Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Zacarias 1 a 2 + Ageu 1 a 2 (dia 230)

Ageu 1-2

Deus ordena a reconstrução do Templo

No segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia, no primeiro dia do sexto mês, o Senhor Deus mandou uma mensagem por meio do profeta Ageu. Essa mensagem era para o governador de Judá, Zorobabel, filho de Salatiel, e para o Grande Sacerdote Josué, filho de Jozadaque. O Senhor Todo-Poderoso disse o seguinte:
— O povo está dizendo que ainda não chegou o tempo de reconstruir o Templo.
Por isso, o Senhor falou assim por meio do profeta Ageu:
— Povo de Judá, será que fica bem vocês viverem em casas luxuosas enquanto o meu Templo continua destruído? Pensem bem no que tem acontecido com vocês. Vocês semearam muitas sementes, mas colheram pouco; têm comida, mas não é suficiente para matar a fome; têm vinho, mas não dá para ficarem bêbados; têm roupas, porém elas não chegam para os proteger do frio; e o salário que o trabalhador recebe não dá para viver.
Por isso o Senhor Todo-Poderoso diz:
— Pensem bem no que tem acontecido com vocês. Agora, vão até as montanhas, tragam madeira e construam de novo o Templo. Eu ficarei muito contente com esse Templo e ali serei adorado e honrado.
— Vocês esperavam colheitas grandes, porém elas foram pequenas. E, quando estavam levando para casa o pouco que colheram, eu soprei tudo para longe. E por que foi que eu, o Senhor Todo-Poderoso, fiz isso? Foi porque vocês só vivem cuidando das suas próprias casas, mas não se importam com a minha Casa, que está destruída. 10 É por isso que não chove e os campos não produzem colheitas. 11 Eu fiz com que houvesse seca nos campos e nas montanhas; fiz com que a seca atingisse as plantações de cereais, as parreiras, as oliveiras e todas as outras plantações do país. Ela castigou as pessoas, os animais e todas as plantações.

O povo obedece à ordem de Deus

12 Então Zorobabel, filho de Salatiel, e o Grande Sacerdote Josué, filho de Jozadaque, e todos os que haviam voltado do cativeiro na Babilônia temeram a Deus e obedeceram à mensagem que o Senhor, o Deus deles, tinha mandado por meio do profeta Ageu. 13 E assim Ageu, o mensageiro de Deus, falou e entregou ao povo de Judá a seguinte mensagem:
— Eu estarei com vocês. Eu, o Senhor, falei.
14 O Senhor deu coragem e ânimo ao governador de Judá, Zorobabel, filho de Salatiel, ao Grande Sacerdote Josué, filho de Jozadaque, e a todos os que haviam voltado do cativeiro na Babilônia. Eles foram e começaram a trabalhar no Templo do seu Deus, o Senhor Todo-Poderoso, 15 no dia vinte e quatro do sexto mês do segundo ano do reinado de Dario.

A beleza do novo Templo

Neste segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia, no dia vinte e um do sétimo mês, o Senhor falou de novo com o profeta Ageu. Deus mandou que ele fosse falar com o governador de Judá, Zorobabel, filho de Salatiel, com o Grande Sacerdote Josué, filho de Jozadaque, e com todo o povo e lhes dissesse o seguinte:
— Deve haver alguém aqui que viu o Templo quando ele ainda era belo. Mas vejam como está agora! Não lhes parece que não vale nada mesmo? No entanto tenham coragem! Coragem, Zorobabel! Coragem, Josué! Coragem, toda a gente deste país! Trabalhem todos, pois eu, o Senhor Todo-Poderoso, estou com vocês. Conforme a aliança que fiz com o meu povo quando o tirei do Egito, o meu Espírito sempre está com vocês. Portanto, não fiquem com medo.
— Pois é isto o que eu, o Senhor Todo-Poderoso, digo: Daqui a pouco farei com que tremam o céu e a terra, o mar e a terra firme. Vou fazer com que tremam todas as nações, e as suas riquezas serão trazidas para o meu Templo aqui em Jerusalém. E assim encherei o meu Templo de beleza. Toda a prata e todo o ouro do mundo são meus. Então o novo Templo será ainda mais belo do que o primeiro, e dali eu darei prosperidade e paz ao meu povo. Eu, o Senhor Todo-Poderoso, falei.

Deus condena o pecado do povo

10 Neste mesmo ano, no dia vinte e quatro do nono mês, o Senhor falou de novo com o profeta Ageu. 11 O Senhor Todo-Poderoso disse:
— Vá falar com os sacerdotes e peça a opinião deles a respeito da seguinte questão: 12 Suponham que alguém esteja levando na dobra da sua capa um pedaço da carne que foi oferecida em sacrifício a Deus. Então, se a capa tocar num pão, ou num cozido, ou em vinho, ou em azeite, ou em qualquer outra comida, isso quer dizer que estas coisas também ficarão puras?
Ageu fez a pergunta, e os sacerdotes disseram que não.
13 Aí Ageu perguntou aos sacerdotes:
— E, se alguém ficou impuro por ter tocado num defunto e depois tocar em qualquer uma daquelas comidas, isso quer dizer que elas também ficam impuras?
Os sacerdotes responderam:
— Sim! Elas ficam impuras.
14 Então Ageu disse:
— O Senhor diz que é exatamente isso o que acontece com esse povo. Para Deus, são impuros todo o povo deste país, tudo o que eles fazem e todos os sacrifícios que são oferecidos no altar.

Deus promete abençoar o povo

15 O Senhor Deus diz:
— Pensem bem em tudo o que aconteceu desde aquele dia. Antes de vocês terem começado a construção do Templo, 16 o que é que acontecia? Se alguém ia até um depósito procurando duzentos quilos de trigo, encontrava só cem quilos; se fosse até o lugar onde se faz vinho querendo cem litros, encontrava somente quarenta. 17 Eu os castiguei com ventos muito quentes, com pragas nas plantas e com chuvas de pedra e assim destruí todas as suas plantações; mas mesmo assim vocês não voltaram para mim. 18 Hoje mesmo, no dia vinte e quatro do nono mês, vocês acabaram de construir o alicerce do Templo. E vejam bem o que vai acontecer daqui em diante. 19 Mesmo que agora não haja trigo nos depósitos, mesmo que as parreiras, as figueiras, as romãzeiras e as oliveiras não tenham produzido nada, de hoje em diante eu os abençoarei.

A promessa de Deus a Zorobabel

20 Naquele mesmo dia, o dia vinte e quatro do nono mês, o Senhor falou de novo com Ageu 21 e mandou que ele dissesse a Zorobabel, o governador de Judá, o seguinte:
— Eu vou fazer tremer o céu e a terra; 22 vou derrubar os tronos dos reis e acabar com o poder de todos eles. Vou destruir os carros de guerra e os que andam neles, e os cavalos também morrerão; os cavaleiros matarão uns aos outros. 23 E, quando aquele dia chegar, eu farei com que, em meu nome, você governe o meu povo, pois você, Zorobabel, filho de Salatiel, é o meu servo escolhido. Eu, o Senhor Todo-Poderoso, falei.

___

Zacarias 1-2

Deus manda que o povo se arrependa

No oitavo mês do segundo ano de Dario como rei da Pérsia, o Senhor Deus falou com o profeta Zacarias, filho de Baraquias e neto de Ido. O Deus Todo-Poderoso mandou que ele dissesse ao povo o seguinte:
— Eu, o Senhor, fiquei muito irado com os seus antepassados. Portanto, agora eu digo a vocês: Voltem para mim, e eu, o Senhor Todo-Poderoso, voltarei para vocês. Não sejam como os seus antepassados, que não deram atenção aos profetas antigos quando eles anunciaram esta minha mensagem: “O Senhor Todo-Poderoso ordena que vocês deixem de ser maus e que abandonem as suas maldades.” Mas eles não me obedeceram. E agora onde estão os seus antepassados? E será que aqueles profetas ainda estão vivos? Por meio dos meus servos, os profetas, eu mandei mensagens e avisos aos antepassados de vocês. Mas eles não deram atenção e por isso foram castigados. Então eles se arrependeram e disseram: “O Senhor Todo-Poderoso fez o que tinha decidido fazer e nos castigou por causa dos nossos pecados. Ele fez o que merecíamos.”

A primeira visão: os cavalos

No dia vinte e quatro do mês onze, chamado sebate, do segundo ano do reinado de Dario, eu, o profeta Zacarias, filho de Baraquias e neto de Ido, recebi uma mensagem de Deus, o Senhor. Naquela noite, tive uma visão e nela vi um anjo do Senhor montado num cavalo vermelho. O anjo estava parado num vale, no meio de umas moitas, e atrás dele estavam outros anjos montados, uns em cavalos vermelhos, outros em cavalos baios, e outros em cavalos brancos. Perguntei ao anjo que falava comigo:
— Meu senhor, quem são esses anjos montados em cavalos?
Ele respondeu:
— Eu vou lhe dizer.
10 Aí o anjo que estava no meio das moitas disse:
— Eles são os anjos que o Senhor Deus enviou para andarem pelo mundo inteiro.
11 Então aqueles anjos disseram ao anjo que estava no meio das moitas:
— Acabamos de andar por toda a terra e vimos que tudo está calmo e em paz.
12 E o anjo do Senhor disse:
— Ó Senhor Todo-Poderoso, já faz setenta anos que estás irado com Jerusalém e com as cidades de Judá. Quanto tempo vai passar até que tenhas compaixão delas?
13 O Senhor Deus respondeu com carinho ao anjo que estava falando comigo e disse palavras de consolo. 14 Aí o anjo que falava comigo mandou que eu anunciasse em voz alta o seguinte:
— Esta é a mensagem do Senhor Todo-Poderoso: “Eu tenho grande amor por Jerusalém, a minha cidade. 15 E estou muito irado com as nações que vivem sossegadas. Pois, quando eu estava um pouco irado com o meu povo, elas fizeram com que ele sofresse muito. 16 Portanto, cheio de compaixão, voltei para Jerusalém. E eu, o Senhor Todo-Poderoso, prometo que o Templo e a cidade toda serão construídos de novo.”
17 E o anjo me disse também:
— Anuncie que o Senhor Todo-Poderoso diz que as cidades dele terão de novo muitas riquezas. E ele ajudará Jerusalém, que voltará a ser a sua cidade escolhida.

A segunda visão: os chifres e os ferreiros

18 Tive outra visão e vi quatro chifres de boi. 19 Perguntei ao anjo que falava comigo:
— Que querem dizer estes chifres?
Ele respondeu:
— Eles representam as nações que espalharam pelo mundo inteiro os moradores de Judá, de Israel e de Jerusalém.
20 Aí o Senhor Deus me mostrou quatro ferreiros. 21 Eu perguntei:
— O que é que eles vêm fazer?
Ele respondeu:
— Os chifres são as nações que espalharam os moradores de Judá de tal maneira, que ninguém tinha coragem de levantar a cabeça. E agora estes ferreiros representam os que estão vindo para assustar e quebrar aqueles chifres, isto é, aquelas nações que conquistaram a terra de Judá e espalharam o seu povo.

A terceira visão: a fita de medir

Tive ainda outra visão. Vi um homem segurando uma fita de medir e perguntei:
— Aonde você vai?
Ele respondeu:
— Vou medir Jerusalém para saber o seu comprimento e a sua largura.
Então vi que o anjo que havia falado comigo ia saindo. Nisso, outro anjo veio se encontrar com ele, e o primeiro anjo disse:
— Corra depressa e diga ao rapaz que está com a fita de medir: “Jerusalém terá moradores de novo, e haverá tantas pessoas e tantos animais morando lá, que não será possível construir uma muralha em volta da cidade. Pois o Senhor Deus promete que ele mesmo será como uma muralha de fogo em volta de Jerusalém e que ele morará na cidade e ali mostrará a sua glória.”

Liberdade para os israelitas que estão no cativeiro

6-7 O Senhor Deus diz ao seu povo:
— Atenção! Atenção! Vocês que são prisioneiros na Babilônia, fujam. Fujam daquele país do Norte! Eu os espalhei por toda parte, mas agora é hora de vocês voltarem para Jerusalém.
Pelo seu poder, o Senhor Todo-Poderoso me mandou entregar a seguinte mensagem às nações que tinham levado embora toda a riqueza do seu povo:
— Quem toca no meu povo toca na menina dos meus olhos. Portanto, eu mesmo lutarei contra vocês. E toda a sua riqueza será levada embora por aqueles que antes eram seus prisioneiros.
Quando isso acontecer, o povo saberá que o Senhor Todo-Poderoso me enviou.
10 O Senhor Deus diz:
— Moradores de Jerusalém, cantem de alegria, pois eu virei morar com vocês!
11 Naquele dia, muitos povos se juntarão a Deus, o Senhor, e serão o seu povo, e ele morará com eles. Aí o povo de Israel saberá que o Senhor Todo-Poderoso me enviou para falar com eles. 12 Mais uma vez a terra de Judá será a parte especial de Deus na Terra Santa, e Jerusalém será de novo a sua cidade escolhida.
13 Que todos se calem na presença de Deus, o Senhor, pois ele vem do seu lugar santo para morar com o seu povo.

___
 
Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH) Copyright 2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados / All rights reserved.

Nenhum comentário:

Postar um comentário