Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Salmos 15 a 18 (dia 124)

Salmos 15

O hóspede de Deus


1 Ó Senhor Deus, quem tem o direito
de morar no teu Templo?
Quem pode viver no teu monte santo?

2 Só tem esse direito aquele
que vive uma vida correta,
que faz o que é certo
e que é sincero e verdadeiro
no que diz.

3 Ele não fala mal dos outros,
não prejudica os seus amigos
e não espalha boatos
a respeito dos seus vizinhos.

4 Ele despreza aqueles
que o Senhor rejeita,
mas trata com respeito
os que o temem.
Ele cumpre o que promete,
mesmo com prejuízo próprio,

5 empresta sem cobrar juros
e não aceita suborno
para ser testemunha
contra pessoas inocentes.
Aquele que age assim
estará sempre seguro.



Salmos 16

Deus está sempre comigo


1 Guarda-me, ó Deus,
pois em ti eu tenho segurança!

2 Eu disse a Deus, o Senhor:
“Tu és o meu Senhor;
tudo o que tenho de bom vem de ti.”

3 Como são admiráveis as pessoas
que se dedicam a Deus!
O meu maior prazer é estar
na companhia delas.

4 Aqueles que correm atrás
de outros deuses
trazem muito sofrimento para si mesmos.
Eu não tomarei parte
nas suas ofertas de sangue,
nem adorarei os seus deuses.

5 Tu, ó Senhor Deus,
és tudo o que tenho.
O meu futuro está nas tuas mãos;
tu diriges a minha vida.

6 Como são boas as bênçãos
que me dás!
Como são maravilhosas!

7 Eu louvo a Deus, o Senhor,
pois ele é o meu conselheiro,
e durante a noite
a minha consciência me avisa.

8 Estou certo de que o Senhor
está sempre comigo;
ele está ao meu lado direito,
e nada pode me abalar.

9 Por isso o meu coração está feliz
e alegre,
e eu, um ser mortal, me sinto bem seguro,

10 porque tu, ó Deus, me proteges
do poder da morte.
Eu tenho te servido fielmente,
e por isso não deixarás que eu desça
ao mundo dos mortos.

11 Tu me mostras o caminho
que leva à vida.
A tua presença me enche de alegria
e me traz felicidade para sempre.



Salmos 17

Uma pessoa inocente ora pedindo justiça


1 Ó Senhor Deus,
atende o meu pedido de justiça!
Escuta o meu pedido de ajuda.
Ouve a oração que faço
com sinceridade.

2 Tu julgarás a meu favor
porque sabes o que é direito.

3 Tu conheces o meu coração
e de noite me visitas.
Tu tens me examinado profundamente
e não encontraste em mim
nenhum desejo mau.
Não digo coisas que te desagradam,

4 como os outros fazem.
Tenho obedecido às tuas leis
e tenho procurado não agir
como os violentos.

5 Tenho andado sempre nos teus caminhos
e nunca me desviei deles.

6 Eu oro a ti, ó Deus,
porque tu me respondes.
Por isso ouve-me,
escuta as minhas palavras.

7 Mostra o teu amor maravilhoso,
ó Salvador!
Ao teu lado estou livre
dos meus inimigos.

8 Protege-me como protegerias
os teus próprios olhos
e, na sombra das tuas asas,

9 esconde-me dos ataques dos maus.
Inimigos violentos estão ao meu redor;

10 eles não têm pena de ninguém
e falam com arrogância.

11 Eles me seguem de perto
e agora estão em volta de mim,
esperando o momento de me derrubarem.

12 Eles são como leões escondidos,
esperando por mim,
prontos para me despedaçar.

13 Vem, ó Senhor Deus,
enfrenta os meus inimigos
e acaba com eles!
Com a tua espada, salva-me dos maus.

14 Ó Senhor Deus, livra-me
daqueles que nesta vida
têm tudo o que querem!
Castiga-os com os sofrimentos
que tens guardado para eles.
Que haja bastante castigo
para os seus filhos
e que ainda sobre
para os filhos dos seus filhos!

15 Mas eu te verei,
pois tenho vivido corretamente;
e, quando acordar, a tua presença
me encherá de alegria.



Salmos 18

Davi, o rei vitorioso

(2º Samuel 22:2-51)


1 Ó Senhor Deus, como eu te amo!
Tu és a minha força.

2 O Senhor é a minha rocha,
a minha fortaleza
e o meu libertador.
O meu Deus é uma rocha
em que me escondo.
Ele me protege como um escudo;
ele é o meu abrigo,
e com ele estou seguro.

3 Eu clamo a Deus, pedindo ajuda,
e ele me salva dos meus inimigos.
Louvem a Deus, o Senhor!

4 Estive cercado de perigos de morte,
e ondas de destruição
rolaram sobre mim.

5 A morte me amarrou com as suas cordas,
e a sepultura armou a sua armadilha
para me pegar.

6 No meu desespero,
eu clamei ao Senhor
e pedi que ele me ajudasse.
Do seu templo no céu
o Senhor ouviu a minha voz,
ele escutou o meu grito de socorro.

7 Então a terra tremeu e se abalou,
e as bases dos montes
balançaram e tremeram
porque Deus estava irado.

8 Do seu nariz saiu fumaça,
e da sua boca saíram brasas
e fogo devorador.

9 Ele abriu o céu e desceu
com uma nuvem escura
debaixo dos pés.

10 Voou nas costas de um querubim
e viajou rápido nas asas do vento.

11 Ele se cobriu de escuridão;
nuvens grossas, cheias de água,
estavam ao seu redor.

12 Brasas e chuva de pedra
saíram dos relâmpagos
que estavam diante dele
e atravessaram as nuvens escuras.

13 Então o Senhor trovejou do céu;
o Altíssimo fez ouvir a sua voz.

14 Ele atirou as suas flechas
e espalhou os seus inimigos;
com o clarão dos seus relâmpagos
ele os fez fugir.

15 Quando tu, ó Senhor Deus,
repreendeste os teus inimigos
e, furioso, trovejaste contra eles,
o fundo do mar apareceu,
e os alicerces da terra
ficaram descobertos.

16 Lá do alto, o Senhor me estendeu a mão
e me segurou;
ele me tirou do mar profundo.

17 O Senhor me livrou
dos meus poderosos inimigos,
daqueles que me odiavam.
E todos eles eram fortes demais
para mim.

18 Quando eu estava em dificuldade,
eles me atacaram;
porém o Senhor me protegeu,

19 me livrou do perigo
e me salvou porque me ama.

20 O Senhor Deus me recompensa
porque sou honesto;
ele me abençoa porque sou inocente.

21 Eu tenho feito a vontade do Senhor
e nunca cometi o pecado
de abandonar o meu Deus.

22 Eu tenho cumprido todas as suas leis
e não tenho desobedecido
aos seus mandamentos.

23 O Senhor sabe que não cometi
nenhuma falta
e que tenho ficado longe do mal.

24 Assim ele me recompensa
porque sou honesto
e porque sabe que não sou culpado
de nada.

25 Tu, ó Senhor Deus, és fiel
com os que são fiéis a ti
e correto com aqueles
que são corretos.

26 Tu és puro para os que são puros,
mas és inimigo dos que são maus.

27 Tu salvas os humildes,
mas humilhas os orgulhosos.

28 Tu, ó Senhor, me iluminas;
tu, meu Deus, acabas
com a minha escuridão.

29 Tu me dás força para atacar
os meus inimigos
e poder para vencer as suas defesas.

30 Este Deus faz tudo perfeito
e cumpre o que promete.
Ele é como um escudo
para os que procuram
a sua proteção.

31 O Senhor é o único Deus;
somente Deus é a nossa rocha.

32 Ele é o Deus que me dá forças
e me protege aonde quer que eu vá.

33 Ele não me deixa tropeçar
e me põe a salvo nas montanhas.

34 Ele me treina para a batalha
para que eu possa usar
os arcos mais fortes.

35 Tu, ó Senhor Deus, me deste
o escudo que salva a minha vida.
O teu cuidado
me tem feito prosperar,
e o teu poder me tem sustentado.

36 Tu não tens deixado
que os meus inimigos me peguem,
e eu não caí nenhuma vez.

37 Persigo esses inimigos
e os pego de surpresa;
não paro até acabar com eles.

38 Eu os esmago,
e eles não podem se levantar;
eles caem derrotados aos meus pés.

39 Tu me dás força para a batalha
e fazes com que eu derrote
os meus inimigos.

40 Tu fazes com que eles fujam de mim,
e eu destruo os que me odeiam.

41 Eles gritam pedindo socorro,
mas não há ninguém para salvá-los.
Chamam o Senhor Deus,
mas ele não responde.

42 Eu os esmago, e eles viram pó,
o pó que o vento leva.
Eu os piso como se fossem
a lama das ruas.

43 Tu me livras de revoluções
no meio do povo
e me colocas como rei das nações.
Povos que eu não conhecia
são agora meus escravos.

44 Estrangeiros se curvam
diante de mim
e me obedecem quando dou ordens.

45 Eles perdem a coragem
e saem tremendo das suas fortalezas.

46 O Senhor vive.
Louvem aquele que é a minha rocha,
anunciem a grandeza do Deus
que salva a minha vida.

47 Ele me vinga dos meus inimigos,
põe os povos debaixo do meu poder

48 e me livra dos meus adversários.
Tu, ó Senhor Deus, fazes com que
eu vença os meus inimigos
e me proteges dos homens violentos.

49 Por isso eu te louvo entre os pagãos;
a ti eu canto hinos de louvor.

50 Deus dá grandes vitórias ao seu rei
e mostra o seu amor
a quem ele escolheu —
a Davi e aos seus descendentes,
para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário