Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Isaías 7 a 10 (dia 175)

Isaías 7

Mensagem para o rei Acaz

1 No tempo em que Acaz, filho de Jotão e neto de Uzias, era rei de Judá, Rezim, rei da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de Israel, atacaram a cidade de Jerusalém, mas não puderam conquistá-la.
2 Quando o rei Acaz soube que os sírios haviam feito um acordo com os israelitas, ele e todo o seu povo ficaram com tanto medo, que tremiam como varas verdes.

3 O Senhor Deus disse a Isaías:
— Vá com o seu filho Sear-Jasube encontrar-se com o rei Acaz. Ele estará na estrada onde os tintureiros trabalham, perto do canal que traz água do açude de cima. 4 Diga ao rei que fique alerta, mas que não perca a calma; que não tenha medo, nem fique desanimado por causa do ódio do rei Rezim, dos sírios e do rei Peca. Eles são menos perigosos do que dois tições soltando fumaça. 5 Os sírios, junto com o rei Peca e os israelitas, estão fazendo planos para prejudicar o rei Acaz. Eles combinaram o seguinte:

6 “Vamos atacar o Reino de Judá, conquistar o seu povo e forçá-lo a aceitar o filho de Tabeal como rei.”
7 — Porém eu, o Senhor, afirmo que isso não acontecerá.

8-9 Pois a Síria não é mais forte do que Damasco, a sua capital, e Damasco não é mais forte do que o rei Rezim. A terra de Israel não é mais forte do que Samaria, a sua capital, e Samaria não é mais forte do que o rei Peca. Mas daqui a sessenta e cinco anos Israel será destruído e deixará de existir como nação.
— Se vocês não tiverem uma fé firme, não poderão ficar firmes.



Emanuel: Deus está com o seu povo

10 O Senhor Deus enviou ao rei Acaz esta outra mensagem:

11 — Peça ao Senhor, seu Deus, que lhe dê um sinal. Esse sinal poderá vir das profundezas do mundo dos mortos ou das alturas do céu.

12 Mas Acaz respondeu:
— Não vou pedir sinal nenhum. Não vou pôr o Senhor à prova.

13 Então Isaías disse:
— Escutem, descendentes do rei Davi! Será que não basta vocês abusarem da paciência das pessoas? Precisam abusar também da paciência do meu Deus? 14 Pois o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a jovem que está grávida dará à luz um filho e porá nele o nome de Emanuel. 15 Quando ele chegar à idade de saber escolher o bem e rejeitar o mal, o povo estará comendo coalhada e mel.

16 Mas, mesmo antes desse tempo, ó rei Acaz, as terras daqueles dois reis que lhe causaram tanto medo ficarão completamente abandonadas.
17 — O Senhor Deus vai trazer sofrimento para o senhor, ó rei, para as pessoas da sua família e para o seu povo. Ele fará isso por meio do rei da Assíria, e o sofrimento que esse rei vai causar será o pior que já houve desde que o Reino de Israel se separou do Reino de Judá. 18 Quando chegar aquele dia, o Senhor Deus vai assobiar e chamar os egípcios para que venham, como se fossem moscas, dos lugares mais distantes do rio Nilo. E assobiará também para que os assírios, como um enxame de abelhas, venham da sua terra.

19 Eles virão e, como enxames, pousarão nos vales mais profundos, nas fendas das rochas, e em todos os espinheiros e em todos os lugares onde o gado bebe água.

20 — Naquele dia, o Senhor vai contratar um barbeiro que vive na região que fica no outro lado do rio Eufrates, isto é, o rei da Assíria. Ele virá e rapará a barba, os cabelos e os pelos do corpo de todos.
21 — Naquele dia, quem ficar com uma vaca nova e duas cabras

22 terá tanto leite, que poderá comer coalhada. E todos os que ficarem com vida no país comerão coalhada e mel.
23 — Naquele dia, o que antes era uma plantação com mil pés de uva, valendo mil barras de prata, virará um terreno cheio de mato e de espinheiros. 24 O país todo ficará coberto de espinheiros, e os homens irão ali caçar com arco e flechas. 25 E todos os montes, onde antes havia plantações, ficarão tão cobertos de mato e de espinheiros, que ninguém terá a coragem de ir até lá. Somente o gado e as ovelhas irão lá para pastar.



Isaías 8

O significado do nome do filho de Isaías

1 O Senhor Deus me disse:
— Pegue uma tabuleta grande e escreva nela, em letras bem grandes, o seguinte: “Maer-Salal-Hás-Baz”.

2 E procure dois homens de confiança, isto é, o sacerdote Urias e Zacarias, filho de Jeberequias, para servirem de testemunhas.

3 Algum tempo depois, a minha mulher, a profetisa, ficou grávida e deu à luz um filho. Aí o Senhor me disse:
— Ponha nele o nome de Maer-Salal-Hás-Baz.

4 Pois, antes que ele aprenda a dizer “papai” ou “mamãe”, o rei da Assíria levará embora todas as riquezas de Damasco e de Samaria.

5 O Senhor falou comigo de novo. Ele disse:
6 — Esse povo não quis as águas calmas do riacho de Siloé e está tremendo de medo do rei Rezim e do rei Peca. 7 Por isso, eu, o Senhor, vou trazer o rei da Assíria e o seu poderoso exército para atacarem esse povo. Eles avançarão como uma enchente do rio Eufrates que sobe acima das margens de todos os canais e de todos os rios que desembocam nele.

8 Eles invadirão a terra de Judá como as águas de uma enchente que cobrem tudo e sobem até o pescoço da gente.
Mas Deus está com o seu povo. As suas asas abertas protegem a Terra Prometida.

9 Reúnam-se, povos, mas fiquem com medo!
Escutem, todos os países distantes!
Preparem-se para a guerra, mas vocês serão derrotados!
Sim, preparem-se para a guerra, mas vocês serão derrotados!

10 Façam planos, mas eles não darão certo.
Resolvam o que quiserem, mas tudo fracassará,
pois Deus está conosco.



Deus avisa o profeta e os seus seguidores

11 O Senhor Deus pôs a sua poderosa mão sobre mim e avisou a mim e aos meus seguidores que não andássemos no caminho que o povo estava seguindo. Ele nos disse:
12 — Não pensem que tudo o que o povo chama de revolução seja revolução mesmo. Não fiquem assustados, nem tenham medo daquilo de que o povo tem medo. 13 Pelo contrário, fiquem assustados por minha causa e tenham medo de mim, pois eu, o Senhor Todo-Poderoso, sou santo. 14 Eu serei um templo para abrigar vocês; serei também uma pedra e uma rocha que fará com que os povos de Judá e de Israel tropecem e caiam; serei uma armadilha e um laço para pegar os moradores de Jerusalém.

15 Muitos tropeçarão, cairão e se despedaçarão; ficarão presos nessa armadilha.

16 Eu disse aos meus seguidores:
— Guardem a mensagem e lembrem dos ensinamentos que o Senhor me deu.

17 Ele se escondeu do seu povo, mas eu confio nele e nele ponho a minha esperança.

18 — Aqui estou eu com os filhos que o Senhor Deus me deu. O Senhor Todo-Poderoso, que mora no monte Sião, nos enviou para sermos sinais que causem espanto ao povo de Israel.
19 — Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!”

20 Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.”



Tempos de aflição

21 O povo andará de um lugar para outro, sem rumo, desanimado e com fome. Por causa da fome, ficarão com raiva e amaldiçoarão o seu rei e o seu Deus. Olharão para o céu 22 e depois para a terra e verão somente sofrimento e escuridão, trevas e angústia; porém não poderão escapar delas.



Isaías 9

O Príncipe da Paz

1 Mas a aflição dos que estiverem sofrendo vai acabar. No passado, Deus humilhou a terra das tribos de Zebulom e de Naftali, mas no futuro ele tornará famosa essa região, que vai desde o mar Mediterrâneo até a terra que fica no lado leste do rio Jordão, isto é, a Galileia dos pagãos.

2 O povo que andava na escuridão
viu uma forte luz;
a luz brilhou
sobre os que viviam nas trevas.

3 Tu, ó Deus, aumentaste esse povo
e lhe deste muita felicidade.
Eles se alegram pelo que tens feito,
como se alegram os que fazem as colheitas
ou como os que repartem as riquezas
tomadas na guerra.

4 Tu arrebentaste as suas correntes de escravos,
quebraste o bastão com que eram castigados;
acabaste com o inimigo que os dominava,
assim como no passado acabaste com os midianitas.

5 As botas barulhentas dos soldados
e todas as suas roupas sujas de sangue
serão completamente destruídas pelo fogo.

6 Pois já nasceu uma criança,
Deus nos mandou um menino
que será o nosso rei.
Ele será chamado de “Conselheiro Maravilhoso”,
“Deus Poderoso”, “Pai Eterno”, “Príncipe da Paz”.

7 Ele será descendente do rei Davi;
o seu poder como rei crescerá,
e haverá paz em todo o seu reino.
As bases do seu governo serão a justiça e o direito,
desde o começo e para sempre.
No seu grande amor, o Senhor Todo-Poderoso
fará com que tudo isso aconteça.



A ira de Deus contra o povo de Israel

8 Deus anuncia que vai castigar o povo de Israel,
os descendentes de Jacó.

9 Todo o povo de Israel
e todos os moradores de Samaria
sabem o que ele vai fazer.
Orgulhosos e vaidosos, eles dizem:

10 “Caíram as casas feitas de tijolos,
mas nós as construiremos de novo com pedras;
as vigas de madeira de figueira brava foram cortadas,
mas agora vamos usar vigas de cedro.”

11 Por isso, o Senhor atiça os inimigos deles
e manda que os ataquem.

12 A Síria, a leste, e a Filisteia, a oeste,
abriram a sua boca para devorar o povo de Israel.
Mesmo assim a ira de Deus não passou;
a sua mão continua levantada para castigar.

13 O Senhor Todo-Poderoso castigou o seu povo,
mas eles não se arrependeram,
não voltaram para Deus.

14 Portanto, num dia só, o Senhor
vai cortar a cabeça e o rabo do Reino de Israel,
como se faz com um animal;
vai derrubar as palmeiras e os juncos.

15 (Os mais velhos e os mais respeitados são a cabeça;
os profetas que anunciam mentiras são o rabo.)

16 As autoridades guiaram o povo por caminhos errados,
e por isso o povo anda perdido.

17 Portanto, o Senhor não terá pena dos jovens,
nem terá compaixão dos órfãos e das viúvas.
Pois ninguém crê em Deus;
todos são maus e falam tolices.
Mesmo assim, a ira de Deus não passou;
a sua mão continua levantada para castigar.

18 A maldade do povo queima como o fogo
que destrói o mato e os espinheiros.
É como um incêndio na floresta,
que faz subir nuvens de fumaça.

19 O Senhor Todo-Poderoso está irado,
e por isso a terra está sendo queimada,
e o povo está sendo destruído.
Ninguém tem pena dos outros.

20 Comem até a carne dos seus próprios filhos!
Cada um devora a comida que consegue arranjar,
mas assim mesmo continua com fome.

21 O povo da tribo de Manassés ataca o de Efraim,
o povo da tribo de Efraim ataca o de Manassés,
e os dois juntos atacam o povo de Judá.
Mesmo assim, a ira de Deus não passou;
a sua mão continua levantada para castigar.



Isaías 10

1 Ai de vocês que fazem leis injustas,
leis para explorar o povo!

2 Vocês não defendem os direitos dos pobres
nem as causas dos necessitados
e exploram as viúvas e os órfãos.

3 O que vocês vão fazer no dia do castigo,
quando de um país distante vier a desgraça?
A quem vão pedir socorro?
Onde esconderão as suas riquezas?

4 Vocês serão levados como prisioneiros,
serão mortos na batalha.
Mesmo assim, a ira de Deus não passou;
a sua mão continua levantada para castigar.



O rei da Assíria como instrumento de Deus

5 O Senhor disse:
“Ai do rei da Assíria!
Ele é o bastão que eu uso para castigar
aqueles com quem estou irado.

6 Eu estou mandando que ele ataque um povo pagão,
um povo com quem estou irado.
Estou ordenando que leve embora tudo o que é deles
e que os pise como se fossem a lama das ruas.

7 Mas o rei da Assíria quer mais do que isso;
ele tem os seus próprios planos.
Só pensa em conquistar muitas nações
e destruí-las completamente.

8 Ele diz: ‘Todos os meus comandantes são reis!

9 Tenho conquistado muitas cidades:
Calno e Carquemis, Hamate e Arpade;
e também conquistei Samaria e Damasco.

10 Já derrotei reinos pagãos,
onde o povo adorava muitos ídolos,
mais ídolos do que há em Jerusalém ou em Samaria.

11 Já destruí Samaria e os seus ídolos
e farei o mesmo com Jerusalém e com os seus ídolos.’ ”
12 Quando o Senhor terminar tudo o que está planejando fazer no monte Sião e em Jerusalém, então ele vai castigar o rei da Assíria, aquele homem orgulhoso e vaidoso.

13 Pois o rei diz:
“Fiz tudo isso com a minha própria força
e com a minha sabedoria, pois sou inteligente.
Mudei de lugar as fronteiras dos países
e fiquei com todas as suas riquezas;
como se fosse um touro, eu pisei os seus moradores.

14 Eu levei comigo as riquezas das outras nações,
como alguém que tira os ovos de um ninho abandonado.
Não houve ninguém que batesse as asas,
ninguém que desse um pio.”

15 Mas será que o machado pensa que é mais importante
do que o homem que o usa?
Ou será que a serra imagina que vale mais
do que a pessoa que serra com ela?
Será que um bastão, um simples pedaço de madeira,
é capaz de levantar um homem?

16 Por isso, o Senhor, o Deus Todo-Poderoso,
enviará contra os fortes soldados assírios
uma doença que os deixará sem forças.
Mandará uma febre que, como fogo,
queimará os corpos deles.

17 O Santo Deus, a Luz de Israel,
será um fogo que, num dia só,
queimará o mato e os espinheiros da Assíria.

18 O Senhor destruirá completamente
as florestas e as plantações;
será como uma doença mortal
que acaba matando a pessoa.

19 As árvores que sobrarem serão tão poucas,
que até uma criança será capaz de contá-las.



Alguns voltarão

20 Naquele dia, os poucos israelitas que ficarem vivos não vão confiar mais nos assírios, que os fizeram sofrer. Eles vão pôr toda a sua confiança no Senhor, o Santo Deus de Israel. 21 Alguns israelitas voltarão para o poderoso Deus. 22 Mesmo que agora o povo de Israel seja tão numeroso como os grãos de areia da praia do mar, somente alguns voltarão. Deus já decidiu destruir o seu povo; a justiça virá como se fosse uma enchente.

23 Pois o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, decidiu destruir este país inteiro e ele fará o que decidiu fazer.

24 Portanto, o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, diz ao seu povo, que mora em Sião:
— Meu povo, não fique com medo dos assírios quando eles castigarem e maltratarem vocês como os egípcios fizeram. 25 Pois daqui a pouco deixarei de castigar vocês e na minha ira destruirei os assírios. 26 Eu, o Senhor Todo-Poderoso, castigarei os assírios com o meu chicote como fiz com os midianitas perto da pedra de Orebe. Eu os castigarei como castiguei o Egito.

27 Naquele dia, eu livrarei vocês da escravidão e tirarei a pesada carga que os assírios puseram nas suas costas.



Os assírios atacam

Os inimigos vêm da direção de Rimom,

28 já conquistaram a cidade de Ai,
passaram por Migrom
e deixaram a bagagem em Micmás.

29 Atravessaram a passagem entre as montanhas
e à noite estão acampando em Geba.
Os moradores de Ramá estão tremendo de medo,
e os de Gibeá, a cidade do rei Saul, já fugiram.

30 Gritem, moradores de Galim!
Escute os gritos, gente de Laís!
Responda, povo de Anatote!

31 Os moradores de Madmena estão fugindo,
fogem também os de Gebim.

32 Hoje mesmo os inimigos chegam até a cidade de Nobe
e dali ameaçam o monte Sião,
a cidade de Jerusalém.

33 Mas o Senhor, o Deus Todo-Poderoso,
derrubará e humilhará os assírios mais orgulhosos
como se cortam os galhos altos de uma árvore
ou como se derrubam árvores enormes.

34 Com o seu machado, ele derrubará as árvores da floresta,
e elas cairão como caem as belas árvores do Líbano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário