Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Oséias 8 a 11 (dia 221)

Oséias 8-11

Deus condena a idolatria do povo

O Senhor Deus diz:
— Toquem a corneta! O inimigo ataca a minha terra como uma águia porque o meu povo quebrou a aliança que fiz com eles e não obedece às minhas leis. Eles oram a mim, dizendo: “Tu és o nosso Deus, e nós somos dedicados a ti.” Mas eles rejeitaram o que é bom e por isso serão perseguidos pelo inimigo.
— O meu povo escolheu reis sem me consultar e nomeou governadores sem a minha aprovação. Com a sua prata e com o seu ouro, fizeram ídolos e por isso serão destruídos. Eu odeio o bezerro de ouro que o povo da cidade de Samaria adora e estou irado com eles. Até quando eles vão continuar adorando ídolos? Um israelita fez o bezerro; esta estátua não é Deus e será quebrada em pedaços. Eles semearam ventos e colherão tempestades. O trigo não produzirá espigas; mas, se houver espigas, elas serão devoradas por estrangeiros. Israel está perdido! As outras nações consideram Israel um objeto sem valor. Os israelitas são como um jumento bravo que teima em andar sozinho. Eles foram pedir a ajuda da Assíria e pagaram outras nações para protegê-los. 10 Mas eu vou pegá-los e castigá-los, e por algum tempo eles sofrerão debaixo do poder cruel do imperador da Assíria.
11 — O povo de Israel construiu muitos altares para conseguir o perdão dos seus pecados, mas esses altares só servem para que o povo peque ainda mais. 12 Escrevi milhares de leis para o povo, mas eles as rejeitaram como se não tivessem valor. 13 Eles me oferecem sacrifícios e gostam de comer dos animais sacrificados. Mas eu, o Senhor Deus, não estou contente com eles. Eu lembrarei dos seus pecados e os castigarei. Vou mandá-los de volta para o Egito, 14 pois o povo de Israel esqueceu o seu Criador. O povo de Israel construiu palácios, e o povo de Judá construiu cidades cercadas de muralhas; mas eu vou mandar um fogo que queimará as cidades e destruirá as fortalezas.

Oseias anuncia o castigo de Israel

Povo de Israel, deixe de se alegrar, pare de fazer festas como os outros povos fazem. Vocês abandonaram a Deus e adoraram ídolos. Em todos os terreiros onde o trigo é malhado, vocês se venderam como prostitutas ao deus Baal e gostaram do pagamento que receberam dele. Mas daqui a pouco não haverá trigo nem azeite, e faltará vinho. O povo de Israel não ficará na terra de Deus, o Senhor, mas precisará voltar para o Egito e na Assíria comerá alimentos impuros. Naqueles países, eles não poderão fazer ofertas de vinho ao Senhor, nem oferecer os sacrifícios de que ele gosta. A comida que comerem será como a que é servida num velório, e todos os que a comerem ficarão impuros. Não poderão apresentar ofertas de alimento no Templo do Senhor; só poderão comê-las. E o que é que eles vão fazer quando chegarem os dias das festas realizadas em honra do Senhor? Vão fugir para não serem destruídos, mas os egípcios os pegarão e os sepultarão na cidade de Mênfis. Os seus preciosos objetos de prata serão cobertos de espinheiros, e o mato tomará conta das suas casas. Está chegando o dia do castigo, o dia em que Deus castigará o seu povo. E que o povo de Israel fique sabendo disso! Mas vocês dizem: “Esse profeta está maluco! Diz que é inspirado, mas é louco!” Vocês falam assim porque estão cheios de maldade e de ódio.
Deus me mandou como profeta para avisar o seu povo, mas em todos os lugares eles armam armadilhas para me pegar. Até no Templo de Deus eles me perseguem! Eles se afundaram tanto no pecado quanto o povo que estava em Gibeá. Deus lembrará dos pecados deles e os castigará.

As consequências do pecado de Israel

10 O Senhor Deus diz:
— Quando encontrei Israel pela primeira vez, fiquei alegre como quem acha uvas no deserto e, ao ver os antepassados de vocês, fiquei contente como quem vê os primeiros figos maduros. Mas, quando eles chegaram ao monte Peor, ali começaram a adorar o deus Baal e se tornaram tão nojentos como os ídolos que eles amaram. 11 A grandeza de Israel irá embora, voando como uma ave. Não nascerão mais crianças: as mulheres não ficarão grávidas e não darão à luz. 12 Ainda que criem filhos, eu os levarei embora; não deixarei nem um só. Ai desse povo quando eu me afastar dele! 13 Eu via Israel como se fosse a cidade de Tiro, plantada num lugar agradável; mas Israel levará os seus filhos para serem mortos.
14 Ó Senhor Deus, o que é que vais fazer com este povo? Faze com que as mulheres não possam ter filhos! E, se tiverem, seca o seu leite, para que não possam dar de mamar!

Deus condena o seu povo

15 O Senhor Deus diz:
— Toda a maldade do povo de Israel começou na cidade de Gilgal, e foi ali que comecei a odiá-los. E, por causa dos seus pecados, eu os expulsarei da minha terra. Daqui em diante, não os amarei mais. Todos os seus chefes se revoltaram contra mim. 16 Israel está ferido; é como uma árvore que não dá frutas porque as suas raízes secaram. Mesmo que nasçam crianças, eu matarei esses filhos tão queridos.
17 O meu Deus rejeitará o seu povo porque eles não lhe obedecem. E eles andarão sem rumo entre as outras nações.

A destruição dos altares pagãos em Israel

10 O povo de Israel é como uma parreira cheia de uvas. Quanto mais ricos ficaram, mais altares construíram; e, quanto mais a nação progredia, mais colunas do deus Baal foram levantadas. Eles não são fiéis a Deus e agora eles terão de pagar pelo seu pecado. O Senhor quebrará os seus altares e derrubará as colunas do deus Baal.
Eles vão dizer: “Não temos rei porque não tememos a Deus. E, se tivéssemos um rei, o que é que ele poderia fazer por nós?” Eles só dizem mentiras; todos juram falso e fazem acordos que não pretendem cumprir. E aquilo que chamam de justiça é tão perigoso como a erva venenosa que cresce em campo arado.
O povo que mora em Samaria ficará com medo e chorará quando o bezerro de ouro de Bete-Avém for levado embora. Os sacerdotes pagãos ficarão desesperados ao perderem esse ídolo que era a sua glória, pois será levado para a Assíria como presente para o grande imperador. E o povo de Israel ficará com vergonha dos conselhos que seguiu. O rei de Israel será levado embora, como um cisco que é carregado pela correnteza. Os altares dos montes de Avém, onde o povo adora ídolos, serão destruídos e ficarão cobertos de mato e de espinhos. O povo dirá às montanhas: “Caiam em cima de nós!” e aos montes: “Caiam em cima de nós!”

Deus dá a sentença contra Israel

O Senhor Deus diz:
— Desde o tempo em que pecou em Gibeá, o povo de Israel não tem parado de pecar. Por isso, em Gibeá a guerra alcançará essa gente perversa. 10 Eu os atacarei e castigarei. Nações se ajuntarão contra eles quando eu os castigar por causa dos seus muitos pecados.
11 — Israel era como uma bezerra mansa que gosta de pisar o trigo para tirar a casca. Coloquei uma canga no seu belo pescoço para que ele puxasse o arado. Vou usar Judá e Israel para trabalharem na lavoura. 12 Eu lhes disse: “Preparem os campos para a lavoura, semeiem a justiça e colham as bênçãos que o amor produzirá. Pois já é tempo de vocês se voltarem para mim, o Senhor, e eu farei chover sobre vocês a chuva da salvação.” 13 Mas, em vez disso, vocês plantaram a maldade, colheram a injustiça e comeram os frutos da mentira.
— Vocês confiaram nos seus carros de guerra e no grande número dos seus soldados, 14 e por isso a guerra chegará até vocês, e as suas fortalezas serão destruídas. Acontecerá com vocês o mesmo que aconteceu quando o rei Salmã fez guerra contra Bete-Arbel: ele arrasou a cidade e despedaçou as mulheres e os seus filhos. 15 É isso o que acontecerá com o povo de Israel por causa da sua grande maldade. E, quando o sol nascer, o rei de Israel morrerá.

Deus ama o seu povo desobediente

11 A respeito do povo de Israel, o Senhor Deus diz:
“Quando Israel era criança, eu já o amava
e chamei o meu filho, que estava na terra do Egito.
Porém, quanto mais eu o chamava,
mais ele se afastava de mim.
O meu povo ofereceu sacrifícios ao deus Baal
e queimou incenso em honra dos ídolos.
Mas fui eu que ensinei o meu povo a andar;
eu os segurei nos meus braços,
porém eles não sabiam que era eu
que cuidava deles.
Com laços de amor e de carinho,
eu os trouxe para perto de mim;
eu os segurei nos braços
como quem pega uma criança no colo.
Eu me inclinei e lhes dei de comer.”
— Eles não querem voltar para mim e por isso irão de novo para o Egito e serão conquistados pela Assíria. Virá a guerra, e os inimigos arrombarão os portões das cidades e as arrasarão. O meu povo será morto por seguir maus conselhos. O meu povo teima em se revoltar contra mim; por isso, eles serão levados como prisioneiros pelo inimigo, e ninguém poderá salvá-los.
“Israel, como poderia eu abandoná-lo?
Como poderia desampará-lo?
Será que eu o destruiria, como destruí Admá?
Ou faria com você o que fiz com Zeboim?
Não! Não posso fazer isso,
pois o meu coração está comovido,
e tenho muita compaixão de você.
Não deixarei que a ira me domine,
não destruirei o meu povo outra vez.
Pois eu sou Deus e não um ser humano;
eu, o Santo Deus, estou no meio do meu povo
e não o destruirei novamente.”
10 — Quando eu rugir como leão contra os inimigos, o meu povo me seguirá. O meu povo virá correndo do oeste; 11 como pássaros, eles virão depressa do Egito e como pombas virão da Assíria. Eu os farei morar de novo na sua terra. Eu, o Senhor, estou falando.

A condenação de Israel e de Judá

12 O Senhor Deus diz:
— O povo de Israel me cerca com mentiras e falsidades, e o povo de Judá se revolta contra mim, o Santo Deus, que sou sempre fiel.

___


Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH) Copyright 2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados / All rights reserved.

Nenhum comentário:

Postar um comentário