 e então Deus castigará a cidade que se chama “O Altar de Deus”.
Os seus moradores chorarão e se lamentarão;
a cidade ficará parecendo um altar coberto de sangue.

3 Deus enviará um exército para atacar a cidade;
os soldados inimigos a cercarão
e levantarão rampas de ataque contra as muralhas.

4 A cidade será arrasada,
e os seus moradores ficarão caídos no chão;
falarão como se fossem espíritos,
cochichando e murmurando como fantasmas.

5-6 Mas, de repente, num instante,
o Senhor Todo-Poderoso atacará os inimigos,
aquela multidão de estrangeiros.
Com trovões, terremotos e estrondos,
com ventanias, tempestades e fogo devorador,
ele fará os inimigos virarem um pó fino;
eles serão como a palha que o vento carrega.

7 Aí todos os inimigos que estiverem atacando “O Altar de Deus”,
todos os exércitos que estiverem cercando a cidade com rampas de ataque
desaparecerão como se fossem um sonho ou uma visão.

8 Todas as nações que atacarem o monte Sião
serão como um homem faminto que sonha que está comendo
e acorda ainda com fome;
serão como uma pessoa sedenta que sonha que está bebendo água
e acorda ainda com sede.



Aviso para os moradores de Jerusalém

9 Continuem sendo tolos, se quiserem!
Continuem cegos, se preferirem!
E, sem terem tomado vinho ou cerveja,
fiquem bêbados e andem por aí tontos.

10 Pois o Senhor Deus fez com que vocês caíssem num sono profundo;
ele cobriu as cabeças de vocês e fechou os seus olhos.
As cabeças e os olhos são os profetas,
que não veem as visões que Deus envia.
11 Agora, para vocês, todas as visões são como se fossem uma mensagem escrita num livro fechado e lacrado. Se levarem o livro para alguém que sabe ler e pedirem que leia a mensagem, a pessoa dirá: “Não posso; o livro está lacrado.”

12 E, se pedirem a alguém que não sabe ler, a pessoa dirá: “Não sei ler.”

13 O Senhor diz:
“Esse povo ora a mim com a boca
e me louva com os lábios,
mas o seu coração está longe de mim.
A religião que eles praticam
não passa de doutrinas e ensinamentos humanos
que eles só sabem repetir de cor.

14 Por isso, mais uma vez vou deixar esse povo espantado
com as coisas estranhas e terríveis que farei no meio dele.
Com toda a sua sabedoria, os seus sábios não poderão explicá-las,
e o conhecimento dos que são instruídos não adiantará nada.”

15 Ai dos que escondem os seus planos do Senhor,
que fazem as suas maldades na escuridão e dizem:
“Ninguém nos pode ver! Ninguém sabe o que estamos fazendo!”

16 Vocês invertem as coisas,
como se o barro valesse mais do que o oleiro!
O pote não vai dizer ao homem que o fez:
“Você não me fez.”
Uma vasilha não dirá ao oleiro:
“Você não sabe o que está fazendo.”



Promessa de salvação

17 Daqui a pouco, as matas virgens vão virar jardins,
e os jardins voltarão a ser mato.

18 Naquele dia, os surdos ouvirão a mensagem que será lida no livro fechado e lacrado,
e os cegos ficarão livres da escuridão e poderão ver.

19 O Senhor dará alegria aos necessitados,
o Santo Deus de Israel fará com que os pobres fiquem alegres.

20 Pois Deus acabará com os que exploram o seu povo;
os que zombam de Deus serão destruídos,
e os que fazem planos para prejudicar os outros desaparecerão.

21 Deus acabará com os que acusam os outros falsamente;
acabará com os que procuram enganar os juízes
e com os que, por meio de mentiras, conseguem que os inocentes sejam condenados.

22 Portanto, o Senhor, que livrou Abraão de perigos, diz o seguinte a respeito do povo de Israel:
“O meu povo não ficará desiludido outra vez,
eles nunca mais sentirão vergonha.

23 Pois, quando virem o que vou fazer no meio deles,
confessarão que o meu nome é santo,
reconhecerão que eu sou o Santo Deus de Israel
e me temerão.

24 Então os que perderam o juízo se tornarão sábios,
e os que se revoltaram contra mim
aceitarão os meus ensinamentos.”



Isaías 30

Mensagem contra o acordo com o Egito

1 O Senhor Deus diz:

“Ai dos meus filhos que se revoltam contra mim,
que fazem planos sem me consultarem
e assinam acordos sem a minha aprovação!
Assim amontoam pecado em cima de pecado.

2 Pois, sem me pedirem licença,
as autoridades de Judá foram ao Egito
pedir socorro ao seu rei,
pois confiavam no seu poder para proteger Judá.

3 Mas em vez de socorro virá a desilusão,
e em vez de proteção haverá humilhação.

4 Os embaixadores de Judá já chegaram ao Egito,
às cidades de Zoã e de Hanes.

5 Mas eles só sentirão vergonha,
pois os egípcios não os ajudarão em nada;
pelo contrário, serão motivo de vergonha e humilhação.”

6 Esta é a mensagem de Deus a respeito das feras da região Sul.
“Os embaixadores atravessam uma região perigosa e difícil,
onde há leões, cobras e dragões voadores.
Nas costas dos seus jumentos e dos seus camelos,
vão os presentes e as riquezas
que eles levam para um povo que não pode socorrê-los;

7 pois a ajuda do Egito não vale nada.
Por isso, estou pondo no Egito o apelido de ‘O Dragão Manso’.”

8 O Senhor Deus me disse:
“Escreva a mensagem numa tábua
a fim de que fique registrada para sempre
como testemunha eterna contra o povo.

9 Pois são gente rebelde, pessoas mentirosas,
que não querem ouvir a lei do Senhor.

10 Eles pedem aos videntes que não tenham visões
e dizem aos profetas:
‘Não nos anunciem a verdade;
inventem coisas que nos agradem.

11 Deem o fora! Parem de nos amolar!
Não nos falem mais a respeito do Santo Deus de Israel!’ ”

12 Por isso, o Santo Deus de Israel diz ao seu povo:
“Vocês rejeitam a minha mensagem
e põem a sua confiança e a sua fé na violência e na mentira.

13 Portanto, esse pecado vai trazer a ruína para vocês;
ele será como uma brecha que vai se abrindo num muro alto:
de repente, o muro desmorona e cai no chão.

14 Vocês serão completamente destruídos,
como um vaso de barro que se quebra:
não sobra nem um caco que sirva
para tirar brasas do fogo
ou para tirar água do poço.”

15 O Senhor, o Santo Deus de Israel, diz ao seu povo:
“Se voltarem para mim e ficarem calmos, vocês serão salvos;
fiquem tranquilos e confiem em mim,
e eu lhes darei a vitória.
Mas vocês não quiseram fazer o que eu disse.

16 Pelo contrário, disseram assim:
‘Não! Nós vamos montar cavalos ligeiros
e assim escaparemos do inimigo!’
Pois fujam, se puderem;
mas os cavalos dos inimigos são mais ligeiros do que os seus.

17 Mil de vocês fugirão de um só inimigo que os atacar,
cinco inimigos farão com que todos vocês fujam.
Os poucos que restarem parecerão um mastro de bandeira
sozinho no alto de um morro.”



Deus abençoará o seu povo

18 No entanto, o Senhor continua esperando porque ele quer ser bondoso e ter compaixão de vocês; pois ele é Deus que faz o que é direito. Felizes são aqueles que põem a sua esperança nele! 19 Povo de Jerusalém, moradores de Sião, vocês não vão chorar mais. Quando vocês clamarem pedindo socorro, o Senhor Deus ficará com pena de vocês; ele os ouvirá e atenderá. 20 O Senhor lhes dará o pão de dores e a água do sofrimento, mas não se esconderá de vocês. Ele é o seu mestre, e vocês o encontrarão quando quiserem. 21 Se vocês se desviarem do caminho, indo para a direita ou para a esquerda, ouvirão a voz dele atrás de vocês, dizendo: “O caminho certo é este; andem nele.”

22 Vocês pegarão as suas imagens revestidas de prata e os seus ídolos folheados a ouro e os jogarão fora como se fossem coisas impuras. Vocês dirão a eles: “Fora daqui!”
23 Quando vocês espalharem as sementes nos seus campos, o Senhor mandará chuva, e as colheitas serão boas. Haverá muito pasto para o gado, 24 e os bois e jumentos que vocês usam para arar os campos comerão da melhor ração, preparada cuidadosamente e misturada com sal. 25 Quando chegar o dia em que os inimigos forem mortos e as suas fortalezas destruídas, rios e riachos jorrarão de todos os morros e de todas as montanhas.

26 Quando o Senhor tratar as feridas do seu povo e curar os ferimentos que ele mesmo causou, a lua brilhará tanto como o sol, e a luz do sol será sete vezes mais forte, como se num só dia brilhasse a luz de sete dias.



Deus castigará a Assíria

27 Atenção! O Senhor Deus vem de longe;
é ele mesmo que vem!
Ele chega furioso, no meio de grossas nuvens de fumaça.
Cheio de ira, ele fala;
as suas palavras são como um fogo devorador.

28 O sopro do Senhor é como uma enchente
que sobe até o pescoço das pessoas.
O Senhor peneira os povos como se fossem trigo,
e os joga fora como se fossem palha.
Ele põe freios na sua boca
e os leva por caminhos errados.

29 Mas vocês cantarão de alegria
como fazem nas noites das festas sagradas;
vocês ficarão felizes
como os que, ao som da música de flautas,
sobem o monte sagrado para adorar o Senhor,
o forte protetor de Israel.

30 A voz majestosa do Senhor será ouvida por todos,
e ele mostrará a sua ira furiosa.
Haverá fogo devorador, trombas-d’água,
tempestades e chuvas de pedra;
e ele levantará o forte braço para castigar.

31 Os assírios ficarão apavorados ao ouvirem a voz do Senhor,
ao sentirem o peso do seu castigo.

32 Ao som de tambores e de liras,
o Senhor surrará os assírios com o seu bastão;
ele mesmo lutará contra eles.

33 Há muito tempo está preparada para o rei da Assíria
uma fogueira em que ele será queimado.
Ela está num lugar fundo e largo,
e há bastante lenha para queimar.
Como um rio de enxofre,
o sopro do Senhor porá fogo na lenha.