Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Isaías 59 a 62 (dia 188)

CAPÍTULO 59

Os pecados do povo são condenados

1Vocês estão pensando que o Senhor perdeu a força
e não pode nos salvar?
Ou pensam que ele está surdo e não pode nos ouvir?
2Pois são os pecados de vocês que os separam do seu Deus,
são as suas maldades que fazem com que ele se esconda de vocês
e não atenda as suas orações.
3Vocês têm as mãos manchadas de sangue
e os dedos sujos de crimes;
vocês só sabem contar mentiras,
e os seus lábios estão sempre dizendo coisas que não prestam.
4Não é para procurar a justiça que vão ao tribunal,
e ninguém diz a verdade ao juiz.
Todos confiam em mentiras e falsidades;
inventam maldades e praticam crimes.
5Os seus planos perversos são como os ovos de uma cobra venenosa:
quem come os ovos morre,
e, se um se quebra,
dele sai outra cobra venenosa.
Os seus planos não prestam para nada;
parecem teias de aranha;
6elas não servem para fazer roupa,
e ninguém pode se vestir com elas.
Tudo o que vocês fazem é mau,
todas as suas ações são criminosas.
7Vocês correm para fazer o que é errado
e se apressam para matar pessoas inocentes;
vocês pensam somente em maltratar os outros
e, por onde passam, deixam a destruição e a desgraça.
8Não conhecem o caminho da paz,
e todas as suas ações são injustas.
Vocês preferem seguir caminhos errados
e por isso não têm segurança.



O povo confessa os seus pecados

9Deus ainda não nos salvou, pois temos pecado,
e por isso ele demora em nos socorrer.
Procuramos a luz, mas só encontramos a escuridão;
buscamos lugares claros, mas continuamos nas trevas.
10Andamos apalpando as paredes como se fôssemos cegos,
como se não tivéssemos olhos;
ao meio-dia tropeçamos como se fosse de noite
e, em plena flor da idade, parecemos mortos.
11Rugimos como ursos assustados,
gememos como pombas;
esperamos a salvação, porém ela demora;
desejamos socorro, mas ele está longe de nós.
12Temos pecado muito contra ti, ó Deus,
e os nossos pecados nos acusam.
Não podemos esquecer as nossas maldades;
reconhecemos que somos culpados.
13Não temos sido fiéis, temos nos revoltado contra ti
e nos afastado de ti, o nosso Deus.
Temos falado de crimes e de revoltas
e temos feito planos para enganar os outros.
14A justiça é posta de lado,
e o direito é afastado.
A verdade anda tropeçando no tribunal,
e a honestidade não consegue chegar até lá.
15A verdade desapareceu,
e os que procuram ser honestos são perseguidos.



Deus salvará o seu povo

O Senhor se desgostou
ao ver que não havia justiça.
16Ele ficou espantado
quando viu que não havia ninguém que socorresse o seu povo.
Então com a sua própria força ele venceu
e, por ser o Deus justo,
conseguiu a vitória.
17O Senhor vestiu a couraça da justiça
e pôs na cabeça o capacete da salvação;
a vingança lhe serviu de roupa,
a sua ira foi a capa que usou.
18Ele dará a cada um o castigo que merece.
Na sua ira, castigará os seus inimigos,
e povos de países distantes receberão o que merecem.
19Todos, desde o Leste até o Oeste,
temerão o Senhor e o seu poder.
Pois ele virá como uma forte correnteza
que é levada por um vento furioso.
 
 20O Senhor Deus diz:

“Eu virei a Sião como Redentor
para salvar as pessoas do meu povo que se arrependerem.”


21O Senhor diz ao seu povo:
 
— Esta é a aliança que vou fazer com vocês: o meu Espírito, que eu lhes dei, e os meus ensinamentos, que eu lhes entreguei, ficarão com vocês para sempre. Vocês os ensinarão aos seus filhos e aos seus descendentes, agora e para sempre. Eu, o Senhor, falei.
 


CAPÍTULO 60

A beleza da nova Jerusalém

1Levante-se, Jerusalém!
Que o seu rosto brilhe de alegria,
pois já chegou a sua luz!
A glória do Senhor está brilhando sobre você.
2A terra está coberta de escuridão,
os povos vivem nas trevas,
mas a luz do Senhor está brilhando sobre você;
sobre você aparece a glória de Deus.
3Atraídos pela sua luz, Jerusalém,
os povos do mundo virão;
o brilho do seu novo dia
fará com que os reis cheguem até você.
4Jerusalém, olhe em redor e veja o que está acontecendo!
Os seus filhos estão voltando, eles estão chegando!
Os seus filhos vêm de longe,
as suas filhas vêm nos braços das mães.
5Quando você vir isso, ficará radiante de alegria;
cheio de emoção, o seu coração baterá forte.
Os povos que vivem no outro lado do mar virão,
trazendo todas as suas riquezas para você.
6Os povos de Midiã e de Efa chegarão
com enormes caravanas de camelos;
virá também o povo de Sabá,
trazendo ouro e incenso.
Todos eles anunciarão as grandes coisas que o Senhor fez.
7De Quedar e de Nebaiote, virão carneiros
que serão oferecidos no altar de Deus
como sacrifícios que agradam a ele.

O Senhor fará com que o seu lindo Templo
seja mais belo ainda.
8Que navios são esses que vêm deslizando como nuvens,
como pombas voltando ao pombal?
9São navios que vêm de longe;
os maiores vêm na frente,
trazendo o povo de Deus de volta para o seu país.
Trazem também prata e ouro
para oferecer ao Senhor, o Santo Deus de Israel,
que deu a vocês, o seu povo, muita glória.
10O Senhor diz a Jerusalém:

“Estrangeiros reconstruirão as suas muralhas,
e os reis deles trabalharão para você.
Eu estava irado e por isso a castiguei,
mas eu a amo e tenho compaixão de você.
11Os seus portões ficarão sempre abertos,
não serão fechados nem de dia nem de noite,
para que as nações, guiadas pelos seus reis,
tragam as suas riquezas para você.
12As nações que não a servirem serão destruídas;
elas serão completamente arrasadas.”

13“Cipreste, pinheiro e zimbro,
que são as melhores madeiras do Líbano,
serão trazidos para você
a fim de tornarem ainda mais belo o meu Templo,
o estrado onde descanso os meus pés.
14Também virão os filhos dos reis que a exploraram e maltrataram
e se ajoelharão em frente de você;
todos os que a desprezaram virão até você
e encostarão o rosto no chão.
Você será chamada de ‘Cidade do Senhor’,
a ‘Sião do Santo Deus de Israel’.”

15“Nunca mais você será odiada,
nunca mais será uma cidade abandonada, sem moradores;
eu farei com que você seja bela e poderosa,
com que seja para sempre uma cidade alegre.
16Nações e reis estrangeiros cuidarão de você,
como a mãe que dá de mamar ao filho.
Então você ficará sabendo que eu, o Senhor, sou o seu Salvador,
que eu, o Poderoso Deus de Israel, sou o seu Redentor.”

17“Em vez de bronze, eu trarei ouro para você,
e prata, em vez de ferro;
trarei bronze e ferro, em vez de madeira e pedras.
Farei com que a paz seja o seu rei
e com que a justiça a governe.
18Nunca mais haverá violência na sua terra;
o seu país não será destruído e arrasado novamente;
você chamará as suas muralhas de ‘Salvação’
e os seus portões de ‘Louvor a Deus’.”

19“Nunca mais o sol a iluminará de dia,
nem a lua, de noite;
pois eu, o Senhor, serei para sempre a sua luz,
e a minha glória brilhará sobre você.
20Eu serei o seu sol e a sua lua,
um sol que nunca se põe, uma lua que não para de brilhar.
A minha luz brilhará sobre você para sempre,
e os seus dias de luto chegarão ao fim.
21O seu povo fará o que é direito
e para sempre será dono da Terra Prometida.

Eles são a planta que eu plantei;
com as minhas próprias mãos, eu os fiz
para que eles mostrem a todos a minha grandeza.
22Este punhado de gente será um povo numeroso;
esta nação, tão pequena, será a mais poderosa de todas.
Eu sou o Senhor
e logo, no tempo certo, farei com que isso aconteça.”



CAPÍTULO 61

A salvação de Israel

1O Senhor Deus me deu o seu Espírito,
pois ele me escolheu para levar boas notícias aos pobres.
Ele me enviou para animar os aflitos,
para anunciar a libertação aos escravos
e a liberdade para os que estão na prisão.

2Ele me enviou para anunciar
que chegou o tempo em que o Senhor salvará o seu povo,
que chegou o dia em que o nosso Deus se vingará dos seus inimigos.
 
Ele me enviou para consolar os que choram,
3para dar aos que choram em Sião
uma coroa de alegria, em vez de tristeza,
um perfume de felicidade, em vez de lágrimas,
e roupas de festa, em vez de luto.

Eles farão o que é direito;
serão como árvores que o Senhor plantou
para mostrar a todos a sua glória.
4Eles reconstruirão casas que haviam caído
e cidades que tinham sido arrasadas
e que há muitos anos estavam em ruínas.

5Meu povo, estrangeiros virão e cuidarão
das suas ovelhas, das suas plantações e das suas parreiras.
6E vocês serão conhecidos como sacerdotes do Senhor,
como servos do nosso Deus.
As riquezas das outras nações serão de vocês,
e vocês se orgulharão de serem donos dessa imensa fortuna.
7A vergonha e a desgraça que vocês passaram
eram duas vezes mais do que mereciam;
mas agora vocês viverão no seu país,
onde receberão o dobro de riquezas
e serão felizes para sempre.

 
 8O Senhor diz:
 
“Eu amo a justiça e odeio o roubo e o crime.
Serei fiel, e darei ao meu povo a sua recompensa,
e farei com ele uma aliança eterna.
9Os seus descendentes serão famosos em todas as nações;
todos os que os virem
reconhecerão que eles são um povo que eu abençoei.”



Hino de louvor dos moradores de Jerusalém

10Nós nos alegraremos e cantaremos um hino de louvor
por causa daquilo que o Senhor, nosso Deus, fez.
Ele nos vestiu com a roupa da salvação
e com a capa da vitória.
Somos como um noivo que põe um turbante de festa na cabeça,
como uma noiva enfeitada com joias.
11Assim como a terra faz crescer as árvores,
e no jardim o chão faz brotar o que foi semeado,
também o Senhor Deus fará com que brote a sua salvação.
E todas as nações cantarão hinos de louvor a ele.



 CAPÍTULO 62
 
Jerusalém, a esposa de Deus, o Senhor

1Eu amo Sião e por isso não me calarei;
não descansarei até que a sua vitória brilhe como o sol,
e a sua salvação brilhe como uma tocha acesa.
 
2Jerusalém, todas as nações verão a sua vitória,
todos os reis ficarão admirados com a sua beleza.
Você terá um novo nome,
um nome que o Senhor lhe dará.
3Você será como uma bela coroa
que pertence ao Senhor, seu Deus.
 
4Nunca mais a chamarão de “Abandonada”,
e a sua terra não será mais chamada de “Arrasada”.
Você será chamada de “Minha querida”,
e a sua terra, de “Minha esposa”.
Pois o Senhor está contente com você,
e a sua terra será a esposa dele.
 
5Assim como um moço casa com a sua noiva,
também aquele que a construiu casará com você;
assim como o noivo fica feliz com a noiva,
também o seu Deus se alegrará com você.
 
6Nas muralhas de Jerusalém,
o Senhor colocou vigias,
que não deverão ficar calados
nem de dia nem de noite.
 
Vocês, vigias, que fazem com que Deus lembre das suas promessas,
não descansem,
7nem deixem que ele descanse
até que tenha reconstruído Jerusalém,
fazendo dela uma cidade elogiada no mundo inteiro.

 
8Com o seu forte braço direito levantado,
o Senhor fez ao seu povo este juramento:
 
Nunca mais deixarei que o seu trigo
seja comido pelos seus inimigos,
nem permitirei que o seu vinho,
que vocês fizeram com tanto trabalho,
seja bebido por estrangeiros.
 
9Vocês mesmos colherão o seu trigo,
comerão o pão e louvarão a mim, o Senhor.
Vocês mesmos colherão as suas uvas
e beberão o vinho nos pátios do meu Templo.”
 
10Moradores de Jerusalém, saiam da cidade
e preparem o caminho para o seu povo que está voltando.
Aplanem a estrada, tirem todas as pedras
e levantem uma bandeira como sinal
para que todos os povos saibam o que está acontecendo.
11Pelo mundo inteiro,
o Senhor anunciou esta mensagem:
 
“Digam ao povo de Jerusalém
que o seu Salvador está chegando.
Ele traz consigo o povo que ele salvou.”
 
12Vocês serão chamados de “Povo Santo”,
o “Povo que o Senhor Salvou”.
Jerusalém será chamada de “Aquela que Deus Ama”,
Cidade que Deus não Abandonou
.

sábado, 5 de abril de 2014

Isaías 55 a 58 (dia 187)

ISAÍAS 55

Deus oferece salvação a todos

1O Senhor Deus diz:
“Escutem, os que têm sede:
venham beber água!
Venham, os que não têm dinheiro:
comprem comida e comam!
Venham e comprem leite e vinho,
que tudo é de graça.

2Por que vocês gastam dinheiro com o que não é comida?
Por que gastam o seu salário com coisas que não matam a fome?
 

Se ouvirem e fizerem o que eu ordeno,
vocês comerão do melhor alimento, terão comidas gostosas.

3Escutem-me e venham a mim,
prestem atenção e terão vida nova.
Eu farei uma aliança eterna com vocês
e lhes darei as bênçãos que prometi a Davi.
 

4Eu fiz Davi chefe e líder dos povos,
e por meio dele viram o meu poder.
5E agora vocês darão ordens a povos estrangeiros,
povos que vocês não conheciam,
e eles virão correndo para obedecer-lhes.
 

Isso acontecerá porque eu, o Senhor, seu Deus,
o Santo Deus de Israel,
tenho dado poder e honra a vocês.”

6Procurem a ajuda de Deus
enquanto podem achá-lo;
orem ao Senhor
enquanto ele está perto.
 

7Que as pessoas perversas mudem a sua maneira de viver
e abandonem os seus maus pensamentos!
Voltem para o Senhor, nosso Deus,
pois ele tem compaixão e perdoa completamente.”

8O Senhor Deus diz:
“Os meus pensamentos não são como os seus pensamentos,
e eu não ajo como vocês.
9Assim como o céu está muito acima da terra,
assim os meus pensamentos e as minhas ações estão muito acima dos seus.

10A chuva e a neve caem do céu
e não voltam até que tenham regado a terra,
fazendo as plantas brotarem, crescerem
e produzirem sementes para serem plantadas
e darem alimento para as pessoas.


11Assim também é a minha palavra:
ela não volta para mim sem nada,
mas faz o que me agrada fazer
e realiza tudo o que eu prometo.


12“Vocês sairão alegres da Babilônia,
serão guiados em paz para a sua terra.
As montanhas e os morros cantarão de alegria;
todas as árvores baterão palmas.
 

13Onde agora só há espinheiros crescerão ciprestes,
murtas aparecerão onde agora só cresce o mato.
Isso será para vocês uma testemunha daquilo que eu fiz,
será um sinal eterno, que nunca desaparecerá.”

 


ISAÍAS 56

1O Senhor Deus diz ao seu povo:

“Sigam a justiça e façam o que é direito,
pois daqui a pouco eu vou livrá-los,
mostrando assim o meu poder salvador.
2Felizes são os que obedecem às leis a respeito do sábado!
Felizes os que não praticam o que é mau!” 

 


Promessas para os estrangeiros

3O estrangeiro que adora o Senhor
não deve dizer: “O Senhor vai me expulsar do seu povo.”
E um eunuco não deve pensar:
“Eu não posso ter filhos
e por isso não posso pertencer ao povo de Deus.”

4Pois o Senhor diz aos eunucos
[que obedecem às leis a respeito do sábado,
que fazem aquilo que Lhe agrada
e que são fiéis à Sua aliança:
 
5 Eu lhe] darei uma coisa melhor do que filhos e filhas.
Eu farei com que o seu nome seja escrito no meu Templo,
e ele fará parte do meu povo para sempre;
o seu nome nunca será esquecido.”

6E aos estrangeiros [que adorarem o Senhor,
que o amarem e o servirem fielmente,
que obedeceram às leis a respeito do sábado
e forem fiéis à minha aliança,]
o Senhor Deus diz:

“Eu os levarei ao meu monte santo,
e vocês ficarão felizes na minha casa de oração.
 
Eu aceitarei os sacrifícios e as ofertas
que vocês apresentarem no meu altar.
Pois a minha casa será chamada de
‘Casa de Oração’ para todos os povos.

8Vou trazer ainda outros para a terra de Israel
e juntá-los ao meu povo que eu já trouxe de volta.”

É isso o que diz o Senhor Deus,
que trouxe de volta para a terra de Israel
o seu povo que era prisioneiro em terras estrangeiras.



Deus condena as autoridades de Israel

9O Senhor Deus diz:

“Venham, animais selvagens,
venham e devorem o rebanho.
10Os guardas do meu povo são cegos;
eles não veem nada.
Todos são como cachorros mudos, que não podem latir;
estão sempre deitados, dormindo;
são uns preguiçosos que só gostam de dormir e sonhar.

11Esses cachorros são gulosos
e sempre querem mais comida.
Os pastores do meu rebanho não entendem nada;
todos seguem os seus próprios caminhos
e procuram os seus próprios interesses.

12Eles dizem uns aos outros:
‘Vamos procurar vinho e cerveja
e cair na bebedeira.
Amanhã, faremos a mesma coisa,
e ainda mais do que hoje!’”



ISAÍAS 57

1“As pessoas direitas morrem,
e ninguém se importa;
os bons desaparecem,
e ninguém percebe
[que os justos são levados embora
para serem poupados do mal].

2 Mas eles encontram a paz.
Os que vivem uma vida correta
descansam em paz na sepultura.”



Deus condena a idolatria

3O Senhor Deus diz:

“Venham cá para serem julgados,
seus filhos de uma feiticeira,
raça de adúlteros e prostitutas!
4De quem é que vocês estão zombando?
De quem é que caçoam com essas caretas?
Vocês são pecadores e mentirosos.”


5“Debaixo das árvores sagradas,
vocês se entregam à imoralidade
para adorar os deuses da fertilidade.
E nas fendas das rochas, perto dos ribeirões,
vocês oferecem os seus filhos em sacrifício aos deuses pagãos.

6Vocês pegam pedras lisas dos riachos,
para serem os deuses que vocês adoram,
e apresentam a elas ofertas de vinho e de cereais.
Vocês estão pensando que isso me agrada?

7Vocês vão para o alto das montanhas,
e ali praticam atos imorais,
e oferecem sacrifícios aos deuses pagãos.

8Vocês colocam os seus ídolos indecentes
atrás da porta das suas casas.
Esquecem de mim, tiram a roupa
e deitam-se na cama com os seus amantes,
a quem pagarem para dormir com vocês;
e então satisfazem os seus desejos impuros.”

9“Vocês pegaram azeite e muitos perfumes
e foram adorar o deus Moloque.
Enviaram mensageiros por toda parte
à procura de deuses para adorar,
e esses mensageiros foram até o mundo dos mortos.

10Vocês se cansaram de tanto viajar,
mas não ficaram desanimados.
As suas imagens nojentas lhes deram forças,
e por isso vocês não desistiram.”

11“Vocês têm tanto medo desses deuses!
Mas quem são eles
para que vocês me contem mentiras
e me esqueçam completamente?
Será que é porque eu fiquei calado tanto tempo,
que vocês não me temem?

12Eu vou mostrar a todos o que vocês fazem,
essas ações que vocês acham certas;
mas elas não adiantarão nada.

13Quando vocês gritarem pedindo ajuda,
os seus muitos deuses não os atenderão.
O vento levará esses deuses para longe,
um sopro os fará desaparecer.
Mas os que confiam em mim morarão na Terra Prometida;
o meu monte santo será deles.”



A compaixão de Deus

14O Senhor diz:

“Preparem o caminho, aplanem a estrada,
para que o meu povo possa voltar para mim.”
15Pois o Altíssimo, o Santo Deus,
o Deus que vive para sempre, diz:

“Eu moro num lugar alto e sagrado,
mas moro também com os humildes e os aflitos,
para dar esperança aos humildes
e aos aflitos, novas forças.

16Não continuarei repreendendo o meu povo
e não ficarei irado para sempre;
se não, morreriam os seres que eu criei,
aqueles a quem dei o sopro da vida.

17Por causa do pecado e da cobiça do meu povo,
eu fiquei irado com eles e os castiguei.
Na minha ira, eu me afastei deles,
mas mesmo assim eles continuaram teimosos
e seguiram o seu próprio caminho.”

18“Tenho visto como eles agem,
mas eu os curarei e os guiarei;
eu os consolarei.

Nos lábios dos que choram,
19colocarei palavras de louvor.
A todos ofereço a paz,
paz aos que estão perto e aos que estão longe;
eu os curarei.

20Porém os maus são como o mar agitado:
as suas ondas não se acalmam
e trazem lama e sujeira para a terra.
21Não há segurança para esses pecadores.”
O meu Deus falou.



ISAÍAS 58
O verdadeiro jejum

1O Senhor Deus diz:

“Grite com toda a força, sem parar!
Grite alto, como se você fosse trombeta!
Anuncie ao meu povo, os descendentes de Jacó,
os seus pecados e as suas maldades.

2De fato, eles me adoram todos os dias
e dizem que querem saber qual é a minha vontade,
como se fossem um povo que faz o que é direito
e que não desobedece às minhas leis.
Pedem que eu lhes dê leis justas
e estão sempre prontos para me adorar.”

3O povo pergunta a Deus:
“Que adianta jejuar, se tu nem notas?
Por que passar fome, se não te importas com isso?”

O Senhor responde:

“A verdade é que nos dias de jejum vocês cuidam dos seus negócios
e exploram os seus empregados.
4Vocês passam os dias de jejum discutindo e brigando
e chegam até a bater uns nos outros.
Será que vocês pensam que, quando jejuam assim,
eu vou ouvir as suas orações?
5O que é que eu quero que vocês façam nos dias de jejum?
 Será que desejo que passem fome,
que se curvem como um bambu,
que vistam roupa feita de pano grosseiro
e se deitem em cima de cinzas?
 É isso o que vocês chamam de jejum?
Acham que um dia de jejum assim me agrada?

6“Não! Não é esse o jejum que eu quero.
Eu quero que soltem aqueles que foram presos injustamente,
que tirem de cima deles o peso que os faz sofrer,
que ponham em liberdade os que estão sendo oprimidos,
que acabem com todo tipo de escravidão.

7O jejum que me agrada é que vocês repartam a sua comida com os famintos,
que recebam em casa os pobres que estão desabrigados,
que deem roupas aos que não têm
e que nunca deixem de socorrer os seus parentes.

8“Então a luz da minha salvação brilhará como o sol,
e logo vocês todos ficarão curados.
O seu Salvador os guiará,
e a presença do Senhor Deus os protegerá por todos os lados.

9Quando vocês gritarem pedindo socorro, eu os atenderei;
pedirão a minha ajuda, e eu direi: ‘Estou aqui!’

Se acabarem com todo tipo de exploração,
com todas as ameaças e xingamentos;
10se derem de comer aos famintos
e socorrerem os necessitados,
a luz da minha salvação brilhará,
e a escuridão em que vocês vivem ficará igual à luz do meio-dia.

11Eu, o Senhor, sempre os guiarei;
até mesmo no deserto, eu lhes darei de comer
e farei com que fiquem sãos e fortes.
Vocês serão como um jardim bem regado,
como uma fonte de onde não para de correr água.

12Em cima dos alicerces antigos,
vocês reconstruirão cidades que tinham sido arrasadas.
Vocês serão conhecidos como o povo que levantou muralhas de novo,
que construiu novamente casas que tinham caído.”



O sábado deve ser respeitado
[pelos descendentes de Jacó]

13O Senhor Deus diz:

“Obedeçam às leis a respeito do sábado;
não cuidem dos seus próprios negócios no dia que para mim é sagrado.
Considerem o sábado como um dia de festa,
o dia santo do Senhor, que deve ser respeitado.
Guardem o sábado, descansando em vez de trabalhar;
não cuidem dos seus negócios,
nem fiquem conversando à toa.
14Se me obedecerem, eu serei uma fonte de alegria para vocês
e farei com que vençam todas as dificuldades;
e vocês serão felizes na terra que eu dei ao seu antepassado Jacó.
Eu, o Senhor, falei.”
 

domingo, 19 de janeiro de 2014

Isaías 51 a 54 (dia 186)

LIVRO DE ISAÍAS, CAPÍTULO 51

Palavras de consolo para Jerusalém

1O Senhor Deus diz:

“Escutem, os que procuram a salvação,
os que pedem a minha ajuda!
Lembrem da rocha da qual foram cortados,
da pedreira de onde foram tirados.
2Pensem no seu antepassado Abraão
e em Sara, de quem vocês são descendentes.
Abraão não tinha filhos quando eu o chamei,
mas eu o abençoei e lhe dei muitos descendentes.
3Eu, o Senhor, terei compaixão de Jerusalém
e de todas as suas casas que estão em ruínas.
Eu farei com que as suas terras secas virem um jardim,
como o jardim que plantei na região do Éden.
Ali haverá alegria e felicidade,
haverá música e cânticos de louvor a mim.”

4“Escute, meu povo,
dê atenção ao que eu vou dizer:
Vou dar as minhas leis às nações,
e os meus mandamentos serão uma luz para os povos.
5Virei logo salvá-los;
está chegando o dia da minha vitória,
e eu governarei todos os povos.
Nações distantes esperam por mim
e confiam em mim para protegê-las.”

6“Olhem para o céu, lá em cima,
olhem para a terra, aqui embaixo.
O céu desaparecerá como fumaça,
a terra ficará gasta como uma roupa velha,
e os seus moradores morrerão como se fossem moscas.
Mas a minha vitória será total,
o meu poder durará para sempre.”

7“Escutem, vocês que sabem o que é direito,
que têm a minha lei no seu coração!
Não fiquem com medo quando forem ofendidos,
não se aborreçam quando os outros zombarem de vocês.
8Pois eles desaparecerão como uma roupa de lã
destruída pelas traças.
Mas a minha vitória será total,
o meu poder durará para sempre.”

9Acorda, ó Senhor, acorda!
Salva-nos com o teu grande poder,
como fizeste antigamente,
no tempo dos nossos antepassados.
Tu cortaste Raabe em pedaços,
tu mataste aquele monstro do mar.
10Tu fizeste o mar secar,
secaste as águas profundas;
no meio do mar, abriste um caminho
para que por ele passasse o povo que salvaste.
11Aqueles a quem o Senhor salvar voltarão para casa,
voltarão cantando para Jerusalém
e ali viverão felizes para sempre.
A alegria e a felicidade os acompanharão,
e não haverá mais tristeza nem choro.



12O Senhor diz ao seu povo:

“Eu, eu mesmo, lhes dou forças.
Então, por que vocês têm medo de pessoas,
de seres mortais que não duram mais do que a palha?
13Por que esquecem o Senhor, o seu Criador,
aquele que estendeu o céu e firmou a terra?
Por que estão sempre com medo de inimigos cruéis,
que os perseguem e estão prontos para destruí-los?
Que pode fazer a fúria deles contra vocês?
14Logo os prisioneiros serão postos em liberdade;
eles não morrerão, nem passarão fome.”

15“Eu, o Senhor, sou o Deus de vocês.
Eu agito o mar e faço as suas ondas rugirem.
O meu nome é Senhor, o Todo-Poderoso.
16Eu dei a vocês os meus ensinamentos
e com a minha mão eu os protejo.
Eu, que estendi o céu e firmei a terra,
digo aos moradores de Jerusalém:
‘Vocês são o meu povo.’ ”



O sofrimento de Jerusalém vai terminar

17Acorde, Jerusalém, acorde e levante-se!
O Senhor fez com que você bebesse o vinho da sua ira;
você bebeu tudo e ficou bêbada.
18De todos os seus filhos,
de todos aqueles que você criou,
não houve um só que pegasse você pela mão
e que a ajudasse a andar.

19Você sofreu duas desgraças:
a sua terra foi arrasada pelos inimigos,
e a guerra e a fome mataram os seus moradores.
Quem tem pena de você?
Quem procura consolá-la?
20Os seus moradores desmaiam de fome
e estão caídos nas esquinas das ruas;
são como carneiros selvagens presos nas redes dos caçadores.
Eles caíram por causa da ira do Senhor,
por causa do castigo do seu Deus.

21Pobre Jerusalém!
Você está bêbada, mas não por ter bebido vinho.

22Agora, escute o que diz o seu Senhor e Deus,
aquele que vai defender a causa do seu povo.

O Senhor diz:

“Agora estou tirando das suas mãos
o copo cheio da minha ira,
o copo que fez você ficar bêbada.
Você nunca mais beberá dele.
23Darei esse copo aos seus inimigos,
aos que lhe disseram:
‘Deite-se no chão, que vamos pisar em cima de você.’
Você se deitou, e eles a pisaram,
como se você fosse o pó da rua.”



LIVRO DE ISAÍAS, CAPÍTULO 52

Deus salvará Jerusalém

1Acorde, ó Jerusalém, acorde já
e renove as suas forças.
Cidade santa, vista os seus vestidos mais caros,
pois os pagãos, aquela gente impura,
nunca mais morarão com você.
2Ó Sião, bela cidade,
prisioneira e sentada no chão,
livre-se das suas correntes;
levante-se, sacuda o pó das suas roupas
e sente-se no seu trono.

3O Senhor diz ao seu povo:

— Quando vocês foram levados como escravos para outro país, ninguém pagou nada por vocês; assim também eu não pagarei nada para livrá-los da escravidão.

4O Senhor Deus diz:

— Primeiro, o meu povo foi para o Egito a fim de morar lá; e eles foram porque quiseram. Mais tarde, a Assíria os levou como escravos e não pagou nada por eles. 5E o que é que estou vendo agora? A Babilônia fez a mesma coisa: levou o meu povo como escravo sem pagar nada por ele. Aqueles que o estão dominando dão gritos de vitória e me ofendem sem parar. 6Mas virá o dia em que o meu povo conhecerá o meu nome e saberá que sou eu, o Senhor, quem diz: “Eu estou aqui!

7Como é bonito ver
um mensageiro correndo pelas montanhas,
trazendo notícias de paz,
boas notícias de salvação!
Ele diz a Sião: “O seu Deus é Rei!”
8Escutem os gritos dos vigias!
Eles gritam de alegria, todos juntos,
pois veem com os seus próprios olhos
a volta do Senhor para Sião.

9Jerusalém arrasada, cante de alegria,
pois o Senhor tem pena do seu povo
e vai salvar Jerusalém.
10Na presença de todas as nações,
o Senhor vai mostrar o seu santo poder.
O mundo inteiro verá
que foi o nosso Deus quem nos salvou.

11Meu povo, saia da Babilônia!
Saiam todos e não toquem em nada que seja impuro.
Que se purifiquem os que carregam os objetos sagrados do Templo!
12Desta vez, vocês não sairão com pressa,
não precisarão fugir,
pois o Senhor os guiará.
O Deus de Israel os protegerá por todos os lados.



O sofrimento e a vitória do servo de Deus

13O Senhor Deus diz:

“Tudo o que o meu servo fizer dará certo;
ele será louvado
e receberá muitas homenagens.
14Muitos ficaram horrorizados quando o viram,
pois ele estava tão desfigurado,
que nem parecia um ser humano.
15Mas agora muitos povos ficarão admirados quando o virem,
e muitos reis não saberão o que dizer.
Pois verão coisas de que ninguém havia falado,
entenderão aquilo que nunca tinham ouvido.”



LIVRO DE ISAÍAS, CAPÍTULO 53

1O povo diz:

“Quem poderia crer naquilo que acabamos de ouvir?
Quem diria que o Senhor estava agindo?
2Pois o Senhor quis que o seu servo aparecesse
como uma plantinha que brota
e vai crescendo em terra seca.
Ele não era bonito nem simpático,
nem tinha nenhuma beleza
que chamasse a nossa atenção
ou que nos agradasse.
3Ele foi rejeitado e desprezado por todos;
ele suportou dores e sofrimentos sem fim.
Era como alguém que não queremos ver;
nós nem mesmo olhávamos para ele e o desprezávamos.”

4“No entanto, era o nosso sofrimento que ele estava carregando,
era a nossa dor que ele estava suportando.
E nós pensávamos que era por causa das suas próprias culpas
que Deus o estava castigando,
que Deus o estava maltratando e ferindo.
5Porém ele estava sofrendo por causa dos nossos pecados,
estava sendo castigado por causa das nossas maldades.
Nós somos curados pelo castigo que ele sofreu,
somos sarados pelos ferimentos que ele recebeu.
6Todos nós éramos como ovelhas que se haviam perdido;
cada um de nós seguia o seu próprio caminho.
Mas o Senhor castigou o seu servo;
fez com que ele sofresse o castigo que nós merecíamos.”

7“Ele foi maltratado, mas aguentou tudo humildemente
e não disse uma só palavra.
Ficou calado como um cordeiro que vai ser morto,
como uma ovelha quando cortam a sua lã.
8Foi preso, condenado e levado para ser morto,
e ninguém se importou com o que ia acontecer com ele.
Ele foi expulso do mundo dos vivos,
foi morto por causa dos pecados do nosso povo.
9Foi sepultado ao lado de criminosos,
foi enterrado com os ricos,
embora nunca tivesse cometido crime nenhum,
nem tivesse dito uma só mentira.”



10O Senhor Deus diz:

“Eu quis maltratá-lo, quis fazê-lo sofrer.
Ele ofereceu a sua vida como sacrifício para tirar pecados
e por isso terá uma vida longa
e verá os seus descendentes.
Ele fará com que o meu plano dê certo.
11Depois de tanto sofrimento, ele será feliz;
por causa da sua dedicação,
ele ficará completamente satisfeito.

O meu servo não tem pecado,
mas ele sofrerá o castigo que muitos merecem,
e assim os pecados deles serão perdoados.
12Por isso, eu lhe darei um lugar de honra;
ele receberá a sua recompensa
junto com os grandes e os poderosos.
Pois ele deu a sua própria vida
e foi tratado como se fosse um criminoso.

Ele levou a culpa dos pecados de muitos
e orou pedindo que eles fossem perdoados.”



LIVRO DE ISAÍAS, CAPÍTULO 54

O amor de Deus por Jerusalém

1Jerusalém, você nunca teve filhos,
você nunca sentiu dores de parto,
mas agora cante e grite de alegria,
pois o Senhor diz:

“A mulher abandonada terá mais filhos
do que a que mora com o marido.”
2Aumente a sua barraca,
torne ainda maior o lugar onde você mora
e não faça economia nisso.
Encompride as cordas da barraca e pregue bem as estacas.
3Pois você vai estender as suas fronteiras para todos os lados;
o seu povo será novamente dono
das regiões que os seus inimigos conquistaram,
e cidades desertas ficarão cheias de gente.
4Não tenha medo, pois você não ficará envergonhada;
não se assuste, pois você não será humilhada.
Você esquecerá como foi humilhada quando era jovem,
não lembrará mais da desgraça da sua viuvez.
5Pois o seu Criador, o Senhor Todo-Poderoso, será seu marido;
o Santo Deus de Israel, o Deus do mundo inteiro, a salvará.
6Você estava aflita como uma mulher abandonada pelo marido,
mas o Senhor a está chamando de volta.”

O seu Deus diz:

“Será que alguém poderia mandar embora
a mulher com quem casou quando era jovem?
7Eu a abandonei, mas só por um momento,
e agora, com grande amor, eu a receberei de volta.
8Na minha ira e no meu furor,
eu me escondi de você por um momento;
mas com amor eterno eu terei compaixão de você.”

É isso o que diz o Senhor, o seu Salvador.



9O Senhor Deus diz:

“No tempo do dilúvio, eu jurei a Noé
que nunca mais as águas cobririam a terra;
assim eu juro agora que nunca mais ficarei irado com você,
que jamais a castigarei de novo.

10As montanhas podem desaparecer,
os montes podem se desfazer,
mas o meu amor por você não acabará nunca,
e a minha aliança de paz com você nunca será quebrada.”

É isso o que diz o Senhor, que tem amor por você.



A nova Jerusalém

11O Senhor Deus diz:

“Ó Jerusalém, aflita e castigada pela tempestade,
sem ninguém que a console!
Eu a reconstruirei com pedras preciosas,
e os seus alicerces serão de safiras.
12As suas torres serão de rubis,
os seus portões serão de berilo,
as suas muralhas, de pedras preciosas.
13Eu mesmo ensinarei todos os seus moradores,
e eles viverão em paz e segurança.
14Você será fundada sobre a justiça
e por isso viverá segura,
livre para sempre da violência e do terror.
15Se alguém a atacar, não será por minha ordem;
você derrotará todos os que lutarem contra você.”

16“Eu crio o ferreiro, que sopra as brasas
e fabrica armas de guerra.
Eu crio também o soldado,
que usa as armas para destruir e matar.
17Mas nenhuma arma poderá derrotar você,
e, se alguém for ao tribunal para acusá-la,
você não será condenada.
O que eu faço pelos meus servos é isto:
eu lhes dou a vitória.”

O Senhor falou.