Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

sábado, 7 de julho de 2012

1º Crônicas 11 a 14 (dia 88)

1º Crônicas 11

Davi, rei de Israel e de Judá

2º Samuel 5:1-10


1 Todo o povo de Israel foi encontrar-se com Davi em Hebrom e disse:
— Nós pertencemos ao mesmo povo que você, ó rei.

2 No passado, quando Saul era o nosso rei, você comandava o povo de Israel na batalha. E o Senhor, seu Deus, prometeu que você seria o protetor e o chefe do povo dele.

3 Assim todos os líderes de Israel foram se encontrar com Davi em Hebrom. Davi fez um acordo sagrado com eles, eles o ungiram, e ele se tornou rei de Israel, como o Senhor Deus havia prometido por meio de Samuel.
4 O rei Davi e todos os israelitas foram atacar a cidade de Jerusalém. Nessa época a cidade se chamava Jebus, e os jebuseus, os primeiros moradores daquela terra, ainda moravam ali. 5 Os jebuseus disseram a Davi que ele nunca entraria na cidade, mas ele conquistou a fortaleza de Sião, e ela passou a se chamar Cidade de Davi.

6 Davi disse:
— O primeiro que matar um jebuseu será o comandante do exército.
Joabe, cuja mãe era Zeruia, dirigiu o ataque e se tornou o comandante. 7 Assim Davi ficou morando na fortaleza, e por isso ela foi chamada de “Cidade de Davi”. 8 Ele construiu a cidade de novo, começando pelo lugar que havia sido aterrado no lado leste do monte Sião, e Joabe reconstruiu o resto da cidade.

9 Davi foi ficando cada vez mais forte porque o Senhor Todo-Poderoso estava com ele.



Os soldados famosos de Davi

2º Samuel 23:8-39


10 Esta é a lista dos famosos soldados de Davi. Junto com o resto do povo de Israel, estes soldados ajudaram Davi a se tornar rei, como o Senhor Deus havia prometido, e conservaram forte o seu reino.
11 O primeiro foi Jasobeão, do grupo de famílias de Hacmoni. Jasobeão era o líder do grupo chamado “Os Três”. Com a sua lança ele lutou contra trezentos homens e os matou numa só batalha. 12 Depois dele, entre os famosos “Três”, vinha Eleazar, filho de Dodo, do grupo de famílias de Aoí. 13 Eleazar lutou ao lado de Davi contra os filisteus na batalha de Pas-Damim. Ele estava numa plantação de cevada quando os israelitas começaram a fugir.

14 Então Eleazar e os seus soldados ficaram no meio da plantação e lutaram contra os filisteus. E o Senhor lhe deu uma grande vitória.
15 Um dia, três dos trinta oficiais foram até uma rocha perto da caverna de Adulã, onde Davi estava, enquanto que um bando de filisteus acampava no vale dos Gigantes. 16 Um grupo de filisteus havia ocupado a cidade de Belém, e Davi se encontrava na fortaleza.

17 Então ele suspirou e disse:
— Como eu gostaria que alguém me trouxesse um pouco da água do poço que fica perto do portão de Belém!
18 Então “Os Três” passaram pelo meio do acampamento dos filisteus, tiraram água do poço e levaram para Davi. Mas ele não quis beber daquela água; em vez disso, a derramou como oferta a Deus

19 e disse:
— Ó Deus, eu não poderia beber desta água! Isso seria o mesmo que beber o sangue destes homens que arriscaram a sua vida para trazê-la!
E assim ele não tomou daquela água.
Foram essas as coisas que fizeram os famosos “Três”.
20 Abisai, irmão de Joabe, era o líder dos famosos “Trinta”. Com a sua lança ele lutou contra trezentos homens e os matou, ficando famoso entre “Os Trinta”.

21 Abisai foi o mais famoso dos “Trinta” e se tornou o seu líder, mas ele não foi tão famoso quanto “Os Três”.
22 Benaías, filho de Jeoiada, da cidade de Cabzeel, foi um soldado famoso e praticou muitos atos de coragem. Ele matou dois grandes soldados moabitas. Num dia de neve, um leão caiu numa cova. Benaías desceu lá e o matou. 23 Matou também um egípcio, um homem muito grande, de dois metros e vinte de altura, que estava armado com uma lança enorme, muito grande e pesada. Benaías atacou o egípcio com o seu bastão, arrancou a lança da mão dele e o matou com ela. 24 Esses foram os atos de coragem de Benaías, que foi um dos “Trinta”.

25 Ele tinha uma posição de destaque entre “Os Trinta”, mas não foi tão famoso quanto os “Três”. Davi o pôs como chefe da sua guarda pessoal.

26-47 Os outros soldados famosos foram os seguintes:
Asael, irmão de Joabe; Elanã, filho de Dodo, da cidade de Belém; Samote, da cidade de Harode; Heres, da cidade de Pelete; Ira, filho de Iques, da cidade de Tecoa; Abiezer, da cidade de Anatote; Sibecai, da cidade de Husa; Ilai, da cidade de Aoí; Helede, filho de Baaná, e Maarai, os dois da cidade de Netofa; Itai, filho de Ribai, da cidade de Gibeá, no território da tribo de Benjamim; Benaías, da cidade de Piratom; Hurai, dos vales de Gaás; Abiel, da cidade de Arba; Azmavete, da cidade de Baarum; Eliaba, da cidade de Saalbom; Hasém, da cidade de Gizom; Jônatas, filho de Sage, e Aião, filho de Sacar, da cidade de Harar; Elifal, filho de Ur; Héfer, da cidade de Mequerá; Aías, da cidade de Pelom; Hezro, da cidade de Carmelo; Naarai, filho de Ezbai; Joel, irmão de Natã; Mibar, filho de Hagri; Zeleque, do país de Amom; Naarai, da cidade de Beerote, que era quem carregava as armas de Joabe; Ira e Garebe, da cidade de Jatir; Urias, o heteu; Zabade, filho de Alai; Adina, filho de Sizá (um dos principais membros da tribo de Rúben, que tinha o seu próprio grupo de trinta soldados); Hanã, filho de Maacá; Josafá, da cidade de Mitã; Uzias, da cidade de Asterá; Sama e Jeiel, filhos de Hotão, da cidade de Aroer; Jediael e Joá, filhos de Sinri, da cidade de Tiz; Eliel, da cidade de Maavá; Jeribai e Josavias, filhos de Elnaã; Itma, do país de Moabe; Eliel, Obede e Jaaziel, da cidade de Zoba.



1º Crônicas 12

Os primeiros membros da tribo de Benjamim que seguiram Davi


1 Davi estava morando na cidade de Ziclague, para onde havia ido a fim de fugir do rei Saul. Ali foram juntar-se a ele alguns soldados corajosos e de confiança.

2 Eles eram da tribo de Benjamim, como Saul era. Atiravam flechas com o arco e pedras com fundas, tanto com a mão direita como com a esquerda.

3-7 Os comandantes deles eram Aiezer e Joás, filhos de Semaá, da cidade de Gibeá.
Os soldados eram estes:
Jeziel e Pelete, filhos de Azmavete; Beraca e Jeú, que era da cidade de Anatote; Ismaías, da cidade de Gibeão, soldado famoso e um dos líderes do grupo chamado “Os Trinta”; Jeremias, Jaaziel, Joanã e Jozabade, que era da cidade de Gedera; Eluzai, Jerimote, Bealias, Semarias e Sefatias, que era da cidade de Harife; Elcana, Issias, Azarel, Joezer e Jasobeão, que eram do grupo de famílias de Corá; Joela e Zebadias, filhos de Jeroão, da cidade de Gedor.



Membros da tribo de Gade que seguiram Davi

8 São estes os nomes dos soldados corajosos e treinados da tribo de Gade que foram juntar-se ao exército de Davi quando ele estava na fortaleza do deserto. Eles sabiam lutar com escudo e lança e eram ferozes como os leões e ligeiros como as gazelas.

9-13 Os nomes deles foram escritos numa lista na seguinte ordem:
Ézer, Obadias, Eliabe, Mismana, Jeremias, Atai, Eliel, Joanã, Elzabade, Jeremias e Macbanai.
14 Alguns desses homens da tribo de Gade comandavam mil homens, e outros, cem.

15 Certa vez, no primeiro mês do ano, quando o Jordão alaga as suas margens, eles atravessaram o rio e puseram em fuga o povo que morava nos vales, tanto no lado leste como no lado oeste do rio.



Membros das tribos de Benjamim e Judá que seguiram Davi

16 Também um grupo de homens das tribos de Benjamim e Judá foi até a fortaleza onde Davi estava.

17 Davi saiu para encontrar-se com eles e disse:
— Se vocês vieram como amigos, para me ajudar, aceito de todo o coração que façam parte do meu grupo. Mas, se vieram para me trair e me entregar aos meus inimigos, embora eu não tenha cometido nenhum crime, o Deus dos nossos antepassados ficará sabendo e castigará vocês.

18 Então o Espírito de Deus tomou conta de Amasai, que depois veio a ser o comandante dos “Trinta”, e ele gritou:
— Davi, filho de Jessé, nós somos seus! Tudo de bom para você e para aqueles que o ajudam! Deus está do seu lado!
Então Davi os recebeu e os colocou como oficiais do seu exército.



Membros da tribo de Manassés que seguiram Davi

19 Alguns soldados da tribo de Manassés passaram para o lado de Davi quando ele havia saído junto com os filisteus para lutar contra o rei Saul. Na verdade ele não ajudou os filisteus. Os seus governadores mandaram que Davi voltasse para Ziclague porque ficaram com medo que ele os entregasse ao seu antigo chefe, o rei Saul. 20 São estes os soldados da tribo de Manassés que passaram para o lado de Davi quando ele estava voltando para lá: Adna, Jozabade, Jediael, Micael, Jozabade, Eliú e Ziletai. Em Manassés todos eles haviam sido comandantes de grupos de mil homens. 21 Eles serviram Davi como oficiais das suas tropas porque eram soldados capazes. Mais tarde, eles foram oficiais do exército israelita.

22 Quase todos os dias, novos homens vinham juntar-se ao grupo de Davi, e por isso em pouco tempo o seu exército ficou enorme.



A lista do exército de Davi

23-37 Quando Davi estava em Hebrom, muitos soldados treinados foram se juntar ao seu exército para ajudar a fazê-lo rei no lugar de Saul, como o Senhor Deus havia prometido. Este é o número deles:
Da tribo de Judá: seis mil e oitocentos homens bem equipados, armados com escudos e lanças.
Da tribo de Simeão: sete mil e cem homens bem treinados.
Da tribo de Levi: quatro mil e seiscentos homens; seguidores de Joiada, descendente de Arão: três mil e setecentos homens; e Zadoque, um soldado jovem e capaz, veio com vinte e dois chefes do seu grupo de famílias.
Da tribo de Benjamim, a tribo de Saul: só três mil homens, pois a maior parte do povo de Benjamim continuava fiel a Saul.
Da tribo de Efraim: vinte mil e oitocentos homens valentes, que eram famosos nos seus grupos de famílias.
Da tribo de Manassés do Oeste: dezoito mil homens que foram escolhidos para irem fazer Davi rei.
Da tribo de Issacar: duzentos líderes e os homens comandados por eles. Esses líderes sabiam o que o povo de Israel devia fazer e a melhor ocasião para fazê-lo.
Da tribo de Zebulom: cinquenta mil homens fiéis e de confiança, treinados para usar todos os tipos de armas e prontos para lutar.
Da tribo de Naftali: mil líderes e mais trinta e sete mil homens armados com escudos e lanças.
Da tribo de Dã: vinte e oito mil e seiscentos homens treinados.
Da tribo de Aser: quarenta mil homens preparados para a batalha.
Das tribos que ficavam a leste do rio Jordão, isto é, Rúben, Gade e Manassés do Leste: cento e vinte mil homens treinados para usar todos os tipos de armas.
38 Todos esses soldados preparados para a batalha foram até Hebrom, resolvidos a fazerem Davi rei de todos os israelitas. Todo o resto do povo de Israel estava unido no mesmo propósito. 39 Eles ficaram três dias ali com Davi, comendo e bebendo aquilo que os seus irmãos israelitas haviam preparado para eles. 40 De bem longe, até das tribos de Issacar, Zebulom e Naftali, no Norte, vieram pessoas trazendo jumentos, camelos, mulas e bois carregados de comida, isto é, farinha de trigo, figos, passas, vinho e azeite. Também trouxeram gado e ovelhas para matar e comer. Tudo isso mostrava a alegria que havia em todo o país.



1º Crônicas 13

A arca da aliança é tirada de Quiriate-Jearim

2º Samuel 6:1-11


1 O rei Davi consultou todos os oficiais que comandavam grupos de mil homens e grupos de cem.

2 Depois anunciou a todo o povo de Israel o seguinte:
— Se vocês acharem bom, e se isso for da vontade do Senhor, nosso Deus, vamos mandar mensageiros ao resto dos nossos irmãos israelitas e aos sacerdotes e levitas nas suas cidades, para dizerem a eles que venham se reunir aqui com a gente.

3 Aí nós iremos buscar a arca da aliança, pois ela ficou esquecida durante o reinado de Saul.

4 Essa proposta agradou ao povo, e todos concordaram com ela.
5 Então Davi reuniu todo o povo de Israel, desde a fronteira do Egito, no Sul, até a subida de Hamate, no Norte, a fim de levarem a arca da aliança de Quiriate-Jearim para Jerusalém. 6 Davi e o povo foram até a cidade de Baalá, isto é, Quiriate-Jearim, no território da tribo de Judá, para tirar dali a arca da aliança de Deus, a qual tem o nome do Senhor, que se assenta no seu trono, acima dos querubins. 7 Colocaram a arca num carro de bois, novo, e a levaram embora da casa de Abinadabe. Uzá e Aiô guiavam o carro.

8 Então Davi e todo o povo começaram a dançar com todas as suas forças em louvor a Deus. Eles cantavam e tocavam instrumentos musicais, isto é, harpas, liras, tambores, pratos e trombetas.
9 Quando chegaram ao campo de debulhar cereais que pertencia a Quidom, os bois tropeçaram. Então Uzá estendeu a mão e segurou a arca da aliança. 10 Na mesma hora, o Senhor ficou irado por Uzá ter tocado na arca e o matou. Ele morreu ali, na presença de Deus.

11 Davi ficou furioso porque Deus, na sua ira, havia castigado Uzá; assim até hoje aquele lugar é chamado de Peres-Uzá.

12 Então Davi ficou com medo de Deus e disse:
— E agora como poderei levar comigo a arca da aliança?
13 Assim Davi não levou a arca consigo para a Cidade de Davi. Em vez disso, ele a deixou na casa de um homem chamado Obede-Edom, que era da cidade de Gate. 14 A arca ficou ali três meses, e Deus abençoou a família de Obede-Edom e tudo o que era dele.




1º Crônicas 14

O reinado de Davi é reconhecido por Hirão

2º Samuel 5:11-12


1 O rei Hirão, da cidade de Tiro, enviou embaixadores a Davi. Ele mandou toras de cedro e também carpinteiros e pedreiros para construírem um palácio para Davi.

2 E assim Davi entendeu que o Senhor o havia confirmado como rei de Israel e que, por amor ao seu povo, estava fazendo o seu reino progredir.



Os filhos de Davi nascidos em Jerusalém

2º Samuel 5:13-16; 1º Crônicas 3:5-9


3 Em Jerusalém, Davi casou com outras mulheres e foi pai de mais filhos e filhas.

4 São estes os nomes dos seus filhos que nasceram em Jerusalém:
Samua, Sobabe, Natã, Salomão, 5 Ibar, Elisua, Elpelete, 6 Noga, Nefegue, Jafia,

7 Elisama, Beeliada e Elifelete.



Davi derrota os filisteus

2º Samuel 5:17-25


8 Quando os filisteus souberam que Davi tinha sido ungido como rei do país inteiro de Israel, o seu exército saiu para prendê-lo. Davi soube disso e saiu para encontrar-se com eles. 9 Os filisteus chegaram ao vale dos Gigantes e começaram a atacar e a roubar.

10 Então Davi perguntou a Deus:
— Devo lutar contra os filisteus? Tu me darás a vitória?
— Vá! — disse o Senhor. — Eu lhe darei a vitória.

11 Davi os atacou em Baal-Perazim e os derrotou. Ele disse:
— Como se eu fosse uma enchente que derruba tudo, Deus me usou para abrir uma brecha no meio do exército inimigo.
Por isso, aquele lugar é chamado de Baal-Perazim.

12 Quando os filisteus fugiram, deixaram os seus ídolos para trás, e Davi ordenou que fossem queimados.
13 Mas logo os filisteus voltaram ao vale e começaram a atacar.

14 Mais uma vez Davi consultou a Deus, e ele respondeu:
— Não os ataque daqui. Dê a volta e ataque pelo outro lado, perto das amoreiras.

15 Quando você ouvir o barulho de marcha por cima das amoreiras, ataque-os porque isso quer dizer que eu estou indo na sua frente para derrotar o exército dos filisteus.
16 Davi fez o que Deus havia mandado e obrigou os inimigos a recuar desde Gibeão até Gezer. 17 A fama de Davi se espalhou por toda parte, e o Senhor fez com que todas as nações ficassem com medo dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário