Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Salmos 107 a 110 (dia 147)

Salmos 107

Quinto livro

Salmos 107—150

Louvor a Deus pela sua bondade

1 Deem graças a Deus, o Senhor,
porque ele é bom,
e porque o seu amor dura para sempre.

2 Que aqueles que ele libertou
repitam isso em louvor ao Senhor!
Ele os livrou das mãos dos seus inimigos

3 e fez com que eles voltassem
dos países estrangeiros,
do Norte e do Sul,
do Leste e do Oeste.

4 Alguns andaram perdidos pelo deserto
e não acharam nenhuma cidade
onde morar.

5 Estavam com fome e com sede
e haviam perdido toda a esperança.

6 Então, na sua angústia,
gritaram por socorro,
e o Senhor Deus os livrou
das suas aflições.

7 Ele os levou pelo caminho certo
para uma cidade em que pudessem morar.

8 Que eles agradeçam ao Senhor
o seu amor
e as coisas maravilhosas
que fez por eles!

9 Pois ele dá água aos que têm sede
e coisas boas aos que estão com fome.

10 Alguns estavam vivendo na escuridão,
nas trevas,
aflitos e presos com correntes
de ferro

11 porque haviam se revoltado
contra as ordens do Deus Altíssimo
e rejeitado os seus ensinamentos.

12 Por causa do trabalho pesado
eles estavam esgotados;
caíam, e ninguém os ajudava.

13 Então, na sua angústia,
gritaram por socorro,
e o Senhor Deus os livrou
das suas aflições.

14 Ele os tirou da escuridão, das trevas,
e quebrou em pedaços
as correntes que os prendiam.

15 Que eles agradeçam ao Senhor
o seu amor
e as coisas maravilhosas que fez por eles!

16 Pois ele derruba portões de bronze
e despedaça barras de ferro.

17 Alguns foram insensatos
e sofreram por causa dos seus pecados,
por causa da sua vida de rebeldia;

18 ficaram com enjoo diante da comida
e chegaram bem perto da morte.

19 Então, na sua angústia,
gritaram por socorro,
e o Senhor Deus os livrou
das suas aflições.

20 Com a sua palavra, ele os curou
e os salvou da morte.

21 Que eles agradeçam ao Senhor
o seu amor
e as coisas maravilhosas
que fez por eles!

22 Que ofereçam sacrifícios de gratidão
e, com canções de alegria,
anunciem tudo o que ele tem feito!

23 Alguns viajaram em navios nos oceanos,
ganhando a vida nos mares;

24 eles viram o que o Senhor Deus faz,
as coisas maravilhosas
que realiza nos mares.

25 Ele dava ordem,
e um vento forte começava a soprar
e a levantar as ondas.

26 Os navios subiam bem alto
e depois mergulhavam nas profundezas.
No meio desse perigo,
os homens ficavam apavorados.

27 Tropeçavam e andavam balançando
como bêbados;
e toda a sua prática de marinheiros
não adiantava nada.

28 Então, na sua angústia,
gritavam por socorro,
e o Senhor Deus os livrava
das suas aflições.

29 Ele acalmava a tempestade,
e as ondas ficavam quietas.

30 Eles se alegravam
porque o mar tinha ficado calmo;
e assim Deus os levava em segurança
para o porto desejado.

31 Que eles agradeçam ao Senhor
o seu amor
e as coisas maravilhosas que fez por eles!

32 Anunciem a sua grandeza
quando o povo se reunir;
louvem a Deus na assembleia dos líderes.

33 Deus fez com que os rios
se tornassem deserto
e as fontes de água
secassem completamente.

34 Ele fez com que a terra boa
virasse um deserto salgado
por causa da maldade
dos que moravam nela.

35 Ele fez com que o deserto
se transformasse em lagos
e a terra seca virasse fontes de água.

36 Deixou que gente faminta
morasse ali.
Eles construíram uma cidade
e moraram nela;

37 semearam os campos,
fizeram plantações de uvas,
e foram boas as colheitas.

38 Deus abençoou o seu povo,
e eles tiveram muitos filhos.
Deus não deixou que o gado diminuísse.

39 O povo de Deus foi derrotado
e humilhado
e sentiu o peso do sofrimento
e dos maus tratos.

40 Então Deus mostrou o seu desprezo
pelos reis que os maltrataram
e fez com que esses reis andassem
sem rumo na solidão dos desertos.

41 Mas livrou os pobres da miséria
e fez com que as suas famílias
aumentassem como rebanhos.

42 Os que são bons veem isso
e ficam contentes,
mas todos os maus têm de calar a boca.

43 Que aqueles que são sábios
pensem nessas coisas
e meditem no amor de Deus, o Senhor!



Salmos 108

Oração pela vitória

(Salmo 57:7-11; 60:5-12)

1 O meu coração está firme, ó Deus,
bem firme;
eu cantarei hinos em teu louvor.
Acorde, meu coração!

2 Minha harpa e minha lira, acordem!
Eu acordarei o sol.

3 Ó Senhor Deus, eu te darei graças
no meio das nações;
eu te louvarei entre os povos.

4 O teu amor está acima dos céus,
e a tua fidelidade chega até as nuvens.

5 Ó Deus, mostra a tua grandeza nos céus
e que a tua glória brilhe
no mundo inteiro!

6 Salva-nos com o teu poder;
responde à nossa oração
para que o povo que tu amas seja salvo.

7 No seu Templo, Deus disse:
“Quando eu vencer,
dividirei a cidade de Siquém
e repartirei o vale de Sucote
entre o meu povo.

8 Gileade é meu, e Manassés, também;
Efraim é o meu capacete,
e Judá é o meu cetro de rei.

9 Porém Moabe será a minha bacia
de lavar;
e eu jogarei as minhas sandálias
sobre Edom,
como um sinal de que esse país é meu.
Eu cantarei a minha vitória
sobre os filisteus.”

10 Ó Deus, quem me levará para dentro
da cidade protegida por muralhas?
Quem me guiará até Edom?

11 Será que, de fato, nos rejeitaste?
Será que não vais marchar
com os nossos exércitos?

12 Ajuda-nos a combater o inimigo,
pois o auxílio de seres humanos
não vale nada.

13 Com Deus do nosso lado, venceremos;
ele derrotará os nossos inimigos.



Salmos 109

Oração de um homem perseguido

1 Eu te louvo, ó Deus.
Não fiques assim silencioso.

2 Os maus e os mentirosos
falam contra mim
e me caluniam.

3 Eles dizem coisas terríveis
a meu respeito
e me atacam sem motivo nenhum.

4 Eles me acusam, embora eu os ame
e tenha orado por eles.

5 Eles pagam o bem com o mal
e o amor, com o ódio.

6 Ó Deus, escolhe um juiz corrupto
para julgar o meu inimigo,
e que o seu acusador
seja um dos seus inimigos!

7 Quando for julgado,
que ele seja condenado!
Que até a sua oração
seja considerada como pecado!

8 Que o meu inimigo morra logo,
e que outra pessoa faça o trabalho
que ele fazia!

9 Que os seus filhos fiquem órfãos,
e que a sua mulher fique viúva!

10 Que os seus filhos fiquem sem lar
e sejam mendigos!
Que sejam expulsos das casas em ruínas,
onde moram!

11 Que tudo o que o meu inimigo tem
seja tomado como pagamento
das suas dívidas!
E que estranhos fiquem
com o que ele conseguiu
com o seu esforço!

12 Que ninguém seja bom para ele,
e que não haja quem cuide
dos seus filhos órfãos!

13 Que todos os seus descendentes
morram logo,
e que o seu nome seja esquecido
em pouco tempo!

14 Que o Senhor Deus nunca esqueça
dos pecados da sua mãe
e sempre lembre da maldade
dos seus antepassados!

15 Que o Senhor lembre sempre
dos pecados deles,
porém que eles mesmos
sejam completamente esquecidos!

16 Pois esse homem nunca pensou
em fazer o bem,
mas perseguiu e matou o pobre,
o necessitado e o desamparado.

17 Ele gostava de amaldiçoar:
que a maldição caia sobre ele!
Ele não gostava de abençoar:
que ninguém o abençoe!

18 Para ele, era tão fácil amaldiçoar
como se vestir.
Que as suas maldições entrem nele
como água
e cheguem até os seus ossos
como azeite!

19 Que as maldições nunca o larguem!
Que seja como a roupa que o cobre
e como o cinto que ele usa!

20 Ó Senhor Deus, paga assim
aos meus inimigos
e aos que falam mal de mim!

21 Mas, quanto a mim,
ó Senhor, meu Deus,
ajuda-me como prometeste e livra-me,
pois és bom e amoroso!

22 Eu sou pobre e necessitado;
estou ferido no fundo do coração.

23 Vou me acabando
como a sombra do anoitecer;
sou levado pelo vento
como se eu fosse um inseto.

24 De tanto eu jejuar,
os meus joelhos tremem,
e o meu corpo é pele e osso.

25 Quando os outros me veem,
caçoam de mim
e, zombando, balançam a cabeça.

26 Ajuda-me, ó Senhor, meu Deus!
Salva-me por causa do amor que tens
por mim.

27 Que os meus inimigos fiquem sabendo
que és tu que me salvas!

28 Eles podem me amaldiçoar,
mas tu me abençoarás.
Que os meus perseguidores
sejam derrotados,
e que eu, que sou teu servo,
fique alegre!

29 Que sobre os meus inimigos
caia a desgraça,
e que a humilhação os cubra
como roupa!

30 Em voz alta, darei graças
a Deus, o Senhor;
eu o louvarei na reunião do povo

31 porque ele defende o pobre
para salvá-lo daqueles que o condenam
à morte.



Salmos 110

O rei escolhido por Deus

1 O Senhor Deus disse ao meu senhor,
o rei:
“Sente-se do meu lado direito,
até que eu ponha os seus inimigos
debaixo dos seus pés.”

2 Ó rei, o Senhor Deus estenderá
desde Jerusalém o poder do senhor.
“Domine os seus inimigos”
— disse o Senhor Deus.

3 No dia em que o senhor, ó rei,
os combater,
o seu povo se apresentará
como voluntário.
Como o orvalho da madrugada,
os jovens se encontrarão com o senhor
nos montes sagrados.

4 O Senhor Deus fez este juramento
e não voltará atrás:
“Você será sacerdote para sempre,
na ordem do sacerdócio
de Melquisedeque.”

5 Ó rei, Deus está do seu lado direito
e derrotará reis no dia em que se irar.

6 Ele julgará as nações,
cobrirá de mortos os campos de batalha
e, no mundo inteiro, derrotará reis.

7 No caminho, o rei beberá água
de um ribeirão
e se levantará vitorioso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário