Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Isaías 23 a 26 (dia 179)

Isaías 23

Mensagem contra Tiro e Sidom

1 Esta é a mensagem contra Tiro:

Chorem, marinheiros que estão em alto mar,
pois a cidade de Tiro está arrasada!
Não há nenhuma casa de pé, e o porto foi destruído.
Vocês receberam essa notícia na ilha de Chipre.

2 Soltem gemidos de tristeza, vocês, moradores do litoral,
negociantes de Sidom!
Os seus viajantes atravessavam o mar,

3 navegavam nos oceanos imensos.
Do rio Nilo, no Egito, vinham os cereais
que vocês vendiam a todas as nações,
tirando disso grandes lucros.

4 Fique envergonhada, cidade de Sidom,
e você também, Tiro, fortaleza da beira do mar!
Pois o mar disse:
“Nunca tive dores de parto, nem dei à luz;
nunca criei filhos ou filhas.”

5 E o povo do Egito ficará aflito
quando souber o que aconteceu com Tiro.

6 Moradores da Fenícia, chorem de dor!
Fujam para a Espanha!

7 Será esta a alegre cidade de Tiro,
que foi fundada há séculos?
Será esta a cidade que enviou os seus filhos
para fundarem colônias em regiões distantes?

8 Tiro era uma cidade importante;
os seus negociantes eram como príncipes,
os seus comerciantes eram respeitados no mundo inteiro.
Quem foi que planejou tudo isso contra Tiro?

9 Foi o Senhor Todo-Poderoso que fez esses planos
a fim de humilhar os orgulhosos
e rebaixar os mais poderosos do mundo.

10 Moradores das colônias que ficam na Espanha,
cultivem as suas terras
como se faz nas margens do rio Nilo.
Pois o porto de vocês já não existe mais.

11 O Senhor levantou a mão para castigar o mar;
ele derrubou reinos
e deu ordem para que as fortalezas da Fenícia fossem destruídas.



12 Ele disse a Sidom:

“Pobre cidade, tão perseguida,
pare de se divertir!
Mesmo que os seus moradores fujam para Chipre,
não ficarão seguros.”

13 Vejam esta cidade, que agora está arrasada! Foram os babilônios, e não os assírios, que construíram rampas de ataque em volta dela, destruíram as suas fortalezas e deixaram tudo em ruínas. 14 Chorem, marinheiros que estão em alto mar! A cidade de Tiro foi destruída, e agora vocês não têm um porto seguro.

15 Está chegando o tempo em que Tiro ficará esquecida por setenta anos, que é o tempo de vida de um rei. Mas, depois desses setenta anos, Tiro será como a prostituta daquela canção que diz assim:

16 “Ó prostituta, esquecida por todos,
pegue a harpa e dê voltas pela cidade.
Toque música bonita
e cante as suas canções,
para que todos lembrem de novo de você.”

17 Depois desses setenta anos, o Senhor lembrará outra vez da cidade de Tiro, e ela voltará a ser prostituta, vendendo-se a todas as nações do mundo. 18 Mas o dinheiro que ela ganhar com a sua profissão será dedicado a Deus, o Senhor. Ela não poderá ficar com esse dinheiro; aqueles que adoram o Senhor o usarão para comprar muita comida e roupas finas.



Isaías 24

O Senhor castigará o mundo

1 Atenção! O Senhor vai arrasar a terra
e fazê-la virar um deserto;
vai estragar a terra
e espalhar os seus moradores.

2 A mesma coisa acontecerá com todos:
o povo comum e os sacerdotes,
os empregados e os seus patrões,
as empregadas e as suas patroas,
os que compram e os que vendem,
os que emprestam e os que tomam emprestado.

3 A terra ficará completamente arrasada e destruída,
pois o Senhor prometeu fazer isso.

4 A terra vai secando e murchando,
o mundo inteiro vai se acabando,
os céus e a terra vão se desfazendo.

5 A terra está impura por causa dos seus moradores,
pois eles desobedeceram às leis e aos mandamentos de Deus
e quebraram a aliança que devia durar para sempre.

6 Por isso, Deus está amaldiçoando e destruindo a terra,
e os seus moradores estão pagando pelos seus pecados;
um fogo devorador os está queimando,
e poucos escapam com vida.

7 As parreiras estão murchando,
e há falta de vinho.
E todos os que estavam alegres gemem de tristeza.

8 Não se ouve mais o barulho dos pandeiros
nem a música alegre das liras;
os que faziam festas e cantavam estão calados.

9 Já não se bebe vinho nas festas;
as bebidas têm um gosto amargo.

10 A cidade vazia está em ruínas;
os moradores trancam as portas das suas casas
e não deixam ninguém entrar.

11 Por causa da falta de vinho,
o povo grita nas ruas.
Toda a alegria desapareceu;
ela foi expulsa da terra.

12 A cidade está em ruínas,
os portões estão em pedaços.

13 Assim como poucas azeitonas ficam nas oliveiras
e poucas uvas ficam nas parreiras
depois de terminada a colheita,
assim também em todos os países do mundo
poucas pessoas ficarão com vida.

14 Os que ficarem com vida cantarão de alegria;
os que moram no Oeste proclamarão a grandeza do Senhor,

15 e os que moram no Leste o louvarão.
Os que moram no litoral
louvarão o nome do Senhor, o Deus de Israel.

16 Dos lugares mais distantes do mundo,
ouvimos a canção de louvor ao Deus justo.
Mas eu disse: “Ai de mim! Que desgraça!
Já não aguento mais!
Os traidores continuam a trair;
há falsidade por toda parte!”

17 Escutem, todos os povos!
Como animais vocês serão perseguidos pelos caçadores;
covas e armadilhas esperam por vocês.

18 Aquele que escapar dos caçadores cairá numa cova,
e quem sair da cova será apanhado numa armadilha.
As represas do céu vão se abrir,
os alicerces da terra serão abalados.

19 A terra vai tremer e se rachar;
ela ficará completamente despedaçada.

20 A terra andará cambaleando como um bêbado;
será sacudida de um lado para outro
como uma barraca na ventania.
Os pecados que a terra carrega são tão pesados,
que ela cai e não consegue se levantar.

21 Naquele dia, o Senhor castigará os poderes do céu
e também os reis do mundo, na terra.

22 Ele os ajuntará e os jogará numa cova;
ali ficarão presos por muito tempo
e depois serão castigados.

23 A lua terá vergonha de brilhar,
e o sol ficará pálido de medo
porque o Senhor Todo-Poderoso
reinará no monte Sião, em Jerusalém.
E, na presença dos líderes do seu povo,
ele mostrará a sua glória.



Isaías 25

Hino de louvor a Deus

1 Ó Senhor, tu és o meu Deus.
Eu te adorarei e louvarei o teu nome,
pois tens feito coisas maravilhosas;
tens cumprido fielmente os planos seguros
que há muito tempo decidiste fazer.

2 Deixaste as cidades dos nossos inimigos em ruínas,
as cidades cercadas de muralhas foram arrasadas.
Destruíste os seus palácios,
e nunca mais eles serão reconstruídos.

3 Por isso, povos poderosos te louvarão,
e tu serás temido nas cidades onde mora gente cruel.

4 Pois tens sido o protetor dos pobres,
o defensor dos necessitados,
um abrigo na tempestade
e uma sombra no calor.
A fúria de homens violentos
é como uma tempestade de inverno,

5 como o calor do deserto.
Mas tu tapas a boca dos estrangeiros.
Como uma nuvem diminui o calor num dia quente,
assim tu calaste os gritos de vitória de homens violentos.



Um banquete para todos os povos

6 No monte Sião, o Senhor Todo-Poderoso vai dar um banquete para todos os povos do mundo; nele haverá as melhores comidas e os vinhos mais finos. 7 E ali ele acabará com a nuvem de tristeza e de choro que cobre todas as nações.

8 O Senhor Deus acabará para sempre com a morte. Ele enxugará as lágrimas dos olhos de todos e fará desaparecer do mundo inteiro a vergonha que o seu povo está passando. O Senhor falou.

9 Naquele dia, todos dirão:
— Ele é o nosso Deus. Nós pusemos a nossa esperança nele, e ele nos salvou. Ele é o Senhor, e nós confiamos nele. Vamos cantar e nos alegrar porque ele nos socorreu.



Deus castigará Moabe

10 O Senhor Deus protegerá o monte Sião,
mas o país de Moabe será pisado
como se pisa a palha de um depósito de esterco.

11 Os moabitas estenderão os braços
como quem está tentando nadar;
mas, apesar de todo o seu esforço,
os moabitas orgulhosos serão humilhados por Deus.

12 Ele derrubará as altas e fortes muralhas de Moabe
e as deixará completamente arrasadas.



Isaías 26

Hino de vitória

1 Naquele dia, o povo de Judá cantará este hino:
A nossa cidade é forte!
Deus nos protege com altas muralhas.

2 Abram os portões da cidade
e deixem entrar o povo que é fiel a Deus
e que faz o que é direito.

3 Tu, ó Senhor, dás paz e prosperidade
às pessoas que têm uma fé firme,
às pessoas que confiam em ti.

4 Confiem sempre no Senhor,
pois ele é o nosso eterno abrigo.

5 Ele rebaixou os vaidosos
e humilhou a cidade orgulhosa em que moravam.
Ele derrubou e arrasou a cidade deles,

6 e agora os pobres e os necessitados pisam as suas ruínas.

7 O caminho das pessoas direitas é fácil;
tu, ó Deus justo, tornas plano o caminho por onde elas andam.

8 Ó Senhor, nós seguimos o caminho das tuas leis
e em ti pomos a nossa esperança;
o nosso maior desejo é conhecer-te
e pensar em ti.

9 Com todo o meu coração,
quero estar contigo de noite;
com todo o meu ser, procuro conhecer a tua vontade.
Pois, quando julgas e castigas o mundo,
os seus moradores aprendem o que é justiça.

10 Ainda que tenhas compaixão dos maus,
mesmo assim eles não aprendem a fazer o que é certo.
Mesmo aqui neste país onde o povo é direito,
eles continuam a fazer o que é mau
e não se importam com a grandeza de Deus, o Senhor.

11 Ó Senhor, tu tens a mão levantada para castigar,
mas os teus inimigos não notam isso.
Porém, quando virem o grande amor que tens pelo teu povo,
então ficarão envergonhados.
Que o fogo da tua ira os devore!

12 Ó Senhor, tu nos fazes prosperar;
tudo o que conseguimos é feito por ti.

13 Ó Senhor, nosso Deus,
temos sido dominados por outros povos e pelos seus deuses,
mas confessamos que só tu és o nosso Deus.

14 Aqueles povos estão mortos, não voltarão a viver;
são somente sombras, não ressuscitarão.
Pois tu os castigaste e destruíste,
e ninguém lembra mais deles.

15 Tu, ó Senhor, fizeste a nossa nação ficar maior;
aumentaste o território do nosso país,
e isso trouxe glória para o teu nome.

16 Castigaste o teu povo, ó Senhor;
na nossa aflição, oramos a ti.

17 Como uma mulher que está dando à luz
se torce e grita de dor,
assim estávamos nós por causa de ti, ó Senhor.

18 Nós sofremos dores de parto e nos torcemos,
mas não demos nada à luz.
Não conseguimos nenhuma vitória para o nosso país,
nem fizemos aumentar o número de pessoas na terra.

19 Os mortos do nosso povo voltarão a viver;
os seus corpos ressuscitarão.
Os que estão no mundo dos mortos
acordarão e cantarão de alegria.
Como o orvalho que tu envias dá vida à terra,
assim de dentro da terra os mortos sairão vivos.



Castigo e salvação

20 Meu povo, vão para as suas casas e tranquem as portas;
escondam-se por algum tempo
até que passe a ira de Deus.

21 Porque o Senhor Deus virá da sua morada, no céu,
a fim de castigar os moradores da terra por causa dos seus pecados.
Pois a terra não esconderá mais os que foram mortos,
mas deixará que apareçam todos os crimes de sangue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário