Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Jeremias 45 a 48 (dia 201)

Jeremias 45-48

A promessa de Deus a Baruque

45 1-2 No quarto ano do reinado de Jeoaquim, filho de Josias, em Judá, Baruque, filho de Nerias, escreveu aquilo que o Senhor, o Deus de Israel, me tinha dito. Foram estas as palavras que eu ditei e que Baruque escreveu num livro:
— Baruque, você está dizendo: “Eu desisto! O Senhor Deus aumentou a minha tristeza e o meu sofrimento. Estou cansado de gemer e não consigo descansar!”
Aí o Senhor me mandou dizer a Baruque:
— Estou destruindo o que construí e arrancando o que plantei. Farei isso em toda esta terra. Será que você está querendo ser tratado de modo diferente? Não espere isso. Eu farei a desgraça cair sobre toda a humanidade, mas você pelo menos escapará com vida, esteja onde estiver. Eu, o Senhor, falei.

A derrota do Egito em Carquemis

46 O Senhor Deus me falou a respeito das nações. Ele me falou sobre o exército de Neco, rei do Egito, que foi vencido em Carquemis, perto do rio Eufrates, pelo rei Nabucodonosor, da Babilônia. Isso aconteceu no quarto ano do reinado de Jeoaquim, filho de Josias, em Judá. A respeito do Egito Deus disse o seguinte:
“Os oficiais egípcios gritam:
‘Aprontem os seus escudos e marchem para a batalha!
Ponham arreios nos cavalos e montem!
Formem filas e ponham os capacetes!
Afiem as lanças e vistam as couraças!’
“Mas o que estou vendo?”
— pergunta Deus.
“Os egípcios estão fugindo de medo.
Eles correm apavorados e fogem tão depressa,
que nem olham para trás.
Aqueles que correm depressa não podem escapar;
os soldados não conseguem fugir.
No Norte, perto do rio Eufrates, eles tropeçam e caem.
Quem é este que vem subindo como o rio Nilo,
como um rio inundando as suas margens?
É o Egito, subindo como o Nilo,
como um rio alagando as suas margens.
O Egito disse: ‘Vou subir e cobrir o mundo;
vou destruir as cidades e os seus moradores.
Egípcios, mandem os cavalos saírem
e façam os carros de guerra correrem!
Mandem os soldados avançarem:
os homens da Etiópia e da Líbia,
que carregam escudos, e os homens de Lude,
que atiram flechas com os seus arcos.’ ”
10 Esse é o Dia do Senhor, o Deus Todo-Poderoso!
Hoje, ele se vingará;
hoje, ele castigará os seus inimigos.
A sua espada os devorará
até não querer mais
e beberá o sangue deles
até ficar satisfeita.
Hoje, o Senhor Todo-Poderoso oferecerá as suas vítimas em sacrifício
no Norte, perto do rio Eufrates.
11 Povo do Egito, vá a Gileade,
vá procurar remédios!
Todos os seus remédios não adiantam,
pois o seu mal não tem cura.
12 As nações ouviram falar da vergonha da sua derrota;
a terra inteira escutou os seus gritos.
Um soldado tropeçou no outro,
e os dois caíram no chão.

A vinda de Nabucodonosor

13 Quando o rei Nabucodonosor, da Babilônia, veio atacar o Egito, o Senhor Deus me disse o seguinte:
14 “Anunciem isto nas cidades do Egito,
em Migdol, Mênfis e Tafnes:
‘Preparem-se para se defender;
tudo o que vocês têm será destruído na guerra!
15 Por que foi que o seu deus poderoso caiu?
Foi porque o Senhor Deus o jogou no chão!’
16 Os soldados do Egito tropeçaram e caíram
e disseram uns aos outros:
‘Vamos depressa! Vamos voltar para casa,
para o nosso povo,
e assim escaparemos da espada do inimigo!’
17 Deem ao rei do Egito este novo nome —
‘Falador Espalhafatoso — o homem que perdeu a sua oportunidade.’
18 “Sou eu, o Rei, quem está falando.
Eu sou o Deus vivo.
O meu nome é Senhor, o Todo-Poderoso.
Como o Tabor é mais alto do que outros montes,
e o monte Carmelo fica acima do mar,
assim aquele que vai atacar
é mais forte do que vocês, egípcios.
19 “Povo do Egito,
apronte-se para ser levado como prisioneiro!
A cidade de Mênfis vai virar um deserto,
será arrasada e ficará sem moradores.
20 O Egito é como uma bela vaca,
mordida por um moscão que vem do Norte.
21 Até os seus soldados pagos para lutarem
são tão mansos como bezerros gordos.
Não ficaram firmes para lutar;
todos eles viraram as costas e fugiram
porque chegou o dia da sua desgraça,
chegou a hora da sua destruição.
22 O Egito foge, assobiando como uma cobra,
porque o exército inimigo está chegando.
Os inimigos atacam com machados,
como se fossem cortadores de lenha.
23 Eles derrubam a sua floresta,
onde é tão difícil entrar.
Os seus homens são tantos,
que não podem ser contados;
os soldados inimigos são mais numerosos do que gafanhotos.
24 O povo do Egito está humilhado
porque foi dominado pela nação do Norte.
Eu, o Senhor, estou falando.”
25 O Senhor Todo-Poderoso, o Deus de Israel, disse:
— Eu castigarei Amom, o deus de Tebas, e também o Egito, os seus deuses e os seus reis. Castigarei o rei do Egito e todos os que confiam nele. 26 Eu os entregarei aos que querem matá-los, isto é, ao rei Nabucodonosor, da Babilônia, e ao seu exército. Porém mais tarde o povo viverá outra vez na terra do Egito. Eu, o Senhor, estou falando.

Deus salvará o seu povo

27 “Descendentes do meu servo Jacó, não tenham medo!
Povo de Israel, não fique assustado!
Eu os livrarei dessa terra distante,
da terra onde vocês são prisioneiros.
Vocês voltarão e viverão em paz;
viverão em segurança,
e ninguém fará com que fiquem com medo.
28 Estarei com vocês para salvá-los.
Destruirei completamente todas as nações
por onde os espalhei,
mas vocês não serão completamente destruídos.
Vocês não ficarão sem castigo,
mas, quando eu os castigar,
não serei duro demais.
Eu, o Senhor, falei.”

A mensagem a respeito dos filisteus

47 Antes de o rei do Egito atacar a cidade de Gaza, o Senhor Deus me falou a respeito dos filisteus.
Ele disse: “Vejam!
No Norte, as águas estão subindo
e de lá vão correr como um rio
no tempo da enchente.
Elas cobrirão a terra
e tudo o que nela existe,
as cidades e os seus moradores.
Eles gritarão pedindo socorro;
todos nesta terra gritarão de dor.
Eles ouvirão o ruído das patas dos cavalos,
o barulho dos carros de guerra
e o estrondo das suas rodas.
Os pais não voltarão para buscar os seus filhos,
pois os seus braços estarão fracos, caídos.
Chegou o dia de destruir o país dos filisteus,
chegou o dia de impedir que as cidades de Tiro e Sidom
recebam ajuda dos seus aliados.
Eu, o Senhor, vou destruir os filisteus,
todos os que vêm da ilha de Creta.
O povo de Gaza ficou muito triste,
e os moradores de Asquelom estão calados.
Até quando vão chorar os que ficaram na terra dos filisteus?
Vocês gritam: ‘Espada de Deus!
Quando é que você vai parar de matar?
Volte para a sua bainha,
fique ali e descanse!’
Mas como é que a espada pode descansar,
se eu lhe dei trabalho para fazer?
Eu mandei que ela atacasse a cidade de Asquelom
e o povo que vive no litoral.”

A destruição de Moabe

48 O Senhor Todo-Poderoso, o Deus de Israel, disse o seguinte a respeito de Moabe:
“Tenham pena do povo da cidade de Nebo
porque ela está destruída!
Quiriataim foi tomada,
a sua fortaleza poderosa foi arrasada,
e o seu povo ficou humilhado.
Acabou-se a glória de Moabe.
Em Hesbom, o inimigo faz os seus planos:
‘Vamos acabar com a nação de Moabe!’
Exércitos marcharão contra a cidade de Madmém,
e nela só restará o silêncio.
O povo de Horonaim grita:
‘Tudo está arrasado!
Tudo está destruído!’
“O país de Moabe ficou em ruínas;
as crianças estão chorando.
Escutem os seus soluços
no caminho que sobe para Luíte,
ouçam os seus gritos de aflição
na estrada que desce para Horonaim.
Ouve-se gente gritando:
‘Depressa!
Fujam para salvar a vida!
Corram como um jumento selvagem no deserto!’
“Moabe, você confiou na sua força e na sua riqueza,
mas agora você mesmo será dominado.
O seu deus Quemos será levado para fora do país,
junto com os seus príncipes e os seus sacerdotes.
Nenhuma cidade escapará da destruição;
tanto o vale como o planalto ficarão arrasados.
Sou eu, o Senhor, quem está falando.
Preparem uma pedra para o túmulo de Moabe,
pois logo esse país será destruído;
as suas cidades ficarão em ruínas,
e ninguém mais vai morar lá.”
10 Maldito aquele que é relaxado no serviço de Deus!
Maldito aquele que guarda a sua espada para não matar!

A destruição das cidades de Moabe

11 O Senhor Deus disse:
— O povo de Moabe sempre viveu em segurança e nunca foi levado como prisioneiro para fora do seu país. Moabe é como o vinho guardado, que nunca foi agitado, nem derramado de uma vasilha para outra. O seu gosto nunca se estragou, e o seu sabor não mudou.
12 — E assim está chegando o dia em que vou mandar pessoas para derramarem Moabe como se fosse vinho. Essas pessoas despejarão as vasilhas de Moabe e as quebrarão. 13 Então os moabitas ficarão desiludidos com o seu deus Quemos, assim como os israelitas ficaram desiludidos com Betel, um deus em que eles confiavam.
14 Homens de Moabe, como é que vocês dizem que são heróis,
que são soldados corajosos na guerra?
15 Moabe e as suas cidades serão destruídos,
e os seus melhores moços serão mortos.
Sou eu, o Rei, quem está falando.
O meu nome é Senhor, o Todo-Poderoso.
16 A desgraça dessa nação está chegando;
a sua destruição virá logo.
17 Tenham pena de Moabe,
vocês que moram perto,
todos vocês que conhecem a sua fama.
Digam: “O seu grande poder se acabou;
a sua glória e a sua força não existem mais.”
18 Vocês que moram em Dibom,
desçam do seu lugar de honra
e sentem no chão, no pó.
O destruidor de Moabe está aqui;
ele arrasará as suas fortalezas.
19 Vocês que vivem em Aroer,
fiquem na beira do caminho e esperem;
perguntem aos que estão fugindo o que foi que aconteceu.
20 Eles vão responder:
“O país de Moabe caiu.
Chorem por ele, pois está destruído.
Anunciem pelas margens do rio Arnom
que Moabe foi arrasado!”
21 As cidades do planalto foram condenadas: Holom, Jasa, Mefaate, 22 Dibom, Nebo, Bete-Diblataim, 23 Quiriataim, Bete-Gamul, Bete-Meão, 24 Queriote e Bosra. Todas as cidades de Moabe, de longe e de perto, foram condenadas. 25 O poder de Moabe foi esmagado, e a sua força foi destruída. Eu, o Senhor, estou falando.

A humilhação de Moabe

26 E o Senhor continuou:
— Façam com que Moabe fique bêbado, pois se revoltou contra mim, o Senhor Deus. Moabe rolará no seu próprio vômito, e os outros zombarão dele. 27 Moabe, você lembra de como zombou do povo de Israel? Você tratou esse povo como se tivesse sido preso junto com uma quadrilha de ladrões.
28 — Vocês que vivem em Moabe, abandonem as suas cidades e vão viver no meio das rochas. Façam como as pombas que constroem os seus ninhos na beira dos precipícios. 29 Temos ouvido falar do orgulho de Moabe. Esse povo é orgulhoso, soberbo, vaidoso e cheio de si. 30 Eu, o Senhor, conheço o seu orgulho. Os moabitas se gabam de coisas que não valem nada, coisas que acabam. 31 Por isso, eu chorarei por todo o povo de Moabe e pelo povo de Quir-Heres. 32 Chorarei mais pelo povo de Sibma do que pelo povo de Jazer. Cidade de Sibma, você é como uma parreira; os seus ramos passam por cima do mar Morto e vão até a cidade de Jazer. Mas agora os inimigos acabaram com as suas plantações de cereais e de uvas. 33 A felicidade e a alegria desapareceram das boas terras de Moabe. Não se faz mais vinho; não há ninguém para fazer vinho e gritar de alegria.
34 — O povo das cidades de Hesbom e Eleal grita, e o seu grito pode ser ouvido até em Jasa. Pode ser ouvido pelos moradores de Zoar e até em Horonaim e Nova Eglate. O próprio riacho Ninrim secou. 35 Eu farei com que o povo de Moabe pare de apresentar ofertas queimadas no alto dos montes e de oferecer sacrifícios aos seus deuses. Sou eu, o Senhor, quem está falando.
36 — Por isso, o meu coração chora por Moabe e pelo povo de Quir-Heres, como alguém que toca música fúnebre numa flauta; pois tudo o que tinham acabou. 37 Em sinal de tristeza, todos eles raparam a cabeça e cortaram a barba. Todos fizeram cortes nas mãos e vestiram roupa feita de pano grosseiro. 38 Nos terraços de todas as casas e em todas as praças só há choro porque eu quebrei Moabe como um jarro que ninguém quer. 39 Moabe está arrasado! Gritem! A desgraça caiu sobre Moabe. O país está em ruínas, e todas as nações vizinhas caçoam dele. Eu, o Senhor, estou falando.

Moabe não poderá escapar

40 — Eu, o Senhor, prometi que uma nação atacará Moabe e cairá em cima dele como uma águia com as asas abertas. 41 As suas cidades e fortalezas serão tomadas. Naquele dia, os soldados de Moabe terão tanto medo como a mulher que está com dores de parto. 42 Moabe vai ser destruído e não será mais uma nação, pois se revoltou contra mim. 43 Medo, covas e armadilhas esperam pelos moradores de Moabe. Sou eu, o Senhor, quem está falando. 44 Os que fugirem de medo cairão nas covas, e os que conseguirem sair das covas ficarão presos nas armadilhas, pois eu marquei o dia da destruição de Moabe. 45 Outros fogem cansados e procuram proteção na cidade de Hesbom. Mas Hesbom, a cidade que já foi governada pelo rei Seom, está em chamas. O fogo queimou as fronteiras e os picos das montanhas de Moabe, que ama tanto a guerra. 46 Coitado do povo de Moabe! O povo que adorava o deus Quemos foi destruído, e os seus filhos e filhas foram levados como prisioneiros. 47 Porém no futuro farei com que Moabe volte a ser o que era antes.
Este é o julgamento do Senhor Deus a respeito de Moabe.

___
 
Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH) Copyright 2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados / All rights reserved.

Nenhum comentário:

Postar um comentário