Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

domingo, 13 de outubro de 2013

Isaías 47 a 50 (dia 185)

Isaías 47

Babilônia é conquistada

1O Senhor diz:

“Babilônia, desça do seu trono
e sente-se no pó.
Você era como uma virgem,
bela, delicada e mimada;
mas nunca mais será assim.
2Agora, você é uma escrava:
pegue o moinho e comece a moer a farinha.
Tire o véu, levante a saia
e, de pernas de fora, atravesse os rios.
3Todos a verão sem roupa,
completamente nua.
Eu vou me vingar de você,
e ninguém poderá me impedir.”

4O nosso Salvador é o Senhor Todo-Poderoso, o Santo Deus de Israel.

5Ele diz à Babilônia:

“Sente-se e fique calada;
vá para um lugar escuro,
pois nunca mais você será chamada
de ‘Rainha das Nações’.
6Eu estava irado com o meu povo,
o meu povo escolhido;
por isso, o humilhei
e o entreguei nas suas mãos.
Mas você não foi bondosa com ele;
pelo contrário, tratou até mesmo os velhos com crueldade.
7Você imaginou que seria rainha para sempre
e não levou a sério o que estava acontecendo,
nem pensou como tudo ia acabar.
8Você ama a imoralidade
e pensa que não corre nenhum perigo.
Você diz assim:
‘Não há ninguém tão importante como eu;
não há ninguém igual a mim.
Nunca ficarei viúva, nem perderei nenhum dos meus filhos.’ ”

“Mas agora escute o que eu lhe digo:
9Eu sei que você sabe fazer despachos
e que as suas feitiçarias são poderosas;
mas tudo isso não adiantará nada.
De repente, no mesmo dia,
você vai ficar viúva e vai perder os filhos.
10Você se sentia segura na sua maldade
e imaginava que ninguém via o que você estava fazendo.
Foram a sua sabedoria e o seu conhecimento que a enganaram.
Você pensava assim:
‘Não há ninguém tão importante como eu.’
11Por isso, cairá a desgraça sobre você,
e as suas feitiçarias não valerão nada.
A sua destruição está chegando,
e não haverá jeito de escapar dela.
Será uma desgraça como você não imaginava
e virá quando você menos estiver esperando.
12Fique com os despachos e as feitiçarias
que você tem praticado desde que era jovem.
É possível que eles a ajudem
e que com eles você assuste os seus inimigos.
13Apesar de todos os conselheiros que tem,
você não poderá escapar.
Que os seus astrólogos se apresentem e a ajudem!
Eles estudam o céu e ficam olhando para as estrelas
a fim de dizer, todos os meses,
o que vai acontecer com você.
14Pois eles são como palha;
o fogo os destruirá,
e eles não poderão se salvar.
Pois este não é um foguinho
daqueles que a gente faz para se esquentar,
sentando-se bem perto dele.
15É isso o que acontecerá com os seus adivinhos,
com os quais você tem lidado toda a sua vida.
Todos eles irão embora,
cada um seguindo o seu próprio caminho;
nenhum deles poderá salvar você.”



Isaías 48

O Senhor anuncia coisas do futuro

1Povo de Israel, escute!
Escutem, descendentes de Judá!
Vocês juram pelo nome do Senhor e dizem que adoram ao Deus de Israel, mas nisso não são honestos nem sinceros.
2Vocês dizem que são moradores da cidade santa e que confiam no Deus de Israel, naquele que se chama Senhor Todo-Poderoso.

3O Senhor diz a vocês:

“Há muito tempo, eu falei de coisas do futuro,
disse claramente o que ia acontecer.
De repente, agi, e tudo aconteceu como eu tinha dito.
4Eu sabia que vocês são teimosos,
que são duros como o ferro ou o bronze.
5Por isso, falei dessas coisas há muito tempo;
antes que elas acontecessem, eu as havia anunciado a vocês.
Portanto, vocês não podem dizer que foram as suas imagens e os seus ídolos
que fizeram essas coisas acontecerem.”

6“Tudo aconteceu como eu tinha dito,
e vocês precisam reconhecer que falei a verdade.
Mas agora vou falar de coisas novas,
de coisas secretas, que vocês ainda não conhecem.
7Só agora é que vou fazer com que aconteçam;
vocês nunca tinham ouvido falar nelas
e assim não podem dizer que já as conheciam.
8Eu sabia que não podia confiar em vocês;
sabia muito bem que sempre foram rebeldes.
Por isso, vocês não tinham ouvido essas coisas,
não sabiam que elas iam acontecer.”

9“Eu poderia ter descarregado a minha ira sobre vocês
e os poderia ter destruído completamente,
mas isso teria trazido desonra para o meu nome.
Portanto, tive paciência com vocês,
pois eu sou Deus e mereço que me louvem.
10Eu os fiz sofrer, mas foi para purificá-los,
como a prata é purificada na fornalha.
11É por amor ao meu próprio nome que vou agir;
não permito que o meu nome seja profanado.
Não deixo que nenhum outro deus
receba o louvor que somente eu mereço.”



O Senhor salvará o seu povo

12O Senhor Deus diz:

“Escute, povo de Israel,
o povo que eu escolhi!
Eu, o Senhor, sou o único Deus:
sou o primeiro e o último.
13Com as minhas mãos, coloquei a terra no seu lugar
e estendi o céu.
Dei uma ordem,
e eles começaram a existir.”

14“Reúnam-se todos e escutem!
Nenhum dos deuses anunciou que ia acontecer isto:
o homem que eu, o Senhor, amo
fará o que eu quero
e com o meu poder atacará a Babilônia.
15Fui eu mesmo quem o chamou;
dei a ordem, e ele veio.
Eu farei com que tudo o que ele fizer dê certo.
16Agora, venham cá e escutem o que estou dizendo:
desde o princípio, nunca falei em segredo
e tenho governado todas as coisas desde que começaram.”

Agora, o Senhor Deus me deu o seu Espírito e me enviou.

17O Senhor, o Santo Deus de Israel, o seu Salvador, diz ao seu povo:

“Eu sou o Senhor, seu Deus.
Eu os ensino para o seu próprio bem
e os guio no caminho que devem seguir.
18Ah! Se vocês tivessem obedecido aos meus mandamentos!
A sua prosperidade iria aumentando
como se fosse uma enchente,
e as suas vitórias teriam sido constantes,
tão constantes como as ondas do mar.
19Os seus descendentes seriam tantos
como os grãos de areia da praia do mar;
eu nunca os esqueceria,
e eles estariam sempre na minha presença.”

20Saiam da Babilônia, fujam de lá!

Com gritos de alegria, anunciem esta boa notícia ao mundo inteiro:

“O Senhor salvou o seu servo,
o povo de Israel!”

21Quando Deus guiou o seu povo pelo deserto, ninguém ficou com sede; ele fez com que corresse água da rocha, ele partiu a rocha, e a água jorrou.

22Mas o Senhor diz aos que praticam o mal:

“Para vocês não há segurança.”



Isaías 49

O servo de Deus: luz para os povos

1Nações distantes, escutem o que eu, o servo de Deus, estou dizendo; prestem atenção, todos os povos do mundo!
Eu ainda estava na barriga da minha mãe, quando o Senhor Deus me escolheu; eu nem havia nascido,
quando ele me chamou pelo nome.
2Ele fez com que as minhas palavras fossem cortantes como uma espada afiada e me protegeu com a sua própria mão.
Ele me fez igual a uma flecha pontuda, uma arma que ele guarda até o momento de ser usada.

3Ele me disse:

“Israel, você é o meu servo,
e por meio de você vou mostrar a minha grandeza.”

4Mas eu pensei:

“Todo o meu trabalho não adiantou nada;
todo o meu esforço foi à toa.”

Mesmo assim, eu sei que o Senhor defenderá a minha causa, que o meu Deus me recompensará.
5Quando eu ainda não havia nascido, o Senhor me escolheu para ser o seu servo a fim de que eu reunisse o seu povo e o trouxesse de volta para ele. Sou muito estimado pelo Senhor; o meu Deus é a minha força.

6O Senhor me disse:

“Você não será apenas o meu servo
que trará de volta os israelitas que ficaram vivos
e criará de novo a nação de Israel.
Eu farei também com que você seja uma luz para os outros povos
a fim de levar a minha salvação ao mundo inteiro.”

7O Senhor, o Santo Deus de Israel, o seu Salvador, fala com o seu servo, que é desprezado e odiado pelos povos e que é escravo de reis.

O Senhor diz ao seu servo:

“Reis e príncipes verão o seu poder;
eles virão e se ajoelharão aos seus pés em sinal de respeito.
Pois eu, o Senhor, cumpro as minhas promessas;
eu, o Santo Deus de Israel, escolhi você para ser o meu servo.”



Jerusalém será reconstruída

8O Senhor Deus diz ao seu povo:

“Quando chegar o tempo de mostrar a minha bondade,
eu responderei ao seu pedido;
quando chegar o dia de salvá-los, eu os ajudarei.
Eu os protegerei e, por meio de vocês,
farei uma aliança com os povos,
construirei de novo o país de vocês
e devolverei a vocês a terra que agora está arrasada.
9Direi aos prisioneiros: ‘Saiam da prisão!’
E aos que vivem na escuridão direi: ‘Vocês estão livres!’ ”

“Como ovelhas, eles pastarão perto dos caminhos
e até mesmo nos montes pelados encontrarão pasto.
10Não terão fome nem sede.
Não serão castigados nem pelo sol nem pelos ventos quentes do deserto,
pois eu tenho pena deles, e os guiarei,
e os levarei até as fontes de água.
11Abrirei uma estrada nas montanhas,
prepararei um caminho plano por onde o meu povo passará.
12Eles voltarão de lugares distantes,
do Norte e do Oeste,
e de Assuã, no Sul.”

13Cantem, ó céus, e alegre-se, ó terra!
Montes, gritem de alegria!
Pois o Senhor consolou o seu povo; ele teve pena dos que estavam sofrendo.

14Mas o povo de Sião diz:


“O Senhor nos abandonou;
Deus nos esqueceu.”

15O Senhor responde:

“Será que uma mãe pode esquecer o seu bebê?
Será que pode deixar de amar o seu próprio filho?
Mesmo que isso acontecesse,
eu nunca esqueceria vocês.
16Jerusalém, o seu nome está escrito nas minhas mãos;
eu nunca esqueço as suas muralhas.
17Os que vão reconstrui-la estão chegando depressa,
enquanto estão fugindo aqueles que a destruíram e arrasaram.
18Olhe para todos os lados e veja o que está acontecendo!
Os seus moradores estão voltando; eles estão chegando!
Juro pela minha vida que todos eles são como joias
que você usará com orgulho,
assim como uma noiva se enfeita com as suas joias.
19“O seu país foi arrasado e ficou abandonado,
mas agora será pequeno demais para os que vêm morar ali;
aqueles que deixaram você em ruínas serão levados para longe.
20Os que nasceram no cativeiro
e que voltaram para morar em você
lhe dirão um dia:
‘Este país é pequeno demais;
precisamos de um lugar maior onde morar!’
21Então você pensará assim:
‘Quem me fez mãe destes filhos?
Eu, uma mulher que não podia ter filhos,
abandonada, rejeitada e prisioneira
— quem criou esses filhos para mim?
Eu estava sozinha —
de onde vieram todos eles?’ ”

22O Senhor Deus diz ao seu povo:

“Levantarei a mão
e darei um sinal de comando aos povos
para que tragam de volta a Jerusalém
os filhos e as filhas de vocês,
carregando-os no colo e nos ombros.
23Reis estrangeiros cuidarão das suas crianças,
e rainhas serão as suas babás.
Reis e rainhas se ajoelharão em frente de vocês,
encostarão o rosto no chão
e lamberão o pó dos pés de vocês.
Então vocês ficarão sabendo que eu sou o Senhor
e que os que confiam em mim nunca ficam desiludidos.”

24Será que alguém pode tirar de um soldado as coisas que ele carrega depois da batalha?
Ou será que alguém pode pôr em liberdade os que estão sendo levados como prisioneiros por um rei cruel?

25O Senhor responde que sim e diz:

“As coisas que o soldado carrega serão tiradas dele;
os prisioneiros do rei cruel serão postos em liberdade.
Pois eu lutarei contra os inimigos de vocês
e eu mesmo salvarei os seus filhos.
26Farei com que os seus inimigos comam a sua própria carne
e bebam o seu próprio sangue como se fosse vinho.
Então todos ficarão sabendo que eu, o Senhor, sou o Salvador de vocês;
que eu, o poderoso Deus de Israel, sou o seu Redentor.”



Isaías 50

1O Senhor Deus diz ao seu povo:

Será que vocês acham que eu os mandei embora
como um homem manda embora a sua mulher?
Então onde está o documento de divórcio?
Ou acham que eu os vendi como escravos
a fim de pagar as minhas dívidas?
Não! Vocês foram levados prisioneiros por causa dos seus pecados;
eu os mandei embora por causa das suas maldades.
2Por que é que ninguém foi me encontrar quando eu vim salvá-los?
Por que ninguém respondeu quando eu chamei?
Será que agora não tenho poder para salvá-los?
Será que já perdi toda a minha força?
Não! É só eu dar uma ordem, e o mar seca.
Faço os rios virarem um deserto;
assim, por falta de água,
os peixes morrem de sede
e começam a cheirar mal.
3Posso cobrir de escuridão o céu,
posso fazê-lo vestir roupa de luto.”



O sofrimento e a fidelidade do servo de Deus

4O Senhor Deus me ensina o que devo dizer a fim de animar os que estão cansados.
Todas as manhãs, ele faz com que eu tenha vontade de ouvir com atenção o que ele vai dizer.
5O Senhor Deus me deu entendimento, e eu não me revoltei, nem fugi dele.

6Ofereci as minhas costas aos que me batiam e o rosto aos que arrancavam a minha barba.
Não tentei me esconder quando me xingavam e cuspiam no meu rosto.
7Mas eu não me sinto envergonhado, pois o Senhor Deus me ajuda.
Por isso, eu fico firme como uma rocha e sei que não serei humilhado, 8pois o meu defensor está perto.


Alguém tem uma causa contra mim? Então vamos juntos ao tribunal.
Alguém quer me processar? Que venha e apresente a sua acusação!
9O Senhor Deus é quem me defende, e por isso ninguém poderá me condenar.
Todos os meus inimigos desaparecerão; serão como um vestido que as traças destruíram.

10Escutem, vocês que temem o Senhor e obedecem às ordens do seu servo: se o caminho em que andam é escuro, sem nenhum raio de luz, confiem no Senhor, ponham a sua esperança no seu Deus.

11Mas vocês que acendem uma fogueira e se armam com flechas incendiárias, todos vocês cairão no fogo que acenderam e serão mortos pelas suas próprias flechas. O Senhor mandará esse castigo; um sofrimento horrível os espera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário