Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Jeremias 21 a 24 (dia 195)

Jeremias 21-24

Jerusalém será destruída

21 O rei Zedequias, de Judá, mandou que Pasur, filho de Malquias, fosse junto com o sacerdote Sofonias, filho de Maaseias, e me fizesse o seguinte pedido:
— Jeremias, peça a Deus, o Senhor, que nos ajude, pois o rei Nabucodonosor, da Babilônia, está fazendo guerra contra nós. Pode ser que o Senhor faça um milagre em nosso benefício e obrigue Nabucodonosor a se retirar.
Então o Senhor falou comigo, e eu disse que levassem a Zedequias a seguinte resposta do Senhor, o Deus de Israel:
— Quem vai bater em retirada são os soldados que Zedequias está pondo para guerrear contra o rei da Babilônia e o seu exército que está do lado de fora das muralhas de Jerusalém. Eu amontoarei as armas deles no centro da cidade. Eu mesmo lutarei contra vocês com toda a minha força, ira e raiva e com o meu grande furor. Nesta cidade, matarei tudo o que tem vida; tanto as pessoas como os animais morrerão de uma doença horrível. O rei Zedequias, os seus oficiais e as outras pessoas que não morrerem por causa da guerra, da fome e da doença — todos estes eu deixarei que sejam presos pelo rei Nabucodonosor e pelos outros inimigos que querem matá-los. Nabucodonosor mandará matá-los; ele não terá dó nem piedade de nenhum deles. Eu, o Senhor, estou falando.
Em seguida, Deus mandou que eu dissesse ao povo:
— Escutem! Eu, o Senhor, deixo que vocês escolham entre o caminho da vida e o caminho da morte. Quem ficar nesta cidade será morto na batalha, pela fome ou pela doença. Mas quem sair e se entregar aos babilônios que estão cercando a cidade não será morto: o que essa pessoa vai ganhar é escapar com vida. 10 Pois eu resolvi não proteger esta cidade e sim destruí-la. Ela será entregue ao rei da Babilônia, e ele a queimará completamente. Eu, o Senhor, estou falando.

Mensagem para a família real de Judá

11-12 — Jeremias, diga aos descendentes do rei Davi, que são a família real de Judá, que escutem aquilo que eu, o Senhor, estou dizendo: “Façam justiça todos os dias. Protejam dos exploradores aqueles que estão sendo explorados. Se não, as maldades que vocês estão praticando farão a minha ira queimar como fogo que não pode ser apagado. 13 Jerusalém, você está num lugar bem alto, acima dos vales, como uma rocha que fica acima do planalto. Mas eu, o Senhor, lutarei contra você. Você diz que ninguém tem a coragem de atacá-la, que ninguém consegue tomá-la. 14 Mas eu, o Senhor, a castigarei por causa do que você tem feito. Vou pôr fogo no seu palácio, e tudo o que estiver em volta também será queimado. Eu, o Senhor, estou falando.”
22 1-2 O Senhor Deus mandou que eu fosse ao palácio do rei de Judá, descendente de Davi, para dizer ao rei, aos seus oficiais e ao povo de Jerusalém que escutassem estas palavras do Senhor:
— Eu, o Senhor, lhes digo: façam o que é justo e honesto. Protejam dos exploradores aqueles que estão sendo explorados. Não maltratem, nem explorem os estrangeiros, os órfãos e as viúvas. Não matem pessoas inocentes neste lugar sagrado. Se vocês, de fato, fizerem o que eu estou mandando, então os descendentes de Davi continuarão a ser reis. Eles continuarão a passar pelos portões deste palácio sentados em carros e montados em cavalos, junto com os seus oficiais e com o seu povo. Mas, se vocês não obedecerem às minhas palavras, então eu juro por mim mesmo que este palácio se tornará um monte de pedras. Sou eu, o Senhor, quem está falando.
— O palácio real de Judá é lindo como a terra de Gileade e como os montes Líbanos, mas eu farei com que vire um deserto, um lugar onde ninguém mora. Estou mandando homens para destruí-lo. Todos eles virão com os seus machados, derrubarão as suas lindas colunas de madeira de cedro e as jogarão no fogo.
— Depois, muitos estrangeiros vão passar e perguntar um ao outro por que é que eu, o Senhor, fiz uma coisa dessas com esta grande cidade. Aí eles responderão que foi porque vocês abandonaram a aliança que fizeram comigo, o Deus de vocês, e adoraram e serviram outros deuses.

A mensagem a respeito de Joacaz

10 Povo de Judá, não chore pelo rei Josias,
nem lamente a sua morte,
mas chore amargamente por Joacaz, seu filho.
Vão levá-lo,
e ele nunca mais voltará,
nunca mais verá a terra onde nasceu.
11 Pois o que o Senhor Deus diz a respeito de Joacaz, filho de Josias, que ficou no lugar do seu pai como rei de Judá, é o seguinte:
— Ele foi embora daqui para sempre, para nunca mais voltar. 12 Ele morrerá no país para onde o levaram e nunca mais verá esta terra.

A mensagem a respeito de Jeoaquim

13 Ai daquele que constrói a sua casa
com injustiça e desonestidade,
não pagando os salários dos seus vizinhos
e fazendo com que trabalhem de graça!
14 Ai daquele que diz:
“Vou construir para mim uma casa bem grande,
com quartos espaçosos no andar de cima!”
Então ele põe janelas na casa,
forra as paredes com cedro
e pinta de vermelho.
15 Será que você é rei
só porque constrói casas forradas de cedro,
melhores do que as dos outros?
Josias, o seu pai, viveu uma vida normal;
sempre foi justo e honesto,
e tudo o que ele fez deu certo.
16 Ele tratou com justiça os pobres e os necessitados,
e tudo lhe correu bem.
Quem faz isso mostra que, de fato, me conhece.
Sou eu, o Senhor, quem está falando.
17 Mas você só enxerga os seus interesses egoístas.
Você mata os inocentes
e explora o seu povo com violência.
18 Por isso, Deus diz o seguinte a respeito de Jeoaquim, rei de Judá e filho de Josias:
“Ninguém vai chorar a morte de Jeoaquim nem dizer:
‘Que coisa horrível, amigo,
que coisa horrível!’
Ninguém vai chorar por ele nem gritar:
‘Meu senhor! Meu rei!’
19 Ele será sepultado como se sepulta um jumento morto;
será arrastado e jogado para fora dos portões de Jerusalém.”

O destino de Jerusalém

20 Povo de Jerusalém,
vá até o Líbano e grite,
vá à terra de Basã e grite bem alto.
Que a sua voz seja ouvida desde as montanhas de Moabe,
pois todos os países amigos que você tem foram derrotados!
21 Deus lhe falou quando você estava bem de vida,
mas você não quis ouvir.
Isso é o que você tem feito desde a sua mocidade,
pois nunca obedeceu a Deus.
22 As suas autoridades serão espalhadas pelo vento,
e os seus amigos serão levados como prisioneiros de guerra.
Então a sua cidade será humilhada e envergonhada
por causa de todo o mal que você tem feito.
23 Você, que está muito seguro
entre os cedros trazidos do Líbano,
como vai gemer quando chegarem as dores,
dores iguais às da mulher na hora do parto!

A condenação de Joaquim

24 O Senhor Deus disse a Joaquim, rei de Judá e filho de Jeoaquim:
— Juro pela minha vida que, ainda que você fosse um anel de rei na minha mão direita, eu o arrancaria. 25 Vou entregá-lo às pessoas que o querem matar, e das quais você tem medo: ao rei Nabucodonosor, da Babilônia, e aos seus soldados. 26 Jogarei você e a sua mãe numa terra estranha, onde vocês não nasceram, e lá morrerão. 27 Vocês terão saudades da sua terra, porém não voltarão para lá.
28 Então eu disse:
— Será que Joaquim é como um pote quebrado que foi jogado fora e que ninguém mais quer? Por que é que ele e os seus filhos foram levados e jogados numa terra que não conhecem?
29 Ó terra, terra, terra!
Escute o que o Senhor disse:
30 “Este homem está condenado a ficar sem filhos
e será um fracassado.
Ele não terá descendentes que sejam reis, como Davi,
e que reinem em Judá.
Eu, o Senhor, falei.”

Esperança no futuro

23 1-2 O Senhor, o Deus de Israel, diz o seguinte a respeito das autoridades encarregadas de cuidar do seu povo:
— Ai de vocês, autoridades, que deixam que o meu povo seja morto e espalhado! Vocês não cuidaram do meu povo, mas o espalharam e o fizeram fugir. E agora eu castigarei vocês por causa das maldades que têm feito. Sou eu, o Senhor, quem está falando. Ajuntarei o resto do meu povo dos países por onde os espalhei e os trarei de volta à sua pátria. Eles terão muitos filhos e aumentarão muito. Eu lhes darei líderes que cuidarão deles. Não ficarão mais com medo, nem apavorados, e nenhum deles se perderá. Eu, o Senhor, estou falando.
O Senhor Deus diz ainda:
— Está chegando o tempo em que farei com que de Davi venha um descendente que seja um rei justo. Esse rei governará com sabedoria e fará o que é certo e honesto no país inteiro. Quando isso acontecer, o povo de Judá ficará seguro, e o povo de Israel viverá em paz. Esse rei será chamado de “Senhor, nossa Salvação”.
— Está chegando o tempo — diz o Senhor — em que o povo não jurará mais por mim como o Deus vivo que tirou Israel da terra do Egito. Em vez disso, vão jurar por mim como o Deus vivo que fez o povo de Israel voltar da terra do Norte e de todas as terras onde eu os tinha espalhado. E eles viverão na sua própria terra.

Mensagem contra os profetas

A respeito dos profetas eu disse o seguinte:
“O meu coração está esmagado,
e eu estou tremendo.
Por causa de Deus, o Senhor,
por causa das suas santas palavras,
eu sou como um bêbado,
pareço um homem que bebeu muito vinho.
10 A terra está cheia de adultérios;
o povo vive pecando
e gasta as suas forças à toa.
Por causa da maldição divina, a terra chora,
e os pastos estão secos.”
11 O Senhor diz:
“Os profetas e os sacerdotes não querem saber de mim;
eu os peguei fazendo o mal no próprio Templo.
12 Os caminhos que eles seguem serão escuros,
e neles será fácil escorregar;
eu farei com que eles tropecem e caiam.
Farei com que a desgraça venha sobre eles,
pois está chegando o tempo do seu castigo.
Sou eu, o Senhor, quem está falando.
13 Eu vi o pecado dos profetas de Samaria:
eles anunciaram mensagens em nome do deus Baal
e desviaram Israel, o meu povo.
14 Mas vejo que os profetas de Jerusalém fazem pior ainda:
cometem adultério, dizem mentiras,
ajudam os outros a fazerem o mal,
e assim ninguém para de fazer o que é errado.
Para mim, todos eles são como a cidade de Sodoma,
são tão maus como o povo de Gomorra.
15 Por isso, eu, o Senhor Todo-Poderoso,
digo o seguinte a respeito dos profetas de Jerusalém:
Eu farei com que eles comam ervas amargas
e bebam água envenenada
porque espalharam a descrença pelo país inteiro.”
16 O Senhor Todo-Poderoso diz ao povo de Jerusalém:
— Não escutem o que os profetas dizem, pois eles estão iludindo vocês com falsas esperanças. Dizem coisas que eles mesmos inventam e não aquilo que eu falei. 17 Eles continuam dizendo aos que desprezam a minha mensagem: “Tudo irá bem.” E dizem aos teimosos: “A desgraça não cairá sobre vocês.”
18 Então eu disse:
— Qual desses profetas algum dia conheceu os pensamentos secretos do Senhor? Será que algum deles viu e ouviu a palavra do Senhor? Qual deles deu atenção à sua mensagem e obedeceu?
19 E continuei:
— A ira do Senhor é uma tempestade, é um vento forte como um redemoinho, em cima da cabeça dos maus. 20 E essa ira não acabará até que Deus faça tudo o que planejou. No futuro, o seu povo compreenderá isso muito bem.
21 O Senhor Deus disse:
— Eu não enviei esses profetas, nem lhes dei nenhuma mensagem. Mas assim mesmo eles saíram correndo e falaram em meu nome. 22 Se eles tivessem conhecido os meus pensamentos secretos, poderiam ter anunciado a minha mensagem e assim teriam feito o meu povo abandonar a sua vida errada e as maldades que vive praticando.
23 — Eu sou o Deus que está em toda parte e não num só lugar. Sou eu, o Senhor, quem está falando. 24 Ninguém pode se esconder num lugar onde eu não possa ver. Então vocês não sabem que estou em toda parte, no céu e na terra? 25 Eu sei o que têm dito esses profetas que falam mentiras em meu nome e afirmam que lhes dei minhas mensagens nos seus sonhos. 26 Por quanto tempo ainda esses profetas vão enganar o meu povo com as mentiras que inventam? 27 Eles pensam que os sonhos que contam vão fazer com que o meu povo me esqueça, assim como os pais deles me esqueceram por causa do deus Baal. 28 O profeta que teve um sonho devia contá-lo como um simples sonho. Mas o profeta que ouviu a minha mensagem devia anunciá-la fielmente. Que vale a palha comparada com o trigo? 29 A minha mensagem é como fogo, é como a marreta que quebra grandes pedras. Sou eu, o Senhor, quem está falando. 30 Eu sou contra esses profetas que roubam as palavras uns dos outros e as anunciam como se fossem a minha mensagem. 31 Também sou contra esses profetas que falam as suas próprias palavras e afirmam que elas vieram de mim. 32 Escutem o que eu, o Senhor, estou dizendo! Sou contra os profetas que contam sonhos cheios de mentiras. Eles contam esses sonhos e, dizendo mentiras e se gabando, fazem o meu povo errar. Eu não os enviei, nem os mandei ir, e eles não ajudam o meu povo em nada. Eu, o Senhor, estou falando.

A mensagem de Deus é uma carga?

33 O Senhor Deus me disse:
— Jeremias, quando alguém do meu povo ou um profeta ou um sacerdote lhe perguntar: “Qual é a carga da mensagem do Senhor para nós?”, responda: “Vocês é que são uma carga para o Senhor, e ele vai se livrar de vocês.” 34 Se um profeta, ou um sacerdote, ou mesmo uma pessoa do povo usar as palavras “a mensagem do Senhor é uma carga”, eu o castigarei e também a sua família. 35 Em vez disso, cada um devia perguntar aos seus amigos e parentes o seguinte: “Qual foi a resposta do Senhor? O que foi que o Senhor disse?” 36 Mas eles nunca mais devem dizer estas palavras: “A mensagem do Senhor é uma carga.” Porque, se alguém disser isso, eu farei com que a minha mensagem se torne realmente uma carga para ele. O povo tem torcido as palavras do seu Deus, o Deus vivo, o Senhor Todo-Poderoso. 37 Jeremias, pergunte isto a cada profeta: “Qual foi a resposta que o Senhor lhe deu? O que foi que o Senhor disse?” 38 E, se eles responderem: “A mensagem do Senhor é uma carga”, então eu os castigarei por terem usado estas palavras que mandei que não usassem. 39 E certamente eu os pegarei, e jogarei longe de mim, e farei o mesmo com a cidade que dei a eles e aos seus antepassados. 40 Farei cair sobre eles vergonha eterna e desgraça eterna, que nunca serão esquecidas.

Os dois cestos de figos

24 1-2 Eu tive uma visão. Isso aconteceu depois que Nabucodonosor, rei da Babilônia, levou israelitas como prisioneiros de Jerusalém para a sua terra. Ele levou o rei de Judá, que era Joaquim, filho de Jeoaquim, as autoridades de Judá, os carpinteiros e os outros operários especializados. Nessa visão, o Senhor Deus me mostrou dois cestos de figos que estavam na frente do Templo. No primeiro cesto havia figos muito bons, do tipo que logo fica maduro. No outro havia figos muito ruins, ruins demais para se comer. Então o Senhor me perguntou:
— Jeremias, o que você está vendo?
— Figos! — respondi. — Os bons são muito bons, e os ruins são muito ruins, tão ruins, que ninguém pode comê-los.
Aí Deus me disse:
— Eu, o Senhor, o Deus de Israel, digo que os israelitas que foram levados para a Babilônia são como esses figos bons, e eu os tratarei com bondade. Cuidarei deles e os trarei de volta para esta terra. Eu edificarei a nação e não a destruirei; plantarei e não arrancarei. Porei no coração deles o desejo de reconhecerem que eu sou Deus, o Senhor. Então eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus porque com todo o coração vão voltar para mim.
— Eu, o Senhor, vou tratar como figos ruins, que não podem ser comidos, as seguintes pessoas: o rei Zedequias, de Judá, os políticos que estão com ele e o resto do povo de Jerusalém, tanto os que ficaram nesta terra como os que se mudaram para o Egito. Farei cair sobre eles uma desgraça tão grande, que todas as nações do mundo vão ficar horrorizadas. As pessoas vão zombar deles, fazer piadas e caçoar. E, em todos os lugares onde eu os espalhar, o nome deles será usado para rogar pragas. 10 Mandarei contra eles guerra, fome e doença, até que desapareçam da terra que dei a eles e aos seus antepassados.

___
 
Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH) Copyright 2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados / All rights reserved.

Nenhum comentário:

Postar um comentário